Alterações climáticas podem trazer à Europa um milhão de migrantes por ano

As alterações climáticas vão provocar um aumento significativo do número de migrantes que chegam anualmente à Europa, segundo um estudo da Universidade de Columbia.

Segundo um estudo realizado pela Universidade de Columbia, em Nova Iorque, publicado na revista Science, o número de migrantes que procuram asilo na Europa vai triplicar até 2100, caso as tendências climáticas se mantenham.

Bob Ward, diretor de comunicação e políticas do Instituto de Pesquisa de Grantham das Alterações Climáticas e Ambiente, na London School of Economics and Political Science, disse ao The Guardian que este estudo “demonstra os impactos que a Europa vai sofrer com as alterações climáticas”.

De acordo com o Expresso, mesmo que os esforços para controlar o aquecimento global se mantenham e sejam bem sucedidos, o número de solicitações de asilo pode aumentar até 25%.

“Sabemos pela história da humanidade que tamanhas migrações geralmente levam a conflitos e guerras com consequências devastadoras”, adverte Ward.

O estudo prevê que as alterações climáticas se traduzam em mais secas, vagas de calor, cheias, tempestades intensas, aumento do nível médio das águas do mar e outras situações extremas. Estes efeitos vão dificultar a agricultura, nomeadamente na África subsariana e em partes da Ásia.

Os efeitos serão também sentidos na Europa. No entanto, as suas temperaturas bases, que são mais baixas, e as avançadas infraestruturas fazem com que os estragos possam ser controlados, tornando-se um destino atrativo para os migrantes.

Segundo as comparações realizadas pelos autores do estudo, há uma correlação entre a meteorologia e o número de pedidos de asilo. Em países com temperatura média de 20º, por exemplo, verificou-se um número elevado de candidaturas a migração, do que em outros países com temperaturas médias mais baixas.

Como avança o Expresso, a migração para a Europa aumentou significativamente nos últimos dez anos. As causas principais foram a guerra na Síria, as crises na África do Norte e no Médio Oriente e a a vaga crescente de jovens provenientes da África e do Médio Oriente em busca de oportunidades económicas.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Escorraçaram-nos de lá agora vêm ter connosco, os alunos de Moscovo que tomaram conta do poder por essas paragens também devem ter soluções para resolver a situação e manter o povo com um mínimo de dignidade segundo as promessas que fizeram.

  2. Uns falam em aquecimento global outros falam em “mini era do gelo”…
    Acho que estes cientistas não fazem puto ideia do que falam…
    Enfim. Vivam cada dia com alegria e aproveitem sempre o momento presente!

RESPONDER

Há uma cidade na Venezuela que é "invisível"

Guanta está lá, embora não seja fácil vê-la. Vistas a partir de El Morro, do outro lado da baía, as suas luzes piscam sob uma nuvem baixa. É uma nuvem diferente das outras, mais espessa, mais …

Há novas regras para subir ao Everest. E é preciso apresentar currículo

O Nepal acaba de anunciar novas regras para escalar o Evereste. Com 8848 metros de altitude, é a montanha mais alta do mundo e verdadeira obsessão para alguns alpinistas, colecionadores de cumes, e cujo número …

"Não há comida, nem dinheiro". Bolsonaro reduz horário do exército

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse esta sexta-feira que todo o país "está sem dinheiro", o que levará o Exército a trabalhar em horário reduzido, acrescentando que há falta de comida para os recrutas. "O Exército …

“Vacinada contra o socialismo”, Zita Seabra troca PSD pelo Iniciativa Liberal

A ex-dirigente comunista Zita Seabra, que até há poucos meses era militante do PSD, deixou os sociais-democratas para os trocar pela recém-criada Iniciativa Liberal. Zita Seabra disse ao Expresso que acredita que “os caminhos para refazer …

O bom gigante que quis voltar agora não quer sair

O Sporting ainda está a preparar o plantel para a época que acaba de arrancar, e a cada vez mais provável permanência de Bruno Fernandes obriga a SAD a vender alguns dos seus ativos. Bas …

"Lá vai o 'experto' dos pneumáticos". Ana Gomes volta a provocar Luís Filipe Vieira

A ex-eurodeputada socialista, Ana Gomes, utilizou um artigo publicado na revista económica norte-americana Forbes para voltar ao tema do financiamento de clubes de futebol. Nas redes sociais, Ana Gomes provocou o "experto dos pneumáticos" com a …

Fenprof acusa Governo de eleitoralismo com antecipação de colocação de docentes

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) acusou o Ministério da Educação de ter mais interesse nas eleições do que nas escolas e nos professores, comentando desta forma a antecipação da divulgação das listas de colocação …

Guimarães vê perigo em pedreiras e fecha estrada. Ministério do Ambiente não

A freguesia de Airão Santa Maria tem uma estrada encerrada entre duas pedreiras desde março. A Câmara Municipal de Guimarães entendeu que estava em causa a segurança da população e mandou cortar o caminho com …

Água do mar está mais fria no Algarve do que no Minho (e já se sabe porquê)

Nas regiões mais a sul do país, em especial na costa ocidental mas mesmo em algumas zonas do Algarve, a água do mar está mais fria do que no norte do país. A culpa, escreve o …

A despesa pública nunca foi tão pouco produtiva

Apenas um em cada seis euros gastos pelo Estado português tem hoje impacto direto positivo no crescimento da economia a longo prazo. Os dados atualmente disponíveis só vão até 2017, mas os mínimos agora atingidos prenunciam …