Ativistas alertam para maus-tratos animais, circo Cardinali diz que os trata com festinhas

diniz / wikimedia

Leão no circo Victor Hugo Cardinali (foto: Gdiniz / wikimedia)

Leão no circo Victor Hugo Cardinali (foto: Gdiniz / wikimedia)

Um grupo de pessoas manifestou-se, este domingo, contra o Circo Cardinali por usar animais, alegando que estes são espancados com ferros nos treinos, uma acusação negada pela empresa, que diz ensiná-los “com festinhas e alimentos”.

Faltava mais de meia hora para o início do segundo espetáculo da tarde e os dois portões de entrada para o recinto do Circo Vitor Hugo Cardinali já tinham centenas de pessoas concentradas, que pareciam ignorar a presença dos cerca de 30 manifestantes que se deslocaram ao Parque das Nações Norte, em Lisboa.

A concentração fazia-se ouvir apenas através dos cartazes que criticavam o uso de animais em espetáculos.

“Artistas humanos sim; animais nos circos não” ou “Açoitados e confinados sem direitos e sem proteção” eram algumas das frases dos ativistas que distribuíram panfletos pelos presentes.

Para os manifestantes, o circo é um grande espetáculo do ilusionismo que esconde também os maus-tratos feitos aos animais durante os treinos para que realizem performances perfeitas.

“No espetáculo não se nota. Eles até lhes dão festinhas, mas o problema são os treinos. Eles são espancados com paus, picados com ferros em brasas, são privados de alimentos. Estes animais fazem vários espetáculos por dia… E vivem uma vida fechados numa jaula até à sua morte”, alertou Camilo Soveral, dos Veganos de Sintra.

Claúdio Alves, de 24 anos, assume-se como ativista em nome individual e juntou-se à iniciativa para criticar “a escravização de animais que são sujeitos a condições adversas, que são alvo de treinos à base do medo e sofrimento e que passam onze meses a viajar em espaços super-pequenos”.

As ideias de Cláudio são repetidas pelos outros manifestantes, que questionam como é que, por exemplo, um leão consegue passar por um círculo de fogo, quando este é o elemento natural que mais teme.

“Há vídeos que mostram como ensinam estes animais a fazer estes truques. São espancados com ferros e amarrados pelas patas. Passam fome”, resumiu Eduardo Araújo, da Cidadãos pelos Circos SEM Animais, o outro grupo que organizou a iniciativa.

A Lusa confrontou o representante do Circo Cardinali, que negou todas as acusações.

“Os nossos animais são muito bem tratados. Já não são animais selvagens, são todos de cativeiro. Nasceram aqui no circo e não são treinados com violência, senão seriam muito mais agressivos”, disse à Lusa Gonçalo Dinis.

“Os treinos começam por ser uma brincadeira e é através de estímulos positivos. Damos-lhes caricias e alimentos”, adiantou.

O porta-voz da organização garantiu que as pessoas gostam de assistir a espetáculos com animais e que há cada vez mais adesão ao Circo Hugo Cardinali.

“Neste momento temos 3.200 pessoas lá dentro a assistir ao espetáculo, e 20 cá fora a manifestar-se contra”, resumiu.

Apesar de estarem em clara minoria e de serem raras as famílias que se mostraram sensibilizadas, os manifestantes acreditam que estas iniciativas têm resultados.

Os ativistas garantem que não são contra as outras atividades do circo, só não concordam com a utilização dos animais em espetáculos.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

Presidente promulga lei que lança app Stayaway Covid

O Presidente da República promulgou, esta terça-feira, o diploma que estabelece o responsável pelo tratamento dos dados e regula a intervenção do médico no sistema 'Stayaway Covid'. À margem de uma visita a Lagoa, no Algarve, …

Prémios e dados pessoais. Worten alerta clientes para falso SMS em circulação

A Worten alerta os clientes para não partilharem dados pessoais em resposta a mensagens publicitárias falsas que estão a circular por SMS em nome da retalhista, a anunciar um prémio. "Alertamos que não devem ser facultados …

GNR já passou 2200 coimas por falta de limpeza de terrenos. Mais de cem câmaras multadas

Mais de uma centena de câmaras municipais foram multadas por falta de limpeza de terrenos, sendo a ausência de tratamento nas margens das estradas e junto às linhas de distribuição elétrica a principal infração registada …

Presidente do Governo da Catalunha pede a Filipe VI que abdique

O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, pediu na terça-feira ao rei Filipe VI que abdique e solicitou ao presidente do parlamento que convoque uma sessão plenária extraordinária para estabelecer uma "posição comum" …

Virologista chinesa diz que novo coronavírus foi "criado em laboratório militar"

A virologista chinesa que fugiu para os Estados Unidos deu mais uma entrevista onde assegura que o novo coronavírus foi "criado num laboratório militar". Numa nova entrevista, citada pelo jornal online Observador, Li Meng-Yan, a virologista …

Ministério da Saúde abre 435 vagas para médicos de família

É o maior número de vagas dos últimos anos colocadas a concurso para a contratação de médicos especialistas em medicina geral e familiar para o SNS. De acordo com o jornal Público, o Ministério da Saúde …

MP brasileiro processa pastor por anunciar cura com feijões para a covid-19

O Ministério Público brasileiro pediu a abertura de um processo contra o pastor evangélico Valdemiro Santiago e a Igreja Mundial do Poder de Deus, que anunciaram a cura da covid-19 a partir do cultivo de …

Dívida do Estado à ADSE ascende a 200 milhões de euros

A dívida do Estado à ADSE, em 2019, ascendia a 198,2 milhões de euros, segundo o parecer do Conselho Geral e de Supervisão (CGS) ao relatório e contas do ano passado, publicado no site do …

Governo dos Açores violou Constituição ao impor quarentena obrigatória

O confinamento obrigatório de 14 dias que o governo regional dos Açores tem imposto a quem chega à região autónoma é inconstitucional, dizem os juízes do Tribunal Constitucional. As autoridades açorianas violaram a Constituição ao impor …

China caminha a passos largos para a normalidade. Gaming, cerveja e Ikea dão empurrão

A China não regista, desde 17 de maio, vítimas mortais causadas pelo novo coronavírus. No entanto, há dois surtos ativos que parecem não impedir a população de caminhar em direção à normalidade. À semelhança do resto …