/

“Profeta na sua terra”. O voo do “falcão” Miguel Oliveira deixou o mundo rendido

2

De “profeta na sua terra” a “rei de Portugal”. A imprensa internacional deixou-se render ao memorável triunfo de Miguel Oliveira no GP Portugal, este domingo.

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) venceu este domingo o Grande Prémio de Portugal de MotoGP, 14.ª e última prova do campeonato, disputada no Autódromo Internacional do Algarve.

O piloto luso gastou 41.48,163 minutos para cumprir as 25 voltas ao traçado algarvio, deixando o australiano Jack Miller (Ducati) na segunda posição, a 3,193 segundos, e o italiano Franco Morbidelli (Yamaha) em terceiro, a 3,298 segundos, somando a segunda vitória da temporada.

Com estes resultados, Miguel Oliveira subiu à nona posição de um campeonato ganho pelo espanhol Joan Mir (Suzuki), que este domingo desistiu com problemas mecânicos na sua mota, sagrando-se campeão com apenas uma vitória esta época, enquanto a Ducati venceu o campeonato de construtores.

https://twitter.com/SPORTTVPortugal/status/1330522948269174788

“Uma sensação de que podia ter feito mais”

“É surreal. Sonhamos com estas corridas e consegui-lo é incrível. Não tenho palavras, apenas a minha gratidão a todos os que estiveram a ver casa, à minha equipa. É uma despedia da equipa, é um grande dia, que dedico vitoria à Tech3, à KTM. É extra especial porque a minha família não pôde assistir à primeira vitoria ao vivo. Eles estarem aqui é um dia incrível para mim. [Estou] muito satisfeito por acabar a época em alta”, disse Miguel Oliveira após a vitória.

Se tivesse concluído as duas corridas em que foi abalroado (numa delas qualificou-se na quinta posição) em, por exemplo, sexto lugar, a posição em que terminou mais vezes esta época, tinha somado mais 20 pontos, garantindo a terceira posição do campeonato.

“Não sei o que poderia ter acontecido. Sei que fiquei a 14 pontos de terceiro classificado. Agora é fácil olhar para trás e dizer o que poderia ter sido se isto ou se aquilo. Mas temos de ficar com o melhor de todas as corridas e tentar melhorar”, disse o piloto.

Para 2021, ano em que o desenvolvimento das motas ficou congelado, Miguel Oliveira mostra-se “otimista”.

“Não sei qual será um objetivo realista em termos de classificação, mas terei uma nova aventura em mãos, numa nova equipa, e talvez possa lutar mais por pódios”, sublinhou.

Ainda assim, fazendo a retrospetiva do campeonato de 2020, fica a sensação de que podia ter feito “algo mais”.

“Terminar o ano com duas vitórias é bom. O [espanhol] Pol [Espargaró, da KTM oficial] conseguiu mais pódios em corridas difíceis, em que terminei perto mas não o suficiente para estar no pódio. Faz-me pensar que talvez pudéssemos ter feito um pouco melhor”, disse.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Miguel Oliveira revelou ainda que no início da época, como “vinha de uma lesão”, procurou “fazer quilómetros e acumular experiência”. “Ver, a cada corrida, o que podia melhorar”, acrescentou.

https://twitter.com/MotoGP/status/1330549407335538694

“Rei de Portugal” e “profeta na sua terra”

A imprensa internacional não ficou indiferente à conquista de Miguel Oliveira e, um pouco por todo o mundo, o feito do português foi enaltecido em estilo.

“Foi o segundo triunfo do ano, em casa e a arrasar. Grande quarto lugar para Pol Espargaró. A Honda termina o ano em vitórias, algo que nunca tinha acontecido. Com condições excelentes, de sol, boa temperatura, 28 graus no asfalto e pouco vento, Oliveira não falhou após a sua primeira pole, aguentou bem a liderança, voou e apenas em três voltas já tinha dois segundos de avanço”, escreveu o jornal espanhol Marca.

“Miguel Oliveira foi profeta na sua terra e carimbou de forma inapelável o segundo triunfo do ano, depois da Estíria. No final, a KTM conseguiu três vitórias, duas do português e uma de Brad Binder em Brno, e no próximo ano terá de se contar com ambos desde o início do campeonato”, salientou, por sua vez, o jornal As.

“Oliveira rei de Portugal”, lê-se ainda no título do jornal desportivo francês L’Équipe.

Futebol nacional rendido a Miguel Oliveira

O futebol português ‘rendeu-se’ este domingo a Miguel Oliveira (KTM), com os três ‘grandes’ e a Liga de clubes a congratularem o piloto português pela sua vitória no Grande Prémio de Portugal de MotoGP.

Através da sua conta na rede social Twitter, o Benfica deu os parabéns a Miguel Oliveira, partilhando o vídeo da coroação do piloto luso no Autódromo Internacional do Algarve, esta tarde.

https://twitter.com/SLBenfica/status/1330523128540389376

Também o treinador da equipa de futebol do FC Porto, Sérgio Conceição, parabenizou o piloto da Tech3 pela sua vitória no Grande Prémio de Portugal de MotoGP, em Portimão, destacando que o almadense é “um grande embaixador do nosso país”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Na sua conta no Twitter, o técnico ‘portista’ enalteceu a “grande vitória em casa” e desejou que a próxima seja “com o banho de multidão” que Miguel Oliveira merece, unindo-se às felicitações endereçadas pelos ‘dragões’, que destacaram a “enorme vitória” do português.

“Histórico”, limitou-se a exaltar o Sporting na mesma rede social, ao partilhar o vídeo do triunfo do piloto luso, enquanto o Sporting de Braga falou de “orgulho nacional”.

https://twitter.com/Sporting_CP/status/1330523857678196740

Já o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, lembrou que Miguel Oliveira “continua a fazer história e assim vai continuar”, considerando-o “um orgulho e uma inspiração para Portugal e para os portugueses”.

O primeiro-ministro, António Costa, deu os parabéns ao piloto português Miguel Oliveira, considerando que representou “um orgulho” para o desporto português.

“Parabéns ao Miguel Oliveira, que venceu hoje o Grande Prémio de Portugal. Uma grande prova e um orgulho para o desporto português no regresso do MotoGP ao nosso país”, escreveu o primeiro-ministro na sua conta pessoal na rede social Twitter.

  ZAP // Lusa

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.