Atacante das mesquitas de Christchurch vai ser acusado de quase 90 crimes

Martin Hunter / EPA

A polícia da Nova Zelândia informou esta quinta-feira que avançou com 50 acusações de homicídio e 39 por tentativa de homicídio contra o australiano Brenton Tarrant, apontado como autor do atentado terrorista em duas mesquitas em Christchurch.

As autoridades indicaram, em comunicado divulgado nas redes sociais, que consideram a possibilidade de apresentar outras acusações relacionadas com o ataque efetuado naqueles locais religiosos.

Tarrant, que foi preso em 15 de março, dia em que cometeu o massacre, deve testemunhar na sexta-feira por videoconferência, a partir da prisão de Paremoremo, em Auckland, onde está detido. Na audiência de 16 de março, no dia após o ataque, Tarrant recusou ser representado por um advogado e disse que planeava defender-se a si mesmo durante o julgamento.

O homem, de 28 anos, permanece lúcido e sem qualquer tipo de arrependimento, indicou então o advogado Richard Peters, que foi inicialmente designado para defender o australiano. Peters chegou a afirmar que o réu não parecia ser mentalmente instável, apesar de expressar a sua ideologia extremista. Segundo o advogado, Tarrant procura usar o processo para fazer eco da sua ideologia.

Cinquenta pessoas perderam a vida e outras tantas ficaram feridas no ataque indiscriminado contra muçulmanos que se encontravam nas duas mesquitas antes da oração do meio-dia de 15 de março.

O atirador, que abriu fogo nas duas mesquitas, tentou apresentar os seus motivos no manifesto de 74 páginas que divulgou: é um australiano nacionalista branco de 28 anos que odeia imigrantes. No mesmo documento, afirmou que estava zangado por causa dos atentados na Europa que foram perpetrados por muçulmanos e que queria vingar-se, queria causar medo. Brenton Tarrant reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto na Internet o momento do ataque.

O gabinete da primeira-ministra da Nova Zelândia recebeu o manifesto de Brenton Tarrant atirador por email, menos de dez minutos antes de levar a cabo o ataque terrorista às duas mesquitas. O email foi enviado para cerca de 70 destinatários, entre os quais se encontrava a primeira-ministra, meios de comunicação nacionais e internacionais, o líder do Partido Nacional, Simon Bridge, e o presidente da Câmara dos Representantes, Trevor Mallard.

“O email elencava as razões que o levavam a fazer. Não disse, no entanto, que estava prestes a fazê-lo. Não houve oportunidade de o parar“, disse fonte do gabinete da primeira-ministra neozelandesa.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Seis prioridades para o Newcastle, se quiser ser o novo Manchester City

Lista elaborada por quem tratou da "revolução" em Manchester, a partir de 2008. O Newcastle United tem dinheiro mas (ainda) não tem uma grande equipa, nem é visto como um grande clube europeu. Os milhões de libras …

Temido diz que "por detrás de cada euro" investido no SNS estão mais cuidados de saúde

A ministra da Saúde afirmou, esta quinta-feira, que o Orçamento do Estado para 2022 permitirá "promover a recuperação" do país e que por detrás de cada euro investido no Serviço Nacional de Saúde (SNS) …

Há alunos ainda sem manuais devido a atrasos na impressão e distribuição

A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros justifica os atrasos com o fim mais tardio do ano lectivo anterior, o que levou a que todo o processo ficasse atrasado. Segundo avança o Público, cerca de um …

O Twitter foi palco de troca de acusações entre os primeiros-ministros da Eslovénia e dos Países Baixos

Troca de palavras decorreu na rede social com acusações pouco habituais entre chefes de Governo e principais figuras das instituições europeias. Foi num tom pouco habitual e num cenário igualmente pouco expectável — pelo seu nível …

Enfermeira com uma vacina na mão

Dose única da vacina. Portugueses recuperados travados por países que exigem vacinação completa

Os portugueses recuperados da covid-19 só receberam uma dose da vacina. Agora, estão a ter dificuldades em viajar para alguns países, como o Reino Unido ou o Canadá. Segundo o Jornal de Notícias, há portugueses recuperados …

Menos de metade dos novos médicos é que vai para o SNS

Nos últimos seis anos, menos de metade dos novos profissionais que se inscreveram na Ordem dos Médicos, ingressam no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Segundo o Correio da Manhã, o número de inscritos na Ordem dos …

Miguel Pinto Luz: "O grande vencedor deste Orçamento chama-se Pedro Nuno Santos"

O vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais considera que o "grande vencedor" deste Orçamento do Estado é Pedro Nuno Santos e que o ministro "aumentou o seu capital político". Em entrevista ao Diário de Notícias e …

Médicos libaneses ajudam a retirar pessoas depois dos confrontos durante uma manifestação em Beirute

Líbano decreta dia de luto nacional depois de tiroteio durante manifestação causar seis mortos

Confrontos durante uma manifestação convocada pelo Hezbollah na manhã de ontem causaram seis vítimas mortais. O protesto era contra o juiz que lidera o inquérito à explosão no porto de Beirute no ano passado. O Líbano …

Argentina ganhou: os números de Emiliano e a crítica de Messi

Resultado positivo diante do Peru não impediu uma "boca" do número 10 ao árbitro. Mais um jogo em que Emiliano Martínez não sofreu golos. A Argentina está cada vez mais perto de assegurar a presença na …

Leão promete "boa notícia" para as empresas sobre o preço da electricidade

Com as negociações em torno do Orçamento do Estado para 2022 ao rubro, o ministro das Finanças, João Leão, acredita num entendimento à esquerda e revela que o próximo ano vai trazer "uma boa notícia" …