Antepassado comum dos chineses e franceses descoberto na Sibéria

DR J. Augusta, Z. Burian / Siberian Times

O homem descoberto na Sibéria tinha tanto traços de europeu, como de asiático: pele morena, cabelo escuro e olhos azuis

O homem descoberto na Sibéria tinha tanto traços de europeu, como de asiático: pele morena, cabelo escuro e olhos azuis

Os chineses e os franceses tinham um antepassado comum. Os cientistas chegaram a essa inesperada conclusão depois de sequenciarem o genoma de um homem antigo, cujo fóssil foi encontrado na margem do rio siberiano Irtysh

O fóssil encontrado tem nada menos que 45 mil anos – nunca, em lugar algum, foram encontrados tão antigos parentes de seres humanos.  Tudo o que sobrou deste antepassado foi o fémur.

Segundo o Siberian Times, o fóssil, de 33 cm, foi encontrado em 2008 por Nikolay Peristov, um historiador de Omsk.

O fragmento foi encontrado perto da aldeia de Ust-Ishim, e surpreende não apenas pela sua antiguidade, como pelo bom estado de conservação do DNA, o que é extremamente raro, explicou  Yaroslav Kuzmin, investigador do Instituto de Geologia e Mineralogia de Sobolev, à RVR.

De acordo com o cientista, o DNA permite determinar quais, entre as populações actuais, são descendentes do homem que foi encontrado.

“Este tipo de achados são extremamente raros, e só eles podem responder à questão de onde, para onde e quando se deslocaram os seres humanos”, diz Kuzmin.

“É frequente os arqueólogos tentarem substituir dados antropológicos por dados sobre ferramentas de pedra que restaram dos homens antigos”, diz o investigador.

“Mas nesses casos nem sempre se percebe a que espécie humana pertenciam essas ferramentas”, explica, “se se tratava de um homem de Neandertal, um homem moderno ou um homem de Denisova”.

“Nós obtivemos dados directos, muito interessantes, que transformaram bastante o panorama conhecido das migrações do homem”, acrescenta Kuzmin.

DR Siberian Times

Nikolay Peristov, o historiador que encontrou o fóssil de Ust-Ishim

Nikolay Peristov, o historiador que encontrou o fóssil de Ust-Ishim

Reescrever a história

Até agora considerava-se que o homem antigo tinha saído de África e se tinha deslocado ao longo da costa do mar da Arábia, atravessando o território da actual Índia e do Sudeste Asiático, em direção à Austrália.

Mais tarde, o homem ancestral ter-se-ia deslocado para norte, para a Sibéria, para a moderna China, Japão, Coreia e Europa.

Há apenas dois esqueletos de hominídeos, com cerca de 30 mil anos, provenientes de cavernas do Laos e da ilha de Bornéu, mas dos quais não se conseguiu sequenciar o DNA.

Existe apenas um fóssil de um antepassado do homem moderno com DNA, descoberto na caverna de Tianyuan, perto de Pequim. Tem cerca de 39 mil anos.

Este hominídeo estava geneticamente ligado aos antepassados de muitas populações modernas da Ásia e aos nativos americanos, mas é divergente dos antepassados dos europeus actuais.

O novo achado siberiano, 6 mil anos mais antigo, permitiu aos cientistas fazer uma descoberta: os asiáticos e os europeus têm raízes comuns.

A análise do cromossoma Y permitiu determinar que o homem de Ust-Ishim era antepassado dos actuais papuas, chineses e franceses.

“O homem de Ust-Ishim não era nem asiático, nem europeu. Ele era eurasiático“, diz Kuzmin.

“Isto é importante, porque indica claramente que o homem antigo se teria deslocado do Levante em primeiro lugar para norte e para oriente”, conclui.

O homem descoberto na Sibéria tinha tanto traços de europeu, como de asiático: pele morena, cabelo escuro e olhos azuis.

A descoberta de que há 45 mil anos o homem habitar a 58 graus de latitude norte é sensacional.

Ninguém supunha até agora que o Homo sapiens pudesse ter-se deslocado tanto para norte, há tanto tempo.

Graças ao achado siberiano, os cientistas conseguiram olhar para um passado tão distante da humanidade, que há apenas um ano seria inimaginável.

DR Sergey Melnikov, Yaroslav Kuzmin / Siberian Times

O fóssil, de 33 cm, foi encontrado em 2008 perto da aldeia de Ust-Ishim, e surpreende pelo bom estado de conservação do seu DNA

O fóssil, de 33 cm, foi encontrado em 2008 perto da aldeia de Ust-Ishim, e surpreende pelo bom estado de conservação do seu DNA

ZAP / RVR

PARTILHAR

RESPONDER

É a quantidade de alimento que determina quem se torna a abelha-rainha

Um novo estudo sugere que é a quantidade de alimento, e não a sua qualidade, como se pensava até agora, que determina quem se torna a abelha-rainha. Quais são os fatores que determinam qual é a …

Em Miami e Nova Iorque, os polícias ajoelharam-se por George Floyd

Em Miami e em Nova Iorque, alguns agentes da autoridade juntaram-se aos manifestantes por breves momentos, para mostrar o seu respeito pela memória de George Floyd. Nos Estados Unidos, os protestos pela morte de George Floyd …

A Nova Zelândia está em cima de uma enorme bolha de lava

A Nova Zelândia situa-se no topo dos restos de uma pluma vulcânica gigante. Este processo é o responsável pela atividade vulcânica e desempenha um papel fundamental no funcionamento do nosso planeta. Nos anos 70, vários cientistas …

Petição busca estatuto de vítima para crianças em contexto de violência doméstica

Uma petição lançada na sexta-feria que reivindica a criação do estatuto de vítima para as crianças que vivem em contexto familiar de violência doméstica já foi assinada por mais de 1300 pessoas, entre elas personalidades …

Assimétrica e flutuante. A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai "nascer" em 48 horas

A primeira casa impressa em 3D na República Checa vai estar pronta no próximo mês para demonstrar a velocidade e a eficácia de uma técnica de construção que será sete vezes mais rápida e terá …

Anonymous garantem que princesa Diana foi assassinada para abafar caso Epstein

O movimento internacional de ciberativistas Anonymous - ou alguém que alega operar em seu nome - garante que a princesa Diana, que morreu num acidente de viação em agosto de 1997, foi, na verdade, assassinada …

Empresa de mineração pede desculpa por destruir cavernas sagradas aborígenes

A empresa mineira Rio Tinto admitiu que destruiu as cavernas pré-históricas que eram locais de culto para os aborígenes australianos e pediu desculpa. As cavernas de pedra Juukan Gorge 1 e 2 – dois locais de …

Itália exige "respeito": vai abrir fronteiras, mas excluir países que impõem restrições a italianos

Apesar de acredita "no espírito europeu", o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano sublinhou que o país está pronto "para fechar as fronteiras" àqueles que não o respeitem. A Itália vai abrir as suas fronteiras internacionais a …

As Forças Armadas sul-africanas não estavam preparadas para um inimigo invisível

A Força de Defesa Nacional da África do Sul não está preparada para combater uma pandemia silenciosa como a da covid-19. Este "inimigo invisível" veio trazer à tona as fragilidades do país. As Forças Armadas da …

Putin convoca referendo sobre alterações constitucionais para 1 de julho

A aprovação da reforma constitucional permitirá ao atual Presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprir mais dois mandatos suplementares a partir de 2024. Vladimir Putin anunciou a data de 1 de julho para o referendo nacional de …