André Ventura recusa revelar com quem negociou acordo parlamentar nos Açores

Nuno Veiga / Lusa

O presidente do Chega, André Ventura, na II Convenção Nacional do partido

O líder do Chega, André Ventura, recusou-se esta sexta-feira a revelar com quem negociou o acordo para a viabilização do governo de direita nos Açores.

“Para além de disparates ditos por vice-presidentes e por ex-secretários-gerais e por comentadores do PSD, notei que o mais importante foi que o doutor Rui Rio disse, que admitia esse entendimento. E portanto o doutor Rui Rio sabe o que é que está a dizer nessa matéria”, declarou, na Assembleia da República, em declarações aos jornalistas.

Questionado sobre reuniões entre dirigentes nacionais do Chega e do PSD no âmbito das negociações nos Açores para viabilizar o governo do PSD/CDS/PPM, Ventura disse não querer fazer comentários ou especificar com quem se encontrou.

De acordo com o semanário Expresso, o líder parlamentar do PSD, Adão Silva, encontrou-se com o presidente do Chega, André Ventura, para avaliar um entendimento de incidência parlamentar nos Açores e terá sido combinada uma reunião com o presidente dos sociais-democratas, Rui Rio, mas que nenhuma das partes confirma ter ocorrido, segundo o jornal.

Esta manhã, o órgão restrito da direção do PSD – Comissão Permanente – negou que tenha havido qualquer entendimento nacional e reiterou que “a negociação dos quatro pontos que viabilizam os votos favoráveis dos deputados açorianos do Chega ao Governo PSD/CDS/PPM foi feita a nível regional”.

Ventura reagiu, mas apenas para sublinhar a possibilidade de repetição de um acordo com o PSD, mas a nível nacional. “Houve uma situação nos Açores em que o Chega era fundamental para viabilizar qualquer governo, nós avisámos que isso ia acontecer. Avisámos que ia acontecer nos Açores, que ia acontecer aqui, que vai eventualmente acontecer aqui e que era impossível à direita haver maiorias sem o Chega”, sublinhou.

O Chega queria uma revisão constitucional que incluísse a castração química de pedófilos, a prisão perpétua ou a reforma fiscal, mas os entendimentos com os sociais-democratas nessas matérias não foram possíveis, embora o acordo para a redução de deputados ou a no combate à corrupção tenha sido “importante”.

“Quando nos dizem: mas foi o PSD que não se moveu ou foi o Chega que se moveu? Quando há um encontro de vontades, acho que das duas partes tem que haver essa capacidade”, justificou, acrescentando que não vale a pena existir “diabolizações” se depois os partidos vão “precisar uns dos outros”.

Ventura pediu aos sociais-democratas que compreendam o “novo contexto político” nacional à direita, afirmando acreditar que não haverá governo à direita em Portugal “na próxima década” sem o Chega. “Se não criarmos uma plataforma de ponte possível, não há governo à direita em Portugal na próxima década. Nós não temos intenções de desaparecer, portanto, a menos que o PSD conseguisse formar governo com o CDS e IL, vão precisar do Chega e já sabem o que o Chega exige”, declarou.

No passado dia 25 de outubro, o PS venceu as eleições legislativas regionais mas perdeu a maioria absoluta. PSD, CDS-PP e PPM, que juntos representavam 26 deputados, anunciaram esta semana um acordo de governação, tendo alcançado acordos de incidência parlamentar com o Chega e o Iniciativa Liberal (IL).

O líder do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, foi indigitado no sábado presidente do Governo Regional pelo representante da República para os Açores, Pedro Catarino.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A reunião não foi com o homólogo do PSD, Rui Rio. Foi com Alzira Pacheco, empregada de limpeza na rua de São Caetano. Tal a importância que lhe dão.

RESPONDER

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro. No entanto, isto não quer dizer que o nosso planeta esteja a ficar inclinado. Mais de 5.000 quilómetros abaixo de …

Incêndios devastam sul da Europa e obrigam a retirar moradores e turistas

Dezenas de aldeias e hotéis foram este domingo evacuados nas zonas turísticas do sul da Turquia devido a incêndios que começaram há cinco dias e já mataram oito pessoas no país, devastando também regiões da …

Há uma empresa a transformar as cinzas de entes queridos em diamantes

Uma empresa norte-americana transforma cinzas de entes queridos — e animais de estimação — em diamantes, que podem ser colocados em anéis ou colares. Lidar com a morte de um ente querido é sempre uma altura …

Pianista de aeroporto ganhou 60 mil dólares em gorjetas

Tonee "Valentine" Carter, que toca piano num aeroporto norte-americano, ganhou 60 mil dólares (cerca de 50.800 mil euros) depois de um estranho partilhar um vídeo seu a tocar. Tonee "Valentine" Carter, de 66 anos, não é …

Youtubers denunciam campanha de fake news contra vacina da Pfizer

De acordo com a imprensa brasileira, uma agência de marketing terá tentado que influenciadores digitais de todo o mundo partilhassem desinformação sobre as vacinas contra a covid-19. A denúncia foi feita por alguns dos influenciadores …

Na Tailândia, a legalização do aborto enfrenta "resistência espiritual"

Desde fevereiro, qualquer pessoa que procure fazer um aborto na Tailândia consegue fazê-lo legalmente, pelo menos no primeiro trimestre. Ainda assim, muitos médicos e enfermeiros recusam-se a levar a cabo o procedimento. A advogada Supecha Baotip …

Haiti. Viúva do presidente assassinado implica seguranças no crime

Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise — assassinado na sua residência por um comando armado no início de julho — descreveu abertamente o ataque e partilhou as suas suspeitas sobre o crime …

Covid-19. Portugal regista 2.306 novos casos e aumento nos internados

Portugal registou este domingo 2.306 novos casos de infeção por covid-19 e mais oito mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).  Portugal regista este domingo oito mortes atribuídas à covid-19, 2.306 novos casos …

Birmânia. Líder da junta volta a prometer eleições até 2023, seis meses depois do golpe militar

O líder da junta militar birmanesa, no poder desde o golpe de 1 de fevereiro, comprometeu-se novamente a realizar eleições "até agosto de 2023". “Estamos a trabalhar para estabelecer um sistema multipartidário democrático”, disse, este domingo, …

Tóquio2020. Patrícia Mamona conquista medalha de prata no triplo salto (e melhora recorde nacional)

Patrícia Mamona conquistou este domingo a medalha de prata no triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao conseguir 15,01 metros, novo recorde nacional, arrebatando a segunda medalha por atletas portugueses depois do bronze do judoca …