Arranha-céus matam centenas de milhões de aves todos os anos

Gerardo Pesantez / World Bank

Cientistas estimam que pelo menos cem milhões de aves morrem por ano nos EUA quando colidem com arranha-céus. Os edifícios cobertos de vidro e iluminados são os prédios que mais confundem os animais.

Esta estimativa de mortes — que tem como figura base os cem milhões de aves por ano — pode estender-se até aos mil milhões de animais.

A cidade de Chicago — com várias superestruturas de vidro e tráfego aéreo intenso durante a época das migrações — é a mais perigosa dos Estados Unidos para estes animais. Anualmente, mais de cinco milhões de aves pertencentes a 250 espécies percorrem esta cidade norte-americana no outono e primavera.

O horizonte de Manhattan é outra armadilha, especialmente em época de migrações. “Estas aves aterraram num local que não lhes é familiar, como um passeio, por exemplo. Quando chega o dia, voarão até a uma árvore, ou algo que lhes parece ser uma árvore, mas, é apenas o reflexo de uma num edifício. Esbarram no vidro e morrem”, explica Susan Ebin, diretora de conservação e ciência na Audubon, ONG de defesa das aves.

Esta organização nova-iorquina conduz estudos que monitorizam o número de aves que morrem desta maneira. Só em Nova York, todos os anos, estimam-se que sejam 200 mil. Numa escala nacional, o centro migratório do Smithsonian estima que morram entre cem milhões e mil milhões de aves nos Estados Unidos, com algumas espécies a serem mais afetadas do que outras.

Embora desiludidos com os números, os ativistas afirmam que este tipo de estudos servem para identificar a raiz do problema e reduzir os fatores que causam fatalidades.

Kaitlyn Parkins, bióloga na Audubon, partilha o mesmo pensamento. “Sempre que nova literatura científica é publicada, aprendemos mais sobre o problema e localizamos as melhores soluções usando a ciência”, afirma, citada pelo The Guardian.

De acordo com Kaitlyn Parkins, desligar as luzes destes arranha-céus, durante a noite, no período migratório será um primeiro passo simples e faria toda a diferença. Estados como Nova Iorque e o Minnesota já participaram nesta iniciativa, com os edifícios públicos a desligarem todas as luzes durante a noite.

Os ativistas também pretendem que os edifícios tenham designs que ajudem as aves. São Francisco e Toronto já adotaram algumas guias para a construção de novos arranha-céus. Em janeiro, foi a vez do Congresso norte-americano receber uma proposta apoiada por ambos os partidos para que os edifícios federais sejam sujeitos a estas regras que facilitam o processo migratório destas aves.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …