Ataque promovido pelo Irão: Arábia Saudita apresenta “provas”

Stringer / EPA

O Ministério da Defesa da Arábia Saudita defende que o ataque a duas instalações petrolíferas no sábado foi “inquestionavelmente patrocinado pelo Irão”.

As tensões começam a escalar no Médio Oriente, principalmente após o ataque de sábado a duas instalações petrolíferas na Arábia Saudita, que paralisaram metade de produção de petróleo do país. Inicialmente, havia suspeitas de que os dez drones explosivos tinham sido enviados pelos rebeldes iemenitas.

Contudo, o Ministério da Defesa saudita vem agora dizer que o ataque foi “inquestionavelmente patrocinado pelo Irão” e que, ao contrário do que se sugeria, não teve origem no Iémen. “O ataque foi sistemático e intencionalmente planeado para destruir infra-estruturas civis”, disse o porta-voz do Ministério, o coronel Turki al-Malki.

De acordo com o Público, a Arábia Saudita mostrou, esta quarta-feira, destroços de drones e mísseis usados no ataque, garantindo que estes eram oriundos do Irão.

“Os iranianos estão a trabalhar para apoiar grupos terroristas por todo o mundo e não permitiremos que o façam. É da responsabilidade de toda a comunidade internacional travar e responsabilizar o Irão pelas suas ações”, acrescentou o porta-voz saudita.

Teerão nega o envolvimento no ataque às petrolíferas e acusa Washington e Riad de “mentirem”.

O príncipe saudita Mohammad bin Salman vai reunir-se com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, de forma a “trabalhar com os Estados Unidos para enfrentar a ameaça e garantir a segurança nacional“. Entretanto, as investigações para apurar os responsáveis continuam.

Por sua vez, Donald Trump já ordenou que se aumentassem substancialmente as sanções contra o Irão. Além disso, os vistos do presidente iraniano, Hassan Rouhan, e do ministro dos Negócios Estrangeiros, Mohammad Javad Zarif, ainda não foram emitidos pelos EUA, para que estes possam participar na Assembleia-Geral da Nações Unidas, que tem lugar em Nova Iorque, já na próxima semana.

Esta quarta-feira, Pompeo classificou os ataques às instalações petrolíferas como um “ato de guerra”, atribuindo também ele as responsabilidades ao Irão.

“Este é um ataque de uma escala que nunca vimos antes. A Arábia Saudita foi a nação que foi atingida, o ataque ocorreu no território do país. Foi um ato de guerra contra o país”, atirou o secretário de Estado norte-americano, que está de visita à Arábia Saudita. Pompeo garante ainda que os ataques têm “as impressões digitais” de Ali Khamenei, o líder supremo do Irão.

Segundo o Expresso, a administração de Trump usou imagens de satélite para responsabilizar o Irão pelos ataques de sábado, através de 17 pontos sinalizados nas instalações petrolíferas.

“A precisão e sofisticação destes ataques vai mais além da capacidade dos rebeldes Houthis. Tudo indica que o ataque teve origem no norte do Golfo Pérsico e que terão sido utilizados tanto drones, como mísseis de cruzeiro”, disse um funcionário da administração americana.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

    • Como se fosse surpreendente a noticia de que o Irao fornece armas ao Iemen ?!?!? … mas me pregunto qual pecado comete o Iemen para sofrer constante ataque a mais de 3 anos ??? e pq a AS pode atacar e não ser atacada ????, e pq os EUA podem fornecer armas e o Irão não ???

  1. Estava eu aqui a lembrar-me que à alguns anos atrás os EUA também tinham provas irrefutaveis de que um determinado país estava carregadinho de armas de destruição massiva e então invadiram-no.
    E até hoje dessas armas …….. nada.
    isto parece o mesmo tipo de filme, enredo “Temos que arranjar maneira de os invadir”.

  2. Os aliados dos americanos a colocar provas no crime …
    São os mesmo tipos que decapitaram e desmembraram um jornalista incômodo.

Governo vira-se para Rio para mudar a Lei e garantir o novo aeroporto

O Governo está a preparar uma alteração à Lei para evitar que o projecto do novo aeroporto do Montijo seja chumbado. Uma medida que passará, necessariamente, pela necessidade de um entendimento entre PS e PSD …

"Entretenimento saudável". Santa Casa desvaloriza estudo sobre raspadinhas

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa desvalorizou a investigação da Universidade do Minho que aponta para o vício das raspadinhas. Esta sexta-feira, um artigo científico publicado na The Lancet alertou para …

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …

CM Lisboa vai negociar avenças em parques para moradores da envolvente da Baixa

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou, esta sexta-feira, que a autarquia irá tentar acordar com os operadores dos parques de estacionamento da envolvente da Zona de Emissões Reduzidas da Baixa-Chiado a criação de "avenças …