Von der Leyen apresentou um “ramalhete” de promessas no Parlamento Europeu. Votação marcada para as 18h

Patrick Seeger / EPA

A candidata à presidência da Comissão Europeia comprometeu-se esta terça-feira a tornar a Europa o primeiro continente a alcançar a meta da neutralidade carbónica em 2050, indicando que irá apresentar um “acordo verde” nos primeiros 100 dias no cargo.

“O nosso desafio mais premente é manter o nosso planeta saudável. É a maior responsabilidade e oportunidade do nosso tempo. Quero que a Europa seja o primeiro continente neutro em carbono em 2050. Para que tal aconteça, temos de assumir metas mais ambiciosas. O nosso objetivo atual não é suficiente”, declarou Ursula Von der Leyen, diante do Parlamento Europeu (PE), em Estrasburgo.

Num discurso de mais de 30 minutos, proferido em francês, alemão e inglês, a candidata designada pelo Conselho Europeu para a presidência do executivo comunitário não deixou nenhum dos grandes temas europeus de fora, assumindo compromissos para agradar a socialistas, liberais e até aos Verdes, nomeadamente o de apresentar um “acordo verde” para a Europa nos primeiros 100 dias no cargo.

Evocando Simone Veil, a primeira mulher a presidir a assembleia europeia, a política alemã prometeu lutar por uma União Europeia mais justa, em que “ninguém fica para trás”, e em que seja a “economia a servir os cidadãos” e não o inverso.

Nesse sentido, Von der Leyen mostrou-se preparada para assegurar um salário mínimo justo em todos os Estados-membros, “uma maior proteção para aqueles que perdem o seu emprego em tempos de crise”, e um maior apoio a crianças e jovens, designadamente ao ir ao encontro da ideia do PE de triplicar o orçamento do Erasmus no próximo Quadro Financeiro Plurianual.

A ainda ministra alemã da Defesa tentou “seduzir” a bancada dos Socialistas e Democratas (S&D), comprometendo-se a completar a União de Capitais, a recorrer à flexibilidade do Pacto de Estabilidade e Crescimento e a taxar os gigantes tecnológicos a operar na União Europeia, três das bandeiras defendidas pelos socialistas.

“Não deve haver qualquer compromisso quanto ao respeito pelo Estado de Direito. A Comissão irá defender o Estado de Direito sempre que for atacado”, garantiu, afastando as dúvidas expressas por socialistas e liberais na passada semana, após a ronda de consultas da candidata com os grupos políticos em Bruxelas.

Também no que toca às migrações, Von der Leyen foi perentória: “No mar, há o dever de salvar vidas. E nos nossos tratados e convenções há o dever moral de respeitar a dignidade humana. A UE deve salvar, mas salvar não é suficiente. Temos de combater o crime organizado, melhorar a situação de refugiados”. Para a alemã, a UE precisa de “empatia”, pelo que proporá um novo Pacto de Migrações e Asilo.

“Temos de modernizar o nosso sistema de asilo, um sistema de asilo comum tem de ser isso mesmo, comum. Precisamos de solidariedade e uma nova forma de partilha de responsabilidade”, completou, revelando que há quatro anos acolheu um refugiado sírio, de 19 anos, em sua casa, e que este se tornou “uma inspiração para todos”.

Numa declaração muitas vezes aplaudida, e “recheada” de promessas, a candidata indigitada pelo Conselho Europeu em 2 de julho assegurou que a sua Comissão Europeia será paritária. “Se os Estados-membros não propuserem mulheres, não hesitarei em pedir outro nome”, asseverou, antes de anunciar a intenção de incluir a violência contra mulheres nos crimes previstos nos tratados europeus.

O momento mais tenso da intervenção de Ursula Von der Leyen diante dos eurodeputados aconteceu com a referência à saída do Reino Unido da União Europeia, com os britânicos a aplaudirem quando a política alemã lamentou o Brexit e a apuparem quando se mostrou disponível a adiá-lo para lá de 31 de outubro.

O Parlamento Europeu vota esta terça-feira, às 18h00 horas (menos uma hora em Lisboa) a nomeação da alemã Ursula von der Leyen, candidata designada pelo Conselho Europeu, para a presidência da Comissão Europeia.

Extrema-direita vota contra Von der Leyen

O novo grupo Identidade e Democracia (ID) anunciou, de acordo com a SIC Notícias, que vai votar contra a nomeação da alemã Ursula Von der Leyen para a presidência de Comissão, uma declaração de intenções que levou a candidata a congratular-se.

Após ouvir a declaração da candidata indigitada pelo Conselho Europeu, o vice-presidente daquele grupo, que integra partidos de extrema-direita, nomeadamente a Liga de Matteo Salvini e a União Nacional de Marine Le Pen, comunicou que, “após estudar profundamente” as propostas de Von der Leyen, o Identidade e Democracia chegou à conclusão de que a política alemã “não está à altura das circunstâncias exigidas para desempenhar a função”.

“Hoje, apresentou aqui um ‘ramalhete’ de promessas que soam bem, mas que não são mais do que promessas de um político com dupla identidade e que quer satisfazer a todos”, acusou Jörg Meuthen, notando as “contradições flagrantes” da sua intervenção.

O eurodeputado do partido político alemão de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) criticou o facto de as propostas da sua compatriota para a presidência do executivo comunitário se centrarem “na centralização, na arrogância e em mais impostos“, carecendo de uma visão “moderna”.

O ID ainda não tinha anunciado o seu sentido de voto na votação, mas a perda de 73 votos, o número de eurodeputados daquele grupo, não pareceu preocupar Ursula Von der Leyen.

Na semana em que Ursula von der Leyen, de 60 anos, médica e mãe de sete filhos, se reuniu com os grupos parlamentares europeus, foi também natural alvo de curiosidade fora de Bruxelas. Até a sua participação, há uma década, num programa de TV, em que é retirada de um caixote do lixo pelo ator Hugh Jackman, foi objeto de partilha e de comentários.

Ursula von der Leyen precisa agora de apoio para vencer a votação agendada para a próxima terça-feira, na qual o seu nome tem de ser aprovado por maioria absoluta dos 751 eurodeputados.

Se a eleição da ministra alemã falhar, cabe ao Conselho Europeu a responsabilidade de apresentar uma nova candidatura, no prazo de um mês, em decisão a tomar por maioria qualificada.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. deveriam perguntar à sra, se existissem ainda jornalistas, o que a mesma esteve a fazer há umas semanas na Suiça na reunião do bilderberg, onde óbviamente a escolha foi feita e o resto é conversa da treta.

RESPONDER

Pela primeira vez, Japão admite cancelar Jogos Olímpicos

O Japão admitiu pela primeira vez esta quinta-feira que o cancelamento dos Jogos Olímpicos, adiados desde o verão passado e com arranque marcado para 23 de julho, continua a ser uma hipótese em cima da …

Ataque de Sócrates ao PS é uma "tremenda injustiça". Costa não é um "traidor", diz Ana Catarina Mendes

A líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, criticou as declarações de José Sócrates que, em resposta a Fernando Medina, atacou a direção do partido. Em entrevista à TVI, na noite desta quarta-feira, José Sócrates respondeu …

Guardiola iguala recorde de Mourinho na Liga dos Campeões

Pep Guardiola igualou o recorde de presenças nas meias-finais da Liga dos Campeões. O espanhol tem agora as mesmas oito presenças de José Mourinho. Há muito tempo que Pep Guardiola enfrentava dificuldades nos quartos de final …

Responsável pela acusação da Operação Marquês fica fora da lista de promoções do MP

O procurador Rosário Teixeira, responsável pela acusação da Operação Marquês, não figura entre os candidatos da lista de promoções do Ministério Público — e já recorreu da decisão. O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) aprovou …

Investigação a ligações entre PJ e Doyen só ouviu 2 testemunhas antes de ser arquivada

A investigação a alegadas ligações entre um inspetor da PJ e representantes da Doyen, foi arquivada após apenas terem sido ouvidas duas testemunhas. A denúncia sobre estas alegadas ligações chegou da então eurodeputada Ana Gomes. Foi …

Depois de Benfica e Sporting, Beto também interessa ao FC Porto

Depois do interesse de Benfica e Sporting, o FC Porto também está atento a Beto, o avançado do Portimonense que tem dado cartas esta temporada. Se pensava que esta ia ser uma corrida de dois cavalos …

Depois de uma emergência a contragosto, decidem-se as medidas para a 3.ª fase do desconfinamento

Esta quinta-feira, o Conselho de Ministros decide se o desconfinamento avança na próxima segunda-feira. Em causa está o avanço da terceira fase como previsto, a estagnação dos concelhos de maior risco na segunda fase ou …

"O culpado sou eu". Abel Ferreira perde Supertaça sul-americana nos penáltis

O Palmeiras, de Abel Ferreira, falhou na quarta-feira a conquista da Supertaça sul-americana de futebol, ao perder com o Defensa y Justicia no desempate por grandes penalidades (3-4), depois do desaire por 2-1 nos 120 …

Podem ter sido encontradas as pegadas de Neandertal mais antigas da Europa

Há cerca de 100 mil anos, uma grande família de Neandertais caminhou ao longo de uma praia naquilo que hoje é o sul de Espanha. Tal como qualquer criança que se preze, os mais novos …

Biden e Merkel pedem a retirada de militares russos (mas já há navios dos EUA a caminho)

Um dia depois de a Rússia anunciar que estava a realizar "exercícios militares" perto da fronteira ucraniana, a Ucrânia indicou também estar a proceder a manobras militares. Joe Biden e Angela Merkel apelaram esta quarta-feira …