//

Governo prepara injeção final de 1400 milhões no Novo Banco

1

Desde a venda, em outubro de 2017, o Estado já injetou 1,9 mil milhões de euros no Novo Banco. Agora, o Fundo de Resolução estuda injetar mais 1,4 mil milhões.

O Fundo de Resolução e o fundo Lone Star, principal acionista do Novo Banco, começaram a estudar uma forma de acelerar o processo de saneamento completo da instituição, revela o jornal Público esta sexta-feira. Recorde-se que desde a venda, em outubro de 2017, o Estado já injetou 1,9 mil milhões de euros.

De acordo com o diário, a solução envolve a injeção já este ano, de uma só vez, de mais 1,4 mil milhões de euros, ou seja, um valor que fica acima dos 600 milhões já contabilizados na proposta de Orçamento do Estado (OE) e dos 850 milhões autorizados no mesmo documento.

Com esta operação, o dossiê da recapitalização pública ficaria fechado abaixo do valor máximo definido na venda — 3,89 mil milhões de euros — e antes do prazo do mecanismo de capital contingente que enquadra esta solução e que pode durar mais seis anos, escreve o matutino.

Se todas as partes concordarem com esta medida, o Estado vai libertar 3,3 mil milhões de euros, valor que o Fundo de Resolução estima ser adequado para responder às necessidades do Novo Banco, adianta o Público, acrescentando que isso significaria uma poupança de quase 600 milhões.

Entretanto, refere o site Dinheiro Vivo, o ministério das Finanças emitiu uma nota em que garante que não está a estudar qualquer injeção de capital no Novo Banco. “O Governo não está a estudar qualquer injeção de capital no Novo Banco para ‘acelerar o processo de saneamento completo da instituição financeira'”.

“Não está prevista no Orçamento do Estado para 2020 uma verba no valor de 1,4 mil milhões para o Novo Banco; O Governo não tem nenhuma proposta para análise relativa à ‘estratégia de limpeza dos créditos problemáticos do banco'”.

Na mesma nota, o ministério nota ainda que “continuará a cumprir os termos do contrato de financiamento com o Fundo de Resolução, contemplando o Orçamento do Estado para 2020, tal como nos anteriores, os recursos orçamentais necessários para essa finalidade”.

A resolução, em agosto de 2014, e a venda do Novo Banco já consumiram ao Estado português cerca de 5,8 mil milhões de euros. Os mais recentes resultados do banco mostram um agravamento das perdas, revelando prejuízos de 572,3 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2019.

  ZAP //

1 Comment

  1. estes jornalistas têm que ter mais atençao ao que escrevem
    “Governo prepara injeção final de 1400 milhões no Novo Banco”
    nao é o governo, sao os contribuintes
    um banco que foi vendido e ainda temos que colocar la dinheiro
    assim nao custa nada fazer negocios da china
    mais valis fecharem o benco, pagar as indiminizaçoes e ainda sobrava dinheiro
    o dinheiro que ja metamos no banco, dava para pagar aos lesados e aposto que ainda sobrava dinheiro

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.