/

William desapareceu há 22 anos. E foi o Google Maps que o encontrou

Google Maps

Visto pela última vez a 7 de novembro de 1997 à noite, numa discoteca em Lontana, Florida, William Moldt nunca regressou a casa, mantendo-se o seu desaparecimento um mistério durante 22 anos.

Os restos mortais de Moldt, que tinha 40 anos à data do desaparecimento, foram recuperados no dia 28 de agosto, depois de a polícia ter retirado do fundo de uma lagoa um carro que alguém viu numa fotografia ao fazer uma pesquisa de um itinerário no Google.

O corpo estava no interior do carro afundado e “já muito calcificado” e foi identificado cerca de uma semana depois. Apesar de, à época, ter sido aberta uma investigação, nenhuma pista fora encontrada sobre o possível destino de William Moldt, um homem calmo, e que testemunhas garantiram ter visto sair sozinho da discoteca, cerca das 23h, sem sinais de ter bebido demais. À namorada, numa chamada cerca das 21h30, teria dito apenas que não tencionava demorar-se.

Mais de duas décadas depois, a polícia reconhece que é impossível reconstituir o que aconteceu. O mais provável é que Moldt tenha perdido o controlo do carro, indo parar ao lago, disse à CNN fonte da autoridade local.

As casas naquela região da cidade de Wellington estavam em construção no ano de 1997, quando Moldt desapareceu, mas o lago já lá estava.

A fotografia que tornou possível fechar o caso estava visível desde 2007, mas nunca chamou a atenção de ninguém. O homem que acabou por reparar no pormenor ainda recorreu a um drone para confirmar com novas fotos a existência do que parecia um carro no fundo do lago. Só depois contactou a polícia.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE