Investigadores procuram voluntários para beber cerveja

Investigadores do CINTESIS vão desenvolver um estudo sobre os efeitos do consumo moderado da cerveja na saúde. Procuram homens entre os 18 e os 65 anos de idade, que estejam dispostos a consumir uma cerveja por dia.

Investigadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e da Universidade Nova de Lisboa vão desenvolver um estudo sobre os efeitos do consumo moderado da cerveja na saúde. Para que este seja bem sucedido, precisam de voluntários.

De acordo com o comunicado do CINTESIS a que a Lusa teve acesso, o grupo pretende avaliar o efeito do consumo de cerveja na microbiota intestinal (flora intestinal), no perfil metabólico e lipídico em indivíduos saudáveis.

“O impacto do consumo de bebidas alcoólicas com compostos bioativos (nomeadamente polifenóis) na saúde é um tópico urgente nas ciências biomédicas”, defendeu a especialista em Nutrição e Metabolismo do CINTESIS e líder da investigação, Conceição Calhau.

A investigadora adiantou ainda que “participar neste estudo é uma oportunidade rara de contribuir para o conhecimento dos efeitos metabólicos do consumo de cerveja”.

A equipa de investigadores está à procura de 30 voluntários saudáveis, do sexo masculino, entre os 18 e os 65 anos de idade, que estejam dispostos a consumir uma cerveja por dia, com e sem teor alcoólico (5,20%, 0,45% e 0% de álcool), durante quatro semanas.

“A colaboração no projeto não implica a toma de qualquer medicamento, apenas o consumo diário de uma cerveja, preferencialmente ao jantar, fornecida pela equipa”, esclareceu Conceição Calhau, que é também professora da NOVA Medical School da Universidade Nova de Lisboa, entidade envolvida no projeto.

Sobre a bebida, a investigadora esclareceu que existem informações decorrentes de estudos em animais ou de estudos de observação.

Nos estudos de observação, verificou-se, muitas vezes, que as consequências para a saúde do consumo de cerveja estão sobretudo associadas ao estilo de vida como sedentarismo, hábitos tabágicos e alimentação inadequada, “sendo difícil reconhecer os efeitos do consumo da bebida na ausência desse estilo de vida menos saudável”, explicou.

Segundo a especialista, é a falta de evidência científica na área que torna este estudo necessário. Conceição Calhau defende que a prática deve ser baseada na evidência científica e que só com a realização de estudos controlados de intervenção é possível acrescentar conhecimento.

Durante o estudo os participantes serão avaliados por um profissional de saúde no início e no fim, através de análises de sangue, fezes e urina, procedimentos esses da responsabilidade da equipa de investigadores.

Os valores analíticos apresentados serão avaliados antes e depois do consumo da cerveja, obtendo assim dados que serão comparados sobre efeito da ingestão desta bebida.

Numa primeira fase, o estudo decorrerá em Lisboa, nas instalações da NOVA Medical School, devendo ser aberta uma segunda fase do ensaio, a decorrer no Porto.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Bruno de Carvalho suspeito de tirar meio milhão de euros ao Sporting

Duas avultadas transferências de dinheiro, que saíram do Sporting a 24 de junho, estão sob suspeita. Estão em causa cerca de meio milhão de euros que terão sido pagos a duas construtoras. Não se sabe exatamente …

Bombeiros não informaram Proteção Civil de 50% das ocorrências

O corte de relações entre os bombeiros voluntários e a Proteção Civil está a fazer-se sentir. Os bombeiros não informaram a Proteção Civil de 50% das ocorrências no país. A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) …

Funcionários públicos que continuem no ativo depois dos 70 não vão perder dinheiro

Os trabalhadores da Função Pública com mais de 70 anos que queiram continuar a trabalhar e, que para isso tenham a autorização do Estado, vão passar a receber, além do salário a que têm direito, …

Viagens podem obrigar deputados a entregar novas declarações de rendimentos

Os deputados podem ter de alterar as declarações de rendimentos para incluírem o reembolso das despesas de transporte como “rendimentos do trabalho”. A notícia foi avançada esta manhã pelo Diário de Notícias e surge depois de, …

Portugal já não deve ao FMI. Pagamento antecipado poupa 100 milhões de euros

O ministro das Finanças, Mário Centeno, anunciou que Portugal concretiza esta segunda-feira o pagamento do total da dívida ao Fundo Monetário Internacional (FMI), com a liquidação de 4,7 mil milhões de euros. Numa conferência de imprensa …

37% dos portugueses rezam diariamente. Somos o 9º país mais religioso da Europa

Portugal é um dos países mais religiosos da Europa, ocupando a nona posição, à frente de Itália (13.º) e de Espanha (16.º), com 44% da população a afirmar a sua crença absoluta em Deus. Estes dados …

Rui Rio acusa Governo de discriminação salarial

O presidente do PSD, Rui Rio, disse esta segunda-feira não compreender a proposta do Governo, que determina um salário mínimo diferente para o público e para o privado, defendendo que não deve haver discriminações. "Não compreendo. …

China e EUA discutem calendário de negociações para acabar com guerra comercial

O breve comunicado de Pequim indica que foi discutido "o calendário das próximas consultas económicas e comerciais", sem precisar, no entanto, onde e quando terão lugar. Negociadores chineses e norte-americanos discutiram por telefone um calendário de …

Sindicatos voltam ao Ministério das Finanças para discutir aumentos salariais

Os aumentos salariais na função Pública são esta terça-feira de novo discutidos entre as estruturas sindicais do sector e a secretária de Estado da Administração Pública, Maria de Fátima Fonseca. A Frente Comum de Sindicatos da …

Brexit. Juncker garante que "não há qualquer espaço" para renegociação

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, garantiu esta terça-feira no Parlamento Europeu que o texto do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE) não vai ser renegociado. "Estou espantado, porque chegámos a …