Com 92% dos votos contados, Netanyahu e Gantz em empate quase perfeito

Ronen Zvulun / EPA

Os primeiros resultados mostram um empate técnico entre os partidos de Benjamin Netanyahu e Benny Gantz. Os resultados obtidos pelos pequenos partidos poderão marcar a diferença.

Segundo a imprensa local, com 92% dos votos contados, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, e o antigo chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas que lidera a coligação centrista, Benny Gantz, estão neste momento numa situação de empate.

Esta terça-feira, os israelitas foram, pela segunda vez em cinco meses, a votos para escolher o próximo chefe de Estado. Segundo o Observador, se estes resultados se mantiverem, esperam-se longos meses de negociações para um futuro governo.

Fonte oficial da campanha informou o The Guardian que, às 9h00 locais (7h00 em Lisboa), apenas 42% dos votos estavam contados e, segundo esta fonte, o Likud estava ligeiramente à frente, com 28%, enquanto que Gantz somava 27%.

Ainda assim, os órgãos de comunicação social locais afirmam que já foram contados cerca de 90% dos votos e apontam para o empate. As mesmas fontes dão 32 lugares a cada partido.

O Haaretz apresentou um gráfico que, da mesma forma, dá um empate para o Likud e para Gantz. No entanto, uma última atualização do Israel National News mostra que o Azul e Branca de Gantz poderá ter uma ligeira vantagem: 33 assentos, mais dois do que o Likud, que para já contará com 31.

Face a estes resultados, o The New York Times avança que serão os partidos mais pequenos a definir os resultados destas eleições, pela via da coligação. De acordo com o jornal, este é um resultado “sombrio” para Netanyahu.

O Expresso avança que, na madrugada desta quarta-feira, Netanyahu prometeu que formará o próximo elenco governativo. O primeiro-ministro assegurou que “todos os parceiros do Likud querem avançar juntos para construir um Governo forte e não permitir um perigoso Governo antissionista”.

“Vamos unir-nos nas missões que temos pela frente no Likud e em Israel. Ainda estamos a aguardar os resultados finais mas uma coisa é certa: o Estado de Israel está num momento histórico de grande desafios e oportunidades diplomáticas e de segurança”, disse, citado pelo The Jerusalem Post.

Por sua vez, Benny Gantz, já tinha falado, numa altura em que os resultados parciais lhe davam uma ligeira vantagem sobre Netanyahu. O antigo militar disse que está na hora de curar as feridas da sociedade e prometeu que a sua formação partidária irá começar a trabalhar de imediato num amplo Governo de unidade nacional.

“De acordo com os resultados atuais, o povo israelita depositou a sua confiança em nós pela segunda vez. Não ao incitamento e à divisão, sim à unidade! Não à corrupção, sim às mãos limpas! Não às tentativas de destruir a democracia israelita, sim ao sentido de Estado e a Israel como Estado democrático e judaico!”, afirmou.

A referência à corrupção não passa despercebida, uma vez que Netanyahu poderá ser acusado em três casos de corrupção, incluindo um de suborno, devendo ser sujeito a uma audiência de pré-acusação com o procurador-geral no último dia previsto para o Presidente de Israel, Reuven Rivlin, escolher um candidato a primeiro-ministro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bolsonaro agora prefere que filho permaneça no Brasil em vez de ser embaixador nos EUA

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, prefere que o filho Eduardo, deputado do Partido Social Liberal (PSL), permaneça no Brasil para "pacificar" o partido de que ambos fazem parte. Contudo, o Presidente já disse várias …

Catalunha. Torra pede a Governo espanhol início de "diálogo sem condições"

O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, pediu ao Presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, para iniciar "um diálogo sem condições" e acusou-o de não devolver telefonemas. Quim Torra pediu ainda ao ministro do …

Jornais australianos cobriram-se de negro em protesto pela liberdade de imprensa

Vários jornais australianos uniram-se, esta segunda-feira, numa campanha contra as restrições à liberdade de imprensa, cobrindo as suas primeiras páginas de negro. A iniciativa, batizada de "Right to Know" ("O Direito de Saber" em Português), …

Putin e Erdogan iniciam negociações sobre a invasão militar na Síria

O presidente russo, Vladimir Putin, disse hoje que as boas relações entre a Turquia e a Rússia vão permitir influenciar as conversações que acabam de começar sobre a invasão turca da Síria. "A situação na região …

Presidente do Equador culpa Maduro pelos protestos e chama-o de "asno"

Lenín Moreno disse suspeitar de que o Governo venezuelano assegurou o financiamento das ações violentas durante os protestos no país, mas não apresentou provas. O Presidente do Equador, Lenín Moreno, acusou esta segunda-feira o chefe de …

PCP acusa Costa de "retrocesso e erro histórico" por "desmantelar" Ministério da Agricultura

Os dirigentes do PCP acusaram hoje o primeiro-ministro indigitado, António Costa, de cometer "um retrocesso e um erro histórico" ao proceder àquilo que consideram ser o desmantelamento do Ministério da Agricultura dada a nova fórmula …

Petrolíferas mentiram sobre o seu impacto durante décadas

O documento, intitulado "A América enganou", expõe como o setor da energia fóssil financiou e organizou uma “campanha de desinformação” para “suprimir a ação e proteger o status quo nas suas operações económicas. As petrolíferas …

Obstetra do caso do bebé sem rosto suspende realização de ecografias na gravidez

O médico Artur Carvalho, envolvido no caso do bebé que nasceu com malformações graves, comunicou ao bastonário dos Médicos que decidiu suspender a realização de ecografias na gravidez até à conclusão dos processos em análise …

Novas regras facilitam acesso ao subsídio de desemprego

Novas regras que vão entrar em vigor na próxima sexta-feira, dia 1 de novembro, vão facilitar o acesso ao subsídio social de desemprego. O número de meses necessários para aceder ao apoio foi reduzido de …

'Ciganofobia' está no dia-a-dia da sociedade e combate-se com informação, diz secretária de Estado

A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade disse na segunda-feira que a 'ciganofobia' acompanha o dia-a-dia da sociedade portuguesa e que a discriminação das comunidades ciganas se combate com informação e trabalho a …