Minutos antes do ataque, atirador da Nova Zelândia enviou manifesto à primeira-ministra

Martin Hunter / EPA

A primeira-ministra da Nova Zelândia afirmou que o atirador que causou pelo menos 49 mortos ao atacar duas mesquitas de Christchurch tinha licença e adquiriu as armas que usou para cometer os crimes de forma legal.

Em declarações à imprensa, Jacinda Ardern defendeu alterações nas leis do país sobre as armas, apesar de não especificar quais as medidas a tomar.

A primeira-ministra acrescentou que o suspeito, australiano, de 28 anos, viajou pelo mundo e passou períodos esporádicos na Nova Zelândia, referindo que as autoridades estão a investigar se dois outros suspeitos, que foram detidos, estão diretamente envolvidos nos crimes.

O atirador, de nome Brenton Tarrant, foi já presente ao juiz Paul Kellar, do tribunal distrital, que lhe leu uma acusação de homicídio. Entrou no tribunal algemado e acompanhado por dois polícias e esteve perante o juiz cerca de um minuto.

De acordo com a SIC Notícias, Brenton Tarrant não demonstrou qualquer emoção quando o juiz leu a primeira acusação de homicídio, mas ao entrar no tribunal fez um gesto característico dos grupos supremacistas Brancos. O alegado homicida será novamente presente a tribunal a 5 de abril.

Já depois de o atirador ter abandonado a sala, o juiz referiu que, apesar de existir uma acusação de homicídio, é “razoável assumir que outras se vão seguir”.

O atirador, que abriu fogo nas duas mesquitas, tentou apresentar os seus motivos no manifesto de 74 páginas que divulgou: é um australiano nacionalista branco de 28 anos que odeia imigrantes. No mesmo documento, afirmou que estava zangado por causa dos atentados na Europa que foram perpetrados por muçulmanos e que queria vingar-se, queria causar medo.

Brenton Tarrant reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto na Internet o momento do ataque.

Tarrant enviou manifesto à primeira-ministra minutos antes

O gabinete da primeira-ministra da Nova Zelândia recebeu o manifesto de Brenton Tarrant atirador por email, menos de dez minutos antes de levar a cabo o ataque terrorista às duas mesquitas.

Segundo escreve o jornal New Zeland Herald, o email foi enviado para cerca de 70 destinatários, entre os quais se encontrava a primeira-ministra, meios de comunicação nacionais e internacionais, o líder do Partido Nacional, Simon Bridge, e o presidente da Câmara dos Representantes, Trevor Mallard.

“O email elencava as razões que o levavam a fazer [o ataque]. [Ele] não disse, no entanto, que estava prestes a fazê-lo. Não houve oportunidade de o parar“, disse fonte do gabinete da primeira-ministra neozelandesa ao mesmo jornal.

Pelo menos 49 pessoas morreram e 48 ficaram feridas nas duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia. Os ataques tiveram início às 13h40 (00h40 em Lisboa) nas mesquitas de Al Noor, em Hagley Park, e de Linwood Masjid.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A primeira-ministra da Nova Zelândia afirmou que o atirador que causou pelo menos 49 mortos ao atacar duas mesquitas de Christchurch tinha licença e adquiriu as armas que usou para cometer os crimes de forma legal.Ao menos isto…pelo menos o homem tinha tudo legal…!!!

RESPONDER

Nova ponte sobre o Douro não vai estar concluída em 2022

As câmaras do Porto e Gaia admitiram esta quinta-feira que a nova ponte sobre o rio Douro "dificilmente" vai estar pronta em 2022, como estava previsto, apontando para 2020 o lançamento do concurso público. O ponto …

Tribunais com luz verde para aceder a dados escolares de menores. Governo ignora alerta sobre Protecção de Dados

A Justiça vai ter acesso directo e automático às informações escolares de menores por via da "desmaterialização da informação" prevista no Simplex. A medida foi aprovada numa nova portaria conjunta dos ministérios da Justiça e …

"Ridícula". Donald Trump critica escolha de Greta Thunberg para Personalidade do Ano

O Presidente norte-americano, Donald Trump, comentou esta quinta-feira, a escolha da Greta Thunberg como “Personalidade do Ano” pela revista Time, aconselhando a jovem sueca a controlar a “raiva” e ir ao cinema. A ativista já …

Bruno de Carvalho sabia que o plantel "não estava com ele", diz Podence em tribunal

O futebolista Daniel Podence disse em tribunal, esta quinta-feira, que o antigo presidente do Sporting sabia "perfeitamente que o plantel não estava com ele", na altura da invasão à academia do clube, em Alcochete. Na 12.ª …

"É o que dá ser novata". Líder parlamentar do PAN engana-se no tema do debate

A líder parlamentar do PAN, Inês Sousa Real, protagonizou um momento caricato na Assembleia da República, esta quinta-feira, quando subiu à tribuna e começou a sua intervenção sobre pessoas sem-abrigo quando o debate era sobre …

Pelo menos um morto e 25 feridos na explosão em prédio na Alemanha

Pelo menos uma pessoa morreu e 25 ficaram feridas esta sexta-feira na sequência de uma explosão num edifício residencial em Blankenburg, na Alemanha. Uma explosão num prédio de habitação na cidade de Blankenburg, região da Sáxonia, …

Infarmed retira do mercado 7 cremes para crianças da Wells, Barral e Dermosense

O Infarmed detetou irregularidades em sete produtos cosméticos hidratantes para crianças, ordenando a retirada do mercado de dois cremes de rosto para bebé, da Barral e da Wells, e a retirada voluntária de dois outros …

Ninguém sabe o que fazer com duas estátuas de Salazar

Nem o Estado, nem a Câmara Municipal de Santa Comba Dão parecem saber o que fazer com duas estátuas de António de Oliveira Salazar. Haveria planos para as exibir no Museu Salazar, mas como o …

Tancos. Principal suspeito vai ser libertado em janeiro

João Paulino, o principal suspeito do roubo de material militar dois paióis de Tancos, e mais sete suspeitos vão ser libertados a 28 de janeiro. A informação é avançada esta sexta-feira pela revista Sábado, que dá …

Filhos de imigrantes nascidos em Portugal podem ser portugueses desde que um progenitor seja residente

A Assembleia da República aprovou, esta quinta-feira, na generalidade, as alterações à lei da nacionalidade do PAN e do PCP, e rejeitou, com os votos do PS, o projeto do Livre. Horas antes da votação em …