Armazéns em vez de lojas. MP investiga burla com vistos gold em negócio de 40 milhões

O Ministério Público (MP) está a investigar os contornos que envolveram a construção do Centro POAO, o megacentro comercial chinês grossista, no Porto Alto, Samora Correia, concelho de Benavente, que foi anunciado em 2016 como um investimento de 40 milhões de euros.

Este centro funciona como entreposto comercial onde as lojas chinesas se podem abastecer. Em causa, revela o Público, estão várias denúncias, entregues ao MP e à PSP, por investidores chineses que alegam que foram vitimas de burla e que entraram no negócio para conseguir um visto gold.

Também conhecido como Golden Visa, criado pelas autoridades portuguesas em outubro de 2012, este documento consiste numa autorização de residência para atividade de investimento concedida a nacionais de Estados que não integrem a UE, atribuída mediante a realização de investimento, empresarial ou imobiliário, em território português.

As queixas foram apresentadas contra a empresa promotora do investimento, a POAO II – investimentos imobiliários, os seus sócios e gerentes, os advogados que a representam, Rui Cunha, Glória & Associados, assim como a tradutora que surge com o nome de Viviane.

Jin Wenjun e o marido, Cao Wei, estão entre os queixosos, assim como Xiaochen Jia e a mãe, Yawei Zhang. De acordo com Jin Wenjun, “terão investido neste negócio, desde 2014 até 2017, cerca de 50 famílias chinesas”. “Estamos a falar de investimentos mínimos de 500 mil euros. Estamos falar de mais de 20 milhões de euros no total”.

A maior parte das queixas refere-se ao facto de, no contrato de promessa compra e venda, que foi redigido em português e chinês, existirem duas palavras diferentes para definir o tipo de imóvel que estariam a adquirir. “Em português, está escrito armazém, mas em chinês está loja”, explica Jin Wenjun, que garante que jamais compraria um armazém.

A investidora diz que o que lhe foi apresentado como negócio e o que acreditava que estava a comprar “eram duas lojas num conceituado centro comercial, perto de Lisboa por mais de 551 mil euros” e não “dois armazéns num centro grossista, onde só podem ir lojistas e que neste momento parece um local fantasma porque são poucos os armazéns que estão ocupados”.

“Senti-me enganada, isto é uma burla. E tive de esperar quatro anos, além do previsto, para ter os armazéns em meu nome”, conta, sublinhando que em março de 2015, além do contrato de promessa compra e venda, foram assinados mais dois: “Um contrato de promessa de arrendamento para fins não habitacionais e outro de promessa de recompra dos imóveis”.

De acordo com os documentos, a POAO II- Investimentos Imobiliários comprometia-se a arrendar à compradora os armazéns, pagando 1.500 euros por mês durante cerca de cinco anos e após este período comprometia-se a recomprar os imóveis pelo valor que tinham sido adquiridos.

Além da questão da tradução, os investidores levantam dúvidas sobre os valores pagos e referem mesmo que os preços atuais das lojas em Samora Correia ascendem, no máximo, a 750 euros o metro quadrado e que, por isso, os preços dos armazéns na mesma localidade devem estar por metade do valor das lojas.

Os denunciados acompanhavam os clientes à Caixa Geral de Depósitos onde abriam uma conta bancária e onde os investidores colocavam os capitais necessários ao investimento. Essas contas seriam depois movimentadas pela advogada Glória Ribeiro, algo que não lhes terá sido dito quando abriam a conta.

Na assinatura dos contratos de promessa compra e venda, era pago o sinal e a advogada, que movimentava a conta, transferia também a totalidade do valor da compra. A POAO II contraía empréstimos e hipotecava as frações que já estariam vendidas. Estes contratos com hipoteca para a concessão de crédito não eram do conhecimento dos compradores.

Para já, chegaram oito queixas ao MP e referem que estão a ser denunciados factos suscetíveis de integrar os crimes de burla qualificada e de falsificação de documento.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Reconstruções em Pedrógão. Gulbenkian exige indemnização de meio milhão por suspeita de ilegalidades

A Fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de euros por ilegalidades na reconstrução de casas de Pedrógão. Estão em causa cinco habitações. A fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de …

Austrália. Depois dos incêndios, chega o granizo (e já está a provocar estragos)

A Austrália está a recuperar dos enormes incêndios dos últimos meses. No entanto, a costa oriental do país debate-se agora com chuvas intensas que tem provocado inúmeras inundações. As fortes chuvas que caíram esta segunda-feira proporcionaram …

Taxa sobre produtos poluentes rendeu 200 milhões em dois anos

A taxa aplicada sobre produtos poluentes - plástico, cartão, embalagens de vidro, entre outros -, rendeu ao Estado português 199,6 milhões de euros em dois anos, avança o Jornal de Notícias esta segunda-feira. O valor, arrecadado …

"Mito sem sentido". Santos Silva rejeita que Portugal seja "amigo especial" da China

O ministro dos Negócios Estrangeiros rejeitou, em entrevista ao Financial Times, que Portugal esteja a desenvolver uma dependência problemática relativamente à China. É um "mito sem sentido", defendeu Augusto Santos Silva. O governante falou ao …

Justiça espanhola liga ex-ministro a alegado caso de corrupção. António Vitorino nega

A Justiça espanhola diz que o ex-ministro socialista se terá apropriado de 35 milhões de euros da petrolífera estatal venezuelana PDVSA. António Vitorino nega. A justiça espanhola alega que uma sociedade de António Vitorino, antigo ministro …

Há um obstáculo que pode travar a primeira condenação de Salgado

Ricardo Salgado foi condenado a pagar 4 milhões de euros e proibido de ser banqueiro nos próximos dez anos. No entanto, ainda há um último obstáculo que pode travar a sua condenação. O Tribunal Constitucional rejeitou …

Diplomatas portugueses salvaram entre 60 mil e 80 mil vidas durante a II Guerra Mundial

Os diplomatas portugueses terão salvo entre 60 mil a 80 mil refugiados do regime nazi, maioritariamente judeus, durante o período da II Guerra Mundial, estimou a historiadora Irene Flunser Pimentel em entrevista à agência Lusa. Além …

"Absolutamente determinantes." Autárquicas de 2021 vão ser a prova de fogo de Rui Rio

Rui Rio foi reeleito presidente do PSD este sábado, mas tem pela frente vários desafios. O maior deles todos serão as autárquicas de 2021 que vão ditar muito do seu futuro político.  Rui Rio mostrou-se disponível …

Deputados do PS querem reabrir linha do Tâmega

Os deputados do PS do distrito do Porto querem que a linha do Tâmega, que fazia a ligação ferroviária entre Livração, em Marco de Canaveses, e Amarante, como existia até março de 2009, seja reaberta …

Joacine disposta a fazer "cedências necessárias". Livre diz que só por milagre as relações serão retomadas

O Livre decidiu retirar a confiança política a Joacine Katar Moreira. A deputada única do partido admite fazer as cedências necessárias, mas o partido diz que só por milagre as relações entre os dois vão …