Yevgeny Prigozhin dado como morto em acidente de avião

9

// Meduza

O líder do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin.

Prigozhin não terá sobrevivido a um acidente de um avião privado, onde seguiam mais nove pessoas. Não se sabe se a queda da aeronave foi acidental ou se se tratou de um ataque.

O líder do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, está a ser dado como morto após sofrer num acidente com um avião privado, de acordo com a autoridade de aviação civil da Rússia.

A aeronave, um Embraer Legacy pertencente a Prigozhin, estava a caminho de Moscovo para São Petersburgo com 10 pessoas a bordo – sete passageiros e três tripulantes. Ter-se-á despenhado na região de Tver, no norte de Moscovo, após ter estado no ar durante menos de 30 minutos.

Um canal no Telegram associado ao grupo mercenário, Grey Zone, alegou que a aeronave foi interceptada e abatida pelas defesas aéreas regionais. Há também testemunhas locais que relatam ter ouvido duas explosões consecutivas antes do trágico acidente e que reportam ter visto dois rastos de vapor.

Após o impacto, o jato irrompeu em chamas, detalhou a agência de notícias Tass. Entretanto, a agência de notícias Ria confirmou que oito corpos foram recuperados do local do acidente, com os serviços de emergência a fazer buscas no local.

Curiosamente, um segundo jato de negócios pertencente a Prigozhin aterrou sem incidentes nas proximidades de Moscovo pouco depois.

Recorde-se que Prigozhin, de 62 anos, liderou um golpe falhado contra o Kremlin em junho. Esta insurreição viu as forças mercenárias do grupo Wagner a capturar a cidade russa do sul de Rostov e a ameaçarem marchar até Moscovo, antes de a rebelião ser travada abruptamente.

Esta atitude de Prigozhin surgiu no culminar de vários meses de discórdia e ataques ao Ministério da Defesa russo, que o mercenário acusava de não fornecer munições suficientes às tropas que lutam na Ucrânia.

As negociações subsequentes levaram a uma resolução, permitindo às forças de Wagner a escolha de se deslocarem para a Bielorrússia ou de integrarem o exército russo. Prigozhin optou pela primeira, mas manteve uma presença notável, sendo visto tanto na Rússia como, alegadamente, em África.

Vários analistas apontaram que era um “homem morto a caminhar” após ter desafiado abertamente Putin, com alguns a dizer que seria uma questão de tempo até o Presidente russo eliminar o seu ex-cozinheiro. No entanto, os serviços de inteligência ucranianos sugeriram o oposto, afirmando que Putin e Prigozhin tinham encenado o golpe juntos para expor os generais desleais.

Por enquanto não há provas concretas que sugeriam que o acidente de avião tenha sido um ataque premeditado a Prigozhin por parte de Putin.

ZAP //

9 Comments

  1. Lá vai o Putin dizer que foi um crime hediondo praticado pelos Ucranianos. Desta vez está entalado, vamos ver como se safa!

  2. O Putin sempre a mostrar o seu caráter horrendo, cobarde, insidioso, mesquinho. Resolve os seus problemas escondido atrás de uma cortina. Não mata. Manda matar. Tem as mãos manchadas com o sangue de centenas de milhares de pessoas. A não ser que se acredite no inferno, nunca receberá o castigo que merece.

  3. … e aí vai mais um, quando as comadres se zangam lá para aqueles lados a solução é sempre a mesma, a única variante é que desta vez não caiu de uma janela, a janela caiu com ele! Não deixa saudades, mas há bem piores.

  4. O que aconteceu ao pessoal do outro avião, que regressou e aterrou em Moscovo? Quem são? Já alguém viu e confirmou o cadáver do Perigozinho? Como foi a conversa entre o Perigozinho e o Putinho em Moscovo logo a seguir ao “motim” de Junho?

  5. Estou certo que terá o seu castigo ainda em terra. Vamos aguardar. Pode demorar, mas são poucos ou nenhuns os ditadores que morrem de velhice.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.