A “zona morta” do Golfo do México atingiu o seu maior tamanho de sempre

A “zona morta” do Golfo do México atingiu neste ano o seu maior tamanho na história, afirmou a Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA). É a segunda maior do mundo, ficando atrás apenas da zona morta do Mar Báltico.

Nestas regiões, o nível de oxigénio na água é tão baixo que as espécies só têm duas alternativas: a migração ou a morte. A “zona morta” do Golfo do México está localizada na foz do Rio Mississippi, que atravessa 10 Estados dos EUA antes de chegar ao Golfo do México, perto de Nova Orleães, no sudeste do país.

De acordo com os cientistas, a zona morta atingiu os 22.729 km², quase a área total de El Salvador e 15 vezes o tamanho da Cidade do México. Trata-se da maior extensão alcançada por esta região desde que começou a ser monitorizada em 1985.

Robert Magnien, diretor do Centro de Pesquisas de Património de Oceanos Costeiros da NOAA, explicou que o crescimento sem precedentes da zona morta do Golfo do México está relacionado principalmente com as atividades humanas.

Segundo o especialista, os resíduos gerados pela população, o aumento da agricultura na região e o uso de fertilizantes e outros produtos químicos influenciaram a expansão da área, onde a vida marinha é impraticável.

O tamanho alcançado pela zona morta mostra que a contaminação causada por fertilizantes, principalmente devido às atividades agrícolas, afetam cada vez mais os recursos costeiros e habitats de espécies no Golfo.

Os nutrientes de fertilizantes são levados pelo rio Mississipi e estimulam o crescimento de algas e plâncton que, enquanto se decompõem, consomem muito oxigénio, vital para a existência de vida marinha na região. Além disso, a decomposição destes organismos aumenta os níveis de nitrogénio e fósforo na água.

De acordo com Magnien, “várias espécies e ecossistemas ambientais são afetados pela expansão da zona morta”, uma vez que a falta de oxigénio provoca a perda do habitat dos peixes, obrigando que os animais migrem para outras zonas para sobreviver.

Outro efeito é a redução da capacidade de reprodução e a diminuição do tamanho médio das espécies.

Consequências

Além das consequências ambientais, o crescimento da zona morta tem impactos económicos que afetam a população que vive na região – como a diminuição do tamanho e da quantidade de camarão, cuja pesca é uma das principais atividades na área.

Um estudo recente encomendado pelo NOAA à Universidade de Duke, nos EUA, mostra que a expansão da zona morta provocou o aumento do preço do camarão devido à sua escassez, afetando não só a economia local, mas o mercado de peixe e frutos do mar.

Domínio Público dos EUA / Wikimedia

Imagem de satélite e ilustração da zona morta do Golfo do México

O diretor da NOAA, Steven Thur, explica que as medições desta região são importantes para antecipar tendências e evitar possíveis impactos negativos.

“Essas medições permitem traçar as melhores estratégias para reduzir os impactos sobre a sustentabilidade, a produtividade dos nossos recursos costeiros e a economia”, afirma.

Até hoje, a maior expansão da “zona morta” do Golfo do México tinha sido registada em 2002, quando atingiu 22 mil km². Nos últimos cinco anos, o tamanho médio da região esteve perto dos 15 mil km².

Agora, grupo de trabalho ligado à Agência de Proteção Ambiental dos EUA tem o objetivo de fazer com que a “zona morta” cubra menos de 5 mil km² de área marinha.

Entre as atividades promovidas pelo governo americano para reduzir o tamanho da região, está a negociação com agricultores do Golfo do México para que o impacto do uso de fertilizantes perto do rio Mississippi seja menor.

Segundo os especialistas, existem mais de 350 zonas mortas no mundo – um número que aumenta a cada ano.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Boris Johnson rejeita convocar o Parlamento durante as férias

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, rejeitou esta segunda-feira a ideia de convocar o Parlamento durante as férias, depois da divulgação de documentos alertando para a escassez de alimentos e outros bens no caso de um …

Donald Trump partilha imagem da Trump Tower na Gronelândia

Donald Trump prometeu não construir uma Trump Tower na Gronelândia, o território autónomo da Dinamarca que quer comprar por ser um “grande negócio imobiliário”. A fotomontagem foi publicada no Twitter pelo Presidente dos Estados Unidos. A …

Dia vira noite. Às 15 horas já estava escuro em São Paulo

Uma frente fria encontrou-se com uma massa de ar que continha partículas de incêndios florestais da região da Amazónia. O choque de temperatura entre as duas massas, teve como resultado o escurecimento do dia. Durante a …

Zé Luís rejeitou salário três vezes mais alto para vir para o FC Porto

Com a ambição de representar o FC Porto, Zé Luís teve de fazer sacrifícios a nível financeiro. O cabo-verdiano rejeitou uma proposta da China com um salário muito mais alto. Zé Luís parece começar a justificar …

Motorista que conduziu Marcelo entre Lisboa e Porto mandou um e-mail. Foi investigado como "ameaça ao Estado"

O Governo recebeu um email a avisar que a greve dos motoristas ia provocar o caos, fazendo parar muitos serviços - e lembrando que assim caiu um governo no Chile. O executivo receou que fosse uma …

Marinho e Pinto quer Pardal Henriques como deputado do Partido Democrático Republicano

Ainda que não tenha confirmado Pedro Pardal Henriques como um dos cabeça-de-lista do partido que fundou, Marinho e Pinto não poupou elogios ao advogado do Sindicato de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) . “Seria um …

TAP vai deixar de contar para o défice orçamental

A 15 dias das eleições legislativas, o défice orçamental de 2018 vai ser revisto em baixa. Em causa estão os prejuízos da TAP que deixam de influenciar as contas nacionais. A alteração será comunicada a duas …

Imigrantes desesperam com atrasos no SEF. Bloco questiona Governo

As marcações para atendimento no SEF estão suspensas até ao final deste ano e não existem datas disponíveis nem agenda definida para 2020, levando muitos imigrantes a ficar em risco de irregularidade. A espera para conseguir …

Rui Rio esteve de cócoras a confecionar tapetes em Viana do Castelo. Mas quer país governado “bem de pé”

O líder do PSD, Rui Rio, esteve “de cócoras” a confecionar tapetes floridos em Viana do Castelo, na noite de segunda-feira, assumindo que aquela posição é desaconselhada para governar o país. Duzentos metros ao lado, António …

Empresa está há 12 anos à espera que o Fisco lhe devolva 86 mil euros

Uma empresa do sector alimentar está há 12 anos à espera que o Fisco lhe devolva 86 mil euros de uma caução paga no âmbito de uma queixa que apresentou contra a Autoridade Tributária (AT). …