André Ventura recusa revelar com quem negociou acordo parlamentar nos Açores

Nuno Veiga / Lusa

O presidente do Chega, André Ventura, na II Convenção Nacional do partido

O líder do Chega, André Ventura, recusou-se esta sexta-feira a revelar com quem negociou o acordo para a viabilização do governo de direita nos Açores.

“Para além de disparates ditos por vice-presidentes e por ex-secretários-gerais e por comentadores do PSD, notei que o mais importante foi que o doutor Rui Rio disse, que admitia esse entendimento. E portanto o doutor Rui Rio sabe o que é que está a dizer nessa matéria”, declarou, na Assembleia da República, em declarações aos jornalistas.

Questionado sobre reuniões entre dirigentes nacionais do Chega e do PSD no âmbito das negociações nos Açores para viabilizar o governo do PSD/CDS/PPM, Ventura disse não querer fazer comentários ou especificar com quem se encontrou.

De acordo com o semanário Expresso, o líder parlamentar do PSD, Adão Silva, encontrou-se com o presidente do Chega, André Ventura, para avaliar um entendimento de incidência parlamentar nos Açores e terá sido combinada uma reunião com o presidente dos sociais-democratas, Rui Rio, mas que nenhuma das partes confirma ter ocorrido, segundo o jornal.

Esta manhã, o órgão restrito da direção do PSD – Comissão Permanente – negou que tenha havido qualquer entendimento nacional e reiterou que “a negociação dos quatro pontos que viabilizam os votos favoráveis dos deputados açorianos do Chega ao Governo PSD/CDS/PPM foi feita a nível regional”.

Ventura reagiu, mas apenas para sublinhar a possibilidade de repetição de um acordo com o PSD, mas a nível nacional. “Houve uma situação nos Açores em que o Chega era fundamental para viabilizar qualquer governo, nós avisámos que isso ia acontecer. Avisámos que ia acontecer nos Açores, que ia acontecer aqui, que vai eventualmente acontecer aqui e que era impossível à direita haver maiorias sem o Chega”, sublinhou.

O Chega queria uma revisão constitucional que incluísse a castração química de pedófilos, a prisão perpétua ou a reforma fiscal, mas os entendimentos com os sociais-democratas nessas matérias não foram possíveis, embora o acordo para a redução de deputados ou a no combate à corrupção tenha sido “importante”.

“Quando nos dizem: mas foi o PSD que não se moveu ou foi o Chega que se moveu? Quando há um encontro de vontades, acho que das duas partes tem que haver essa capacidade”, justificou, acrescentando que não vale a pena existir “diabolizações” se depois os partidos vão “precisar uns dos outros”.

Ventura pediu aos sociais-democratas que compreendam o “novo contexto político” nacional à direita, afirmando acreditar que não haverá governo à direita em Portugal “na próxima década” sem o Chega. “Se não criarmos uma plataforma de ponte possível, não há governo à direita em Portugal na próxima década. Nós não temos intenções de desaparecer, portanto, a menos que o PSD conseguisse formar governo com o CDS e IL, vão precisar do Chega e já sabem o que o Chega exige”, declarou.

No passado dia 25 de outubro, o PS venceu as eleições legislativas regionais mas perdeu a maioria absoluta. PSD, CDS-PP e PPM, que juntos representavam 26 deputados, anunciaram esta semana um acordo de governação, tendo alcançado acordos de incidência parlamentar com o Chega e o Iniciativa Liberal (IL).

O líder do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, foi indigitado no sábado presidente do Governo Regional pelo representante da República para os Açores, Pedro Catarino.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A reunião não foi com o homólogo do PSD, Rui Rio. Foi com Alzira Pacheco, empregada de limpeza na rua de São Caetano. Tal a importância que lhe dão.

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …