/

Ministério Público alemão assume que Maddie McCann está morta

1

Crimewatch / BBC

Maddie McCann

O procuradores do Ministério Público alemão acreditam que Madeleine McCann foi assassinada. O investigador Christian Hoppe, do Bundeskriminalamt, revelou que a criança pode ter sido alvejada quando o suspeito assaltava o apartamento da família.

O procuradores do Ministério Público alemão acreditam que Madeleine McCann, desaparecida desde maio de 2007, foi assassinada. “O gabinete do Ministério Público de Braunschweig está a investigar um cidadão alemão de 43 anos por suspeita de homicídio. Por aqui se vê que acreditamos que a criança está morta”, disse o procurador Hans Christian Wolters, citado pela Reuters esta quinta-feira.

Na quarta-feira, Christian Hoppe, investigador do Bundeskriminalamt (BKA), o Departamento Federal de Polícia Criminal da Alemanha, também já admitira a morte de Maddie, que pode ter sido alvejada quando o suspeito assaltava o apartamento da família.

Numa entrevista à ZDF, o investigador disse, no entanto, que ainda não descarta o sequestro, nem um ataque provocado por motivos sexuais, mas frisa que a investigação indica que “a criança está morta”. “Não podemos excluir essa possibilidade. Mas também é possível que o suspeito, depois de uma intenção inicial de roubo, tenha depois cometido um crime sexual.”

O suspeito é um cidadão alemão de 43 anos, que se encontra preso na Alemanha, tendo sido acusado de vários crimes, entre eles “abuso sexual de crianças”. O homem está a cumprir pena de prisão por crimes sexuais contra menores e delitos de droga.

O Diário de Notícias avança que o suspeito se chama Christian B. e a sua fotografia foi agora revelada pelo jornal alemão Bild, numa altura em que as autoridades policiais inglesas, alemãs e portuguesas investigam o que aconteceu à criança inglesa.

O alemão vivia em Portugal na altura do desaparecimento da filha de Gerry e Kate McCann, e há uma recompensa de dez mil euros para quem fornecer informações úteis sobre a sua passagem por Lagos.

“Além do infrator inicial, pode haver outros que souberam do crime, da localização do corpo de Maddie ou até que tenham participado”, respondeu o investigador, quando questionado sobre a existência de cúmplices.

O BKA sublinha estar a trabalhar na investigação em estreita cooperação com as autoridades britânicas e portuguesas, apelando a todos os alemães, numa mensagem já difundida num programa do canal ZDF, que colaborem com informações que possam ser úteis.

Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer 4 anos, a 3 de maio de 2007, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve.

A polícia britânica começou por formar uma equipa em 2011 para rever toda a informação disponível, abrindo um inquérito formal no ano seguinte, tendo até agora despendido perto de 12 milhões de libras, cerca de 14 milhões de euros.

A Polícia Judiciária portuguesa reabriu a investigação em 2013, depois de o caso ter sido arquivado pela Procuradoria-Geral da República em 2008, ilibando os três arguidos, os pais de Madeleine e um outro britânico, Robert Murat.

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. Espero bem que as autoridades alemãs tenham alguma coisa mais do que apenas “crenças” e que não façam as cenas tristes que temos visto os ingleses fazer!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.