“Não me calarei”. Ana Gomes começa a ser julgada por acusações a Isabel dos Santos

Pedro Nunes / Lusa

Ana Gomes

A ex-eurodeputada socialista começa, esta terça-feira, a responder judicialmente numa queixa cível de Isabel dos Santos por causa de acusações feitas à empresária angolana de estar a usar Portugal para “lavar” dinheiro.

O julgamento da ação cível começa esta terça-feira, às 14h00, no Juízo Local Cível de Sintra. Segundo o jornal Público, Isabel dos Santos alega que a acusação feita nos tweets “não corresponde à verdade” e que “não restou outra alternativa” senão processar a ex-eurodeputada.

Em declarações ao diário, Ana Gomes, por sua vez, afirma que é “uma cidadã interveniente” e que não vai mudar. “Não me calarei sobre estas questões”, declara.

Em causa está uma publicação na sua conta do Twitter, no dia 14 de outubro, reagindo a uma entrevista da empresária angolana à agência Lusa: “Isabel dos Santos endivida-se muito porque, ao liquidar as dívidas, ‘lava’ que se farta! (…) E o Banco de Portugal não quer ver…”.

Depois do primeiro post, a ex-eurodeputada socialista acusou a empresária de usar o EuroBic (banco de que é acionista) para legalizar o seu dinheiro: “Que jeito dá à (…) acionista Isabel dos Santos o banco EuroBic! Está na rede swift e na Zona Euro”.

A 31 de outubro, o EuroBic também anunciou que iria mover uma ação contra a ex-eurodeputada, que tem acusado figuras ligadas ao regime angolano de usarem Portugal para legalizarem o dinheiro desviado de Angola, particularmente durante a gestão de José Eduardo dos Santos.

Em comunicado enviado às redações, a instituição presidida pelo antigo ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, afirma que as “afirmações e insinuações” de Ana Gomes são “falsas” e que, por lesarem o “bom-nome e a reputação do EuroBic, o banco decidiu avançar com os procedimentos judiciais adequados com vista à salvaguarda dos seus direitos”.

Em entrevista em novembro à Lusa, Ana Gomes afirmou que vai apresentar na Justiça “todos os elementos” que possui, envolvendo as dúvidas que tem lançado à origem dos investimentos da empresária angolana.

“Eu mantenho tudo aquilo que disse. E disse que tenho fornecido a várias instâncias, europeias e nacionais, muita informação que deveria levar a questionar a idoneidade da senhora dona Isabel dos Santos”, afirmou na altura.

Para Ana Gomes, a queixa anunciada pelo EuroBic será uma forma de responder com os elementos que afirma possuir e que “só não vê quem não quer”.

“Eu não estou nada preocupada com a senhora engenheira Isabel dos Santos. Eu estou, e desde há muito tempo, é preocupada com as facilidades e as cumplicidades que a senhora engenheira encontrou para investir em Portugal”, com “dinheiro que obviamente pertencia, pertence, ao povo angolano“, disse ainda.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. è de louvar pessoas com a CORAGEM da Srª Ana Gomes p/ enfrentar tudo e todos do SISTEMA implantado de Corrupção, falsidades etc quer por gente de Angola quer por gente de Portugal. Andam a ROUBAR toda a gente á décadas, tanto lá como cá. Efetivamente só não vê quem não quer, está na cara…
    Esta dita engª. encontrou uma mina que nuca mais acaba, de trabalho não foi certamente, para levar a vida faustosa que sempre levou. Portugal é uma maquina de lavar.

RESPONDER

Em termos económicos estamos pior que "numa situação de guerra", diz Daniel Bessa

“Na recuperação da economia não podemos esperar uma fase ascendente tão rápida. Vamos ter uma recuperação mais lenta", alerta o economista Daniel Bessa. O economista Daniel Bessa considera que a atual situação económica, decorrente da pandemia, …

Escolas não devem reabrir em abril

Esta terça-feira ao início da tarde, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu que as escolas vão manter-se fechadas até ao final de abril. Marcelo Rebelo de Sousa esteve reunido, esta terça-feira, com especialistas …

Câmara de Comércio e Governo criam gabinete de apoio às empresas

A Câmara de Comércio e Indústria (CCIP) e o Governo criaram um gabinete de apoio às empresas para esclarecer e facilitar o acesso das companhias às ajudas lançadas pelo executivo. Segundo noticiou a TSF, a estrutura, …

Tragédia continua. Encontrado corpo de sobrinha-neta de John F. Kennedy

O corpo da sobrinha-neta do ex-Presidente norte-americano John F. Kennedy, que estava desaparecida com o filho desde quinta-feira, foi encontrado na segunda-feira, informaram esta terça-feira os meios de comunicação norte-americanos. Maeve Kennedy Townsend McKean, de 40 …

Jornal Económico e A Bola avançam para regime de lay-off

O Jornal Económico e o desportivo A Bola vão avançar para o regime de lay-off devido a quebras significativas nas vendas e publicidade desencadeadas pela pandemia de covid-19, que já fez mais de 300 vítimas …

Moratória nos créditos à habitação não suspende Seguros (e pode ter que os pagar durante mais tempo)

A suspensão dos pagamentos dos empréstimos do Crédito à Habitação, por parte dos clientes bancários que queiram aderir à moratória aprovada pelo Governo, pode não travar os pagamentos dos Seguros de Vida e Multi-riscos que …

Espanha poderá ser o primeiro país na Europa a avançar com rendimento básico universal

A ministra da Economia espanhola assegurou, este domingo, que o Governo está a trabalhar para aplicar o rendimento básico universal, embora não tenha dado ainda uma data concreta. Em declarações ao canal televisivo laSexta, a ministra …

Presidente revela que não está imune e é contra "descompressão" de medidas em abril

O Presidente da República revelou numa entrevista esta terça-feira divulgada pela Antena 1 que já fez um dos novos testes sorológicos para detetar a presença de anticorpos para o novo coronavírus e não está imunizado. "Depois …

Ministros das finanças procuram entendimento. Itália ameaça consenso de Centeno

Os ministros das Finanças da zona euro voltam a reunir-se esta terça-feira, por videoconferência, com a responsabilidade de chegarem a um compromisso sobre uma resposta comum para minimizar os efeitos da pandemia covid-19, precisando para …

Empresas estão a cobrar às farmácias 150 euros por caixa de máscaras

Empresas, muitas das quais nem sequer são do ramo farmacêutico, estão a cobrar às farmácias 150 euros por uma caixa de máscaras. Antes, eram vendidas por cinco euros. A pandemia de covid-19 levou a que a …