Ativistas alertam para maus-tratos animais, circo Cardinali diz que os trata com festinhas

Leão no circo Victor Hugo Cardinali (foto: Gdiniz / wikimedia)

Leão no circo Victor Hugo Cardinali (foto: Gdiniz / wikimedia)

Um grupo de pessoas manifestou-se, este domingo, contra o Circo Cardinali por usar animais, alegando que estes são espancados com ferros nos treinos, uma acusação negada pela empresa, que diz ensiná-los “com festinhas e alimentos”.

Faltava mais de meia hora para o início do segundo espetáculo da tarde e os dois portões de entrada para o recinto do Circo Vitor Hugo Cardinali já tinham centenas de pessoas concentradas, que pareciam ignorar a presença dos cerca de 30 manifestantes que se deslocaram ao Parque das Nações Norte, em Lisboa.

A concentração fazia-se ouvir apenas através dos cartazes que criticavam o uso de animais em espetáculos.

“Artistas humanos sim; animais nos circos não” ou “Açoitados e confinados sem direitos e sem proteção” eram algumas das frases dos ativistas que distribuíram panfletos pelos presentes.

Para os manifestantes, o circo é um grande espetáculo do ilusionismo que esconde também os maus-tratos feitos aos animais durante os treinos para que realizem performances perfeitas.

“No espetáculo não se nota. Eles até lhes dão festinhas, mas o problema são os treinos. Eles são espancados com paus, picados com ferros em brasas, são privados de alimentos. Estes animais fazem vários espetáculos por dia… E vivem uma vida fechados numa jaula até à sua morte”, alertou Camilo Soveral, dos Veganos de Sintra.

Claúdio Alves, de 24 anos, assume-se como ativista em nome individual e juntou-se à iniciativa para criticar “a escravização de animais que são sujeitos a condições adversas, que são alvo de treinos à base do medo e sofrimento e que passam onze meses a viajar em espaços super-pequenos”.

As ideias de Cláudio são repetidas pelos outros manifestantes, que questionam como é que, por exemplo, um leão consegue passar por um círculo de fogo, quando este é o elemento natural que mais teme.

“Há vídeos que mostram como ensinam estes animais a fazer estes truques. São espancados com ferros e amarrados pelas patas. Passam fome”, resumiu Eduardo Araújo, da Cidadãos pelos Circos SEM Animais, o outro grupo que organizou a iniciativa.

A Lusa confrontou o representante do Circo Cardinali, que negou todas as acusações.

“Os nossos animais são muito bem tratados. Já não são animais selvagens, são todos de cativeiro. Nasceram aqui no circo e não são treinados com violência, senão seriam muito mais agressivos”, disse à Lusa Gonçalo Dinis.

“Os treinos começam por ser uma brincadeira e é através de estímulos positivos. Damos-lhes caricias e alimentos”, adiantou.

O porta-voz da organização garantiu que as pessoas gostam de assistir a espetáculos com animais e que há cada vez mais adesão ao Circo Hugo Cardinali.

“Neste momento temos 3.200 pessoas lá dentro a assistir ao espetáculo, e 20 cá fora a manifestar-se contra”, resumiu.

Apesar de estarem em clara minoria e de serem raras as famílias que se mostraram sensibilizadas, os manifestantes acreditam que estas iniciativas têm resultados.

Os ativistas garantem que não são contra as outras atividades do circo, só não concordam com a utilização dos animais em espetáculos.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …

Entre os boletins de voto dos emigrantes, também há cheques e contas da luz

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiro deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa – um envelope verde com o boletim de voto, dentro …

Ryanair despede 432 trabalhadores em Espanha

A companhia aérea irlandesa Ryanair confirmou esta quarta-feira a sua intenção de despedir em Espanha 432 trabalhadores das suas bases de Girona e Canárias, 327 tripulantes de cabine e 105 pilotos, informou o sindicato USO. Num …

Eleições em Moçambique. Dados preliminares dão vitória a Nyusi

Segundo as projeções de resultados da Sala da Paz, de acordo com valores “preliminares” baseados na leitura dos editais pelos seus observadores, o atual Presidente moçambicano e candidato da Frelimo, Filipe Nyusi, terá sido reeleito …

"Quem acusou Sócrates tem de provar. Se não provar tem de ser punido"

O ex-Presidente brasileiro, Lula da Silva, defende punição de procuradores da Operação Marquês, caso a acusação contra José Sócrates seja arquivada. Esta terça-feira, em entrevista à RTP, Lula da Silva defendeu a punição dos procuradores que …

Na Saúde, Warren torna-se alvo de ataques. Mas o foco é "derrotar Trump"

O maior debate televisivo para umas eleições primárias na história dos EUA juntou 12 candidatos num só palco. Foi o primeiro debate para o qual o ex-vice-Presidente Joe Biden não partiu com vantagem, tendo a …

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …

“É a desilusão”. PSD queria novos ministros na Saúde, Educação e Justiça

  O PSD defendeu esta quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …