Acordo global de comércio na OMC dá 1 bilião de dólares à economia mundial

foto: o.d. puroticorico / flickr

foto: o.d. puroticorico / flickr

O acordo alcançado na Organização Mundial de Comércio (OMC) no sábado, em Bali, na Indonésia, estabelecendo um acordo global de comércio, pode acrescentar 1 bilião de dólares à economia mundial, segundo várias associações empresariais citadas pela agência Bloomberg.

O acordo alcançado pelos 159 membros da OMC pode acrescentar 1 bilião de dólares à economia mundial, cerca de 730 mil milhões de euros, segundo as estimativas dos apoiantes e membros das associações empresariais mundiais, mas os ativistas humanitários que consideram que o acordo pouco faz pelos pobres e os agricultores norte-americanos – os maiores exportadores mundiais – mostraram pouco entusiasmo com o acordo, segundo a avaliação da agência Bloomberg.

“O acordo de Bali com sucesso compra tempo para a OMC provar que as conversações sobre comércio multilateral podem ser produtivas numa base regular e de forma atempada”, disse um advogado comercial em Washington, acrescentando que “o risco é que os membros da OMC não ataquem as questões subjacentes que têm paralisado a capacidade da organização de responder às mudanças no ambiente empresarial no mundo”.

A OMC chegou no sábado a acordo para a aprovação de um pacote “histórico” e global de dez acordos sobre o comércio global, pela primeira vez na sua história.

O “pacote de Bali“, um acordo de facilitação do comércio global através da redução de barreiras comerciais – menos ambicioso do que o desenhado há 12 anos em Doha – envolve, além do tópico da agricultura, um pacote de ajudas a países em desenvolvimento, entre outros.

O governo português, pela voz do secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Bruno Maçães, destacou à Lusa que o acordo era “quase uma condição prévia para Portugal dar o salto” nos mercados globais.

Numa altura em que Portugal está a aumentar as exportações, sobretudo para fora da Europa, o Acordo de Facilitação do Comércio era “fundamental”, representando “quase uma condição prévia para Portugal dar o salto para ter uma posição muito mais importante nos mercados globais”, disse o governante à agência Lusa, em Bali.

Bruno Maçães reforçou que “a burocracia alfandegária em mercados difíceis” será combatida “com disposições muito claras” que garantam, por exemplo, que “os bens em alfandegas têm de ser despachados no período mais breve possível”.

Estas mudanças, que permitirão a Portugal reduzir os custos de transação em cerca de 10 por cento, deverão começar a ser visíveis “dentro de alguns meses” nalguns mercados, dependendo da rapidez na implementação das medidas em cada país, explicou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …