/

Investigadores procuram voluntários para beber cerveja

1

Investigadores do CINTESIS vão desenvolver um estudo sobre os efeitos do consumo moderado da cerveja na saúde. Procuram homens entre os 18 e os 65 anos de idade, que estejam dispostos a consumir uma cerveja por dia.

Investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e da Universidade Nova de Lisboa vão desenvolver um estudo sobre os efeitos do consumo moderado da cerveja na saúde. Para que este seja bem sucedido, precisam de voluntários.

De acordo com o comunicado do CINTESIS a que a Lusa teve acesso, o grupo pretende avaliar o efeito do consumo de cerveja na microbiota intestinal (flora intestinal), no perfil metabólico e lipídico em indivíduos saudáveis.

“O impacto do consumo de bebidas alcoólicas com compostos bioativos (nomeadamente polifenóis) na saúde é um tópico urgente nas ciências biomédicas”, defendeu a especialista em Nutrição e Metabolismo do CINTESIS e líder da investigação, Conceição Calhau.

A investigadora adiantou ainda que “participar neste estudo é uma oportunidade rara de contribuir para o conhecimento dos efeitos metabólicos do consumo de cerveja”.

A equipa de investigadores está à procura de 30 voluntários saudáveis, do sexo masculino, entre os 18 e os 65 anos de idade, que estejam dispostos a consumir uma cerveja por dia, com e sem teor alcoólico (5,20%, 0,45% e 0% de álcool), durante quatro semanas.

“A colaboração no projeto não implica a toma de qualquer medicamento, apenas o consumo diário de uma cerveja, preferencialmente ao jantar, fornecida pela equipa”, esclareceu Conceição Calhau, que é também professora da NOVA Medical School da Universidade Nova de Lisboa, entidade envolvida no projeto.

Sobre a bebida, a investigadora esclareceu que existem informações decorrentes de estudos em animais ou de estudos de observação.

Nos estudos de observação, verificou-se, muitas vezes, que as consequências para a saúde do consumo de cerveja estão sobretudo associadas ao estilo de vida como sedentarismo, hábitos tabágicos e alimentação inadequada, “sendo difícil reconhecer os efeitos do consumo da bebida na ausência desse estilo de vida menos saudável”, explicou.

Segundo a especialista, é a falta de evidência científica na área que torna este estudo necessário. Conceição Calhau defende que a prática deve ser baseada na evidência científica e que só com a realização de estudos controlados de intervenção é possível acrescentar conhecimento.

Durante o estudo os participantes serão avaliados por um profissional de saúde no início e no fim, através de análises de sangue, fezes e urina, procedimentos esses da responsabilidade da equipa de investigadores.

Os valores analíticos apresentados serão avaliados antes e depois do consumo da cerveja, obtendo assim dados que serão comparados sobre efeito da ingestão desta bebida.

Numa primeira fase, o estudo decorrerá em Lisboa, nas instalações da NOVA Medical School, devendo ser aberta uma segunda fase do ensaio, a decorrer no Porto.

  // Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.