Governo quer alterar mapa dos tribunais. Juízes contestam

Manuel de Sousa / Wikimedia

Palácio da Justiça / Tribunal da Relação do Porto

O Ministério da Justiça fez uma reavaliação do mapa judicial, mas a maioria dos magistrados que dirigem as 23 comarcas judiciais do país contestam as medidas.

Depois de ter reaberto 20 tribunais em 2016 que tinham sido encerrados pelo Governo de Passos Coelho, o Ministério da Justiça propõe agora alterações por todo o país à forma como estes estão organizados.

Segundo o Público, o Ministério da Justiça encomendou um estudo com uma proposta de novo mapa judiciário que já foi enviado para o Parlamento. Este estudo sugere algumas alterações menores, como a transferência de competências de uns tribunais para os outros dentro da mesma comarca, por exemplo.

Há algumas alterações, contudo, que estão a preocupar os magistrados, como o caso da criação de um tribunal de comércio em Lagoa, no Algarve, com abertura prevista para setembro. No entanto, o jornal frisa que a maioria dos juízes que dirigem as 23 comarcas judiciais do país não conhecem o documento de 400 páginas.

A maioria das medidas relaciona-se com a distribuição de competências entre os vários tribunais e esse é o caso da proposta de realização de julgamentos de processos cíveis em tribunais de proximidade, numa tentativa de aproximar tribunais e populações, já que “não afetará a capacidade de resposta do atual sistema nem acarretará custos relevantes”.

Outra das propostas relaciona-se com o facto de alguns juízes poderem ficar afetos não apenas a um único tribunal, mas sim a dois. O jornal aponta como exemplo o caso de Amarante: no próximo concurso, os juízes que se candidatarem a esse juízo local cível terão de trabalhar também nos processos de Felgueiras.

Ana Mafalda Santos, que governa a única comarca que não foi contemplada com qualquer tipo de alteração, lamenta que neste estudo a comarca de Portalegre se mantenha apenas com jurisdição do trabalho. “Esta comarca ficou um bocadinho esquecida. Aqui a reforma parou”, disse ao jornal.

Também José Lúcio, do distrito de Beja, está descontente. “Brincar com a organização da Justiça traz problemas terríveis”, avisou, queixando-se da falta de funcionários judiciais e condições materiais.

A comarca de Lisboa Norte queixa-se do facto de o estudo ter chegado primeiro ao Parlamento do que às Comarcas. Coimbra questiona os critérios utilizados na elaboração do documento.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O poder político quer “pôr as mãos” no poder judicial, por motivos óbvios!!!!!

    (se alguma vez o conseguir, então é que vai ser o descalabre! será o deboche total… )

RESPONDER

Filho de Biden quebra o silêncio. "Sei que não fiz nada errado"

O filho do ex-vice-Presidente norte-americano, que tem estado no centro do inquérito para a destituição de Donald Trump, admitiu que o seu percurso profissional na Ucrânia foi uma má decisão, rejeitando, porém, ter feito algo …

Já se sabe onde se vão sentar os novos partidos no Parlamento

A deputada do Livre vai sentar-se entre PCP e PS, o deputado da Iniciativa Liberal entre PSD e CDS-PP e o deputado do Chega o mais à direita, todos na segunda fila. A conferência de líderes …

Rota do Cabo: Funcionária emitiu 15 mil números de contribuinte fraudulentos em três anos

Funcionários das Finanças, da Segurança Social, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e advogados estão entre os principais suspeitos desta rede criminosa de auxílio à imigração ilegal. A Polícia Judiciária (PJ) desmantelou, esta terça-feira, uma organização …

"É desonesto eu pagar". Paulo Maló revoltado por causa das dívidas do império que criou

O empresário e médico dentista Paulo Maló, fundador do grupo Malo Clinic, está revoltado com a possibilidade de ter que responder financeiramente no âmbito das dívidas de 70 milhões de euros que a empresa acumulou. O …

Sismo de magnitude 6.7 atinge as Filipinas

Um terramoto de magnitude 6.7 atingiu as Filipinas, a 69 quilómetros da cidade de Davao, avança a agência Reuters. De acordo com o Serviço de Prevenção de Tsunamis do Pacífico, não é esperado um tsunami …

Web Summit: Câmara de Lisboa terá que pagar mais 4,7 milhões de euros para assegurar edição deste ano

A Câmara de Lisboa vai discutir na quinta-feira alterações ao acordo para a realização da Web Summit, entre as quais o pagamento de mais 4,7 milhões de euros e o adiamento da expansão da Feira …

Business Insider: "Lisboa foi feita para o Instagram"

"Lisboa é cool." Hillary Hoffower, jornalista do Business Insider, apaixonou-se e descreveu a capital portuguesa num artigo em que diz entender porque é que Lisboa se tornou no "destino mais popular entre millenials em 2019". Hillary …

Bolsonaro prestes a deixar PSL. Partido da IURD na corrida para o receber

Em rota de colisão com o seu atual partido, o Partido Social Liberal (PSL), o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro equaciona romper e já recebeu cinco convites de partidos de pequeno e médio porte, admitiu a …

Antigo ministro Pedro Mota Soares assume liderança da Apritel

O ex-ministro e ex-deputado do CDS foi o escolhido para liderar a Apritel, a associação que representa as principais operadoras de telecomunicações, como a Meo, a Nos e a Vodafone. O novo secretário-geral da associação …

E depois de Cristas? CDS atira congresso de sucessão para 2020

A direção nacional do partido vai propor que o Congresso, que decidirá a liderança do CDS, seja apenas em janeiro, apesar de Assunção Cristas ter manifestado vontade de que fosse ainda este ano. O CDS-PP reúne …