100 milhões em 100 dias. Amazon oferece ajuda a Biden para cumprir meta de vacinação

A gigante tecnológica Amazon ofereceu-se para ajudar a administração do recém-empossado Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a cumprir a meta de vacinar 100 milhões de pessoas nos próximos 100 dias.

“A nossa escala permite-nos ajudar o Governo de Biden a cumprir a sua meta de 100 milhões de vacinações contra o novo coronavírus nos próximos 100 dias”, escreveu Dave Clark, líder mundial de operações da Amazon, numa carta dirigida esta quarta-feira ao Governo norte-americano a que a agência noticiosa Reuters teve acesso.

De acordo com Clark, a Amazon tem “um acordo em vigor” com um provedor de saúde para administrar vacinas nas suas próprias instalações. O responsável não adianta, contudo, que espaços é que estão a ser considerados para o efeito.

“Estamos preparados para alavancar as nossas operações, tecnologias de informação, capacidades de comunicação e experiência para ajudar nos esforços de vacinação [contra a covid-19] da sua administração”, pode ler-se ainda na missiva.

Clark acrescenta ainda que a Amazon, a maior empresa de retalho online do mundo, está capacitada para “agir rapidamente assim que as vacinas estiverem disponíveis“.

Joe Biden tomou posse nesta quarta-feira como Presidente dos Estados Unidos e, nesta quinta-feira, já assinou vários decretos que visam combater a pandemia de covid-19 nos Estados Unidos, o país mais afetado em todo o mundo em mortes e casos.

Alguns dos decretos ditam que fundos contra desastres sejam utilizados para reabrir escolas e outros impõem o uso obrigatório de máscaras em aviões e autocarros.

Espera-se que a administração de Biden marque uma mudança de paradigma no combate à pandemia em solo norte-americano. “Com o estado atual da nossa nação não havia tempo a perder. Temos de começar a trabalhar imediatamente”, afirmou o 46.º Presidente dos Estados Unidos esta quinta-feira, citado pelo semanário Expresso.

A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 2.075.698 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias AFP a partir de fontes oficiais até às 11:00. Mais de 96.825.840 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 406.162 mortes para 24.438.935 casos de infeção, segundo o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 212.831 mortes e 8.638.249 casos, a Índia com 152.869 mortes (10.610.883 casos), o México com 144.371 mortes (1.688.944 casos) e o Reino Unido com 93.290 mortos (3.505.754 casos).

Sara Silva Alves Sara Silva Alves, ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …

Mais 41 mortes e 718 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, este domingo, mais 41 mortes e 718 novos novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 718 …

Navalny chega a colónia penal a leste de Moscovo

O principal opositor do Kremlin chegou, este domingo, a uma zona a cerca de 200 quilómetros a leste de Moscovo para ser transferido para uma colónia penal onde vai cumprir a sua pena, informou um …

Já chegou o voo de repatriamento com 300 passageiros vindos do Brasil

O voo de repatriamento vindo do Brasil chegou, este domingo de manhã, ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com cerca de 300 passageiros. De acordo com a RTP, o voo de repatriamento vindo de São Paulo, …

Costa imune ao descontrolo da pandemia. Popularidade de Marcelo dispara

A sondagem TSF/JN/DN regista uma avaliação positiva do primeiro-ministro e do Presidente da República, com este a atingir um novo pico de popularidade. Os líderes do PSD e do Chega surgem empatados como principais figuras da …

Mais seis mortos nos protestos em Myanmar. Embaixador na ONU afastado

Seis manifestantes foram mortos em Myanmar, este domingo, por forças de segurança que dispersavam com violência as manifestações pró-democracia. Três manifestantes foram mortos em Dawei (no sul do país), enquanto dois adolescentes, de 18 anos, morreram …

Siza Vieira anuncia que Programa Apoiar vai ser reforçado e alargado

O programa Apoiar, destinado a empresas afetadas pela pandemia da covid-19, vai ser reforçado e alargado a novas situações, anunciou o ministro da Economia, indicando que as medidas vão ser anunciadas na próxima semana. "Queremos reforçar …

Embaixadora deixa Venezuela na terça-feira. UE chama embaixador em Cuba

A embaixadora da União Europeia na Venezuela vai sair do país na terça-feira, informou à agência Lusa fonte diplomática europeia, sem adiantar mais detalhes. Na última quarta-feira, a Venezuela decidiu expulsar Isabel Brilhante Pedrosa, em retaliação …

EUA aprovam vacina unidose da Johnson & Johnson. Nova Zelândia volta ao confinamento

O regulador do medicamento norte-americano aprovou, este sábado, a vacina contra a covid-19 da Johnson & Johnson, a terceira autorizada nos Estados Unidos. A vacina em causa da Johnson & Johnson é de dose única e junta-se …