A “zona morta” do Golfo do México atingiu o seu maior tamanho de sempre

A “zona morta” do Golfo do México atingiu neste ano o seu maior tamanho na história, afirmou a Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA). É a segunda maior do mundo, ficando atrás apenas da zona morta do Mar Báltico.

Nestas regiões, o nível de oxigénio na água é tão baixo que as espécies só têm duas alternativas: a migração ou a morte. A “zona morta” do Golfo do México está localizada na foz do Rio Mississippi, que atravessa 10 Estados dos EUA antes de chegar ao Golfo do México, perto de Nova Orleães, no sudeste do país.

De acordo com os cientistas, a zona morta atingiu os 22.729 km², quase a área total de El Salvador e 15 vezes o tamanho da Cidade do México. Trata-se da maior extensão alcançada por esta região desde que começou a ser monitorizada em 1985.

Robert Magnien, diretor do Centro de Pesquisas de Património de Oceanos Costeiros da NOAA, explicou que o crescimento sem precedentes da zona morta do Golfo do México está relacionado principalmente com as atividades humanas.

Segundo o especialista, os resíduos gerados pela população, o aumento da agricultura na região e o uso de fertilizantes e outros produtos químicos influenciaram a expansão da área, onde a vida marinha é impraticável.

O tamanho alcançado pela zona morta mostra que a contaminação causada por fertilizantes, principalmente devido às atividades agrícolas, afetam cada vez mais os recursos costeiros e habitats de espécies no Golfo.

Os nutrientes de fertilizantes são levados pelo rio Mississipi e estimulam o crescimento de algas e plâncton que, enquanto se decompõem, consomem muito oxigénio, vital para a existência de vida marinha na região. Além disso, a decomposição destes organismos aumenta os níveis de nitrogénio e fósforo na água.

De acordo com Magnien, “várias espécies e ecossistemas ambientais são afetados pela expansão da zona morta”, uma vez que a falta de oxigénio provoca a perda do habitat dos peixes, obrigando que os animais migrem para outras zonas para sobreviver.

Outro efeito é a redução da capacidade de reprodução e a diminuição do tamanho médio das espécies.

Consequências

Além das consequências ambientais, o crescimento da zona morta tem impactos económicos que afetam a população que vive na região – como a diminuição do tamanho e da quantidade de camarão, cuja pesca é uma das principais atividades na área.

Um estudo recente encomendado pelo NOAA à Universidade de Duke, nos EUA, mostra que a expansão da zona morta provocou o aumento do preço do camarão devido à sua escassez, afetando não só a economia local, mas o mercado de peixe e frutos do mar.

Domínio Público dos EUA / Wikimedia

Imagem de satélite e ilustração da zona morta do Golfo do México

O diretor da NOAA, Steven Thur, explica que as medições desta região são importantes para antecipar tendências e evitar possíveis impactos negativos.

“Essas medições permitem traçar as melhores estratégias para reduzir os impactos sobre a sustentabilidade, a produtividade dos nossos recursos costeiros e a economia”, afirma.

Até hoje, a maior expansão da “zona morta” do Golfo do México tinha sido registada em 2002, quando atingiu 22 mil km². Nos últimos cinco anos, o tamanho médio da região esteve perto dos 15 mil km².

Agora, grupo de trabalho ligado à Agência de Proteção Ambiental dos EUA tem o objetivo de fazer com que a “zona morta” cubra menos de 5 mil km² de área marinha.

Entre as atividades promovidas pelo governo americano para reduzir o tamanho da região, está a negociação com agricultores do Golfo do México para que o impacto do uso de fertilizantes perto do rio Mississippi seja menor.

Segundo os especialistas, existem mais de 350 zonas mortas no mundo – um número que aumenta a cada ano.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberta a primeira vespa polinizadora da época dos dinossauros

Uma equipa de cientistas encontrou a primeira vespa polinizadora (prosphex anthophilos), que conviveu com dinossauros há cerca de 100 milhões de anos. O animal foi encontrado num fragmento de resina fossilizada em Mianmar, na Birmânia, segundo …

China está a vender drones assassinos ao Médio Oriente

A China está a vender drones capazes de matar automaticamente, sem necessidade de controlo humano. Os seus principais clientes serão a Arábia Saudita e o Paquistão. Segundo o site Defense One, uma empresa chamada Ziyan está …

Aumento da temperatura pode vir a matar 1,5 milhões de indianos por ano

Se as emissões globais de gases de efeito de estufa não forem interrompidas, cerca de 1,5 milhões de indianos podem vir a morrer anualmente até 2100 devido ao aumento das temperaturas. Os números contam de …

O vencedor do Tour de France, Egan Bernal, pode ter beneficiado de uma vantagem genética

O ponto de viragem da Tour de France deste verão ocorreu no alto de uma montanha nos Alpes franceses. Foi o resultado de anos de treinamento e, de acordo com um estudo divulgado na segunda-feira, …

Mina Chang utilizou uma capa falsa da Time no CV e conseguiu chegar ao Governo de Trump

Mina Chang, vice-secretária adjunta do Gabinete de Operações de Conflitos e Estabilização do Departamento de Estado dos Estados Unidos, mentiu no seu currículo para conseguir alcançar um lugar no Governo de Donald Trump. De acordo com …

Jovem norueguesa controla 450 perfis no Instagram para tentar evitar suicídios

Uma norueguesa de 22 controla 450 perfis privados no Instagram para tentar evitar suicídios, conta a emissora britânica BBC, revelando ainda que a jovem recebeu já o apelido de "salva-vidas" devido ao trabalho que leva …

Espanha vai tentar exumar 31 corpos que se encontram no Vale dos Caídos

As autoridades espanholas vão tentar exumar 31 dos milhares de corpos de pessoas enterradas no Vale dos Caídos, um grande mausoléu onde esteve enterrado o ditador Francisco Franco até ao mês passado. Segundo a agência Associated …

Holanda reduz velocidade máxima nas autoestradas em prol da qualidade do ar (e deixa o primeiro-ministro "muito infeliz")

O Governo holandês vai baixar os limites de velocidade nas autoestradas do país para travar as emissões de monóxido de nitrogénio, que contribui para a degradação da camada de ozono. O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, anunciou …

Facebook para iOS utiliza câmara do iPhone sem que o utilizador note

Há um erro na aplicação do Facebook para iOS - sistema operativo do iPhone - que liga a câmara do telemóvel sem que o utilizador se aperceba quando este faz scrool no feed de …

Tesla vai abrir a sua primeira fábrica na Europa

O construtor de carros elétricos Tesla vai abrir uma fábrica nos arredores de Berlim, anunciou o presidente executivo da empresa, Elon Musk, na terça-feira à noite ao receber um prémio na capital alemã. “Tenho uma informação …