Volkswagen vendeu ilegalmente carros que deviam ter sido destruídos

Julian Stratenschulte / EPA

A Volkswagen vendeu ilegalmente, nos Estados Unidos e na Europa, unidades pré-série que deveriam ter sido destruídas. O presidente Herbert Diess tinha conhecimento das vendas ilegais desde 2016 e nada fez.

A Volkswagen está ainda a tentar recuperar a confiança dos consumidores depois da polémica Dieselgate, pelo que qualquer escândalo pode abalar prejudicialmente o construtor alemão.

No entanto, é mesmo isso que está a acontecer, depois de duas publicações terem avançado que o fabricante de Wolfsburg começou a vender, em 2006, nos Estados Unidos e na Europa, automóveis que deveriam ter sido destruídos.

Segundo o Observador, estão em causa unidades pré-série que habitualmente vemos parcial ou totalmente camufladas e que não têm de corresponder à versão de produção. Estas viaturas são muitas vezes usadas para efetuar testes com o objetivo de testar os limites mecânicos e estruturais, pelo que quando chega aos concessionários, o carro refletirá esse trabalho de desenvolvimento do produto.

De acordo com o Der Spiegel, a marca assume que “despachou” 6.700 automóveis para os concessionários, mas a publicação fala em 17.000. O problema é que, como referiu um porta-voz da marca ao Handelsblatt, embora as viaturas em causa venham a ser chamadas para ir à oficina, há casos que poderão não se resolver com uma mera atualização de software.

Mas há ainda uma agravante: ao que parece, a Volkswagen não documentou o que teriam esses carros de “errado” ou de diferente, face às unidades de série, pelo que terá de haver novo programa de buyback.

Na verdade, vender unidades pré-série não é crime, mas deve-se obedecer aos trâmites definidos na lei. Neste caso, a Volkswagen estaria obrigada a informar as entidades reguladoras do setor e os concessionários sendo que estes, por sua vez, passariam a informação ao cliente. Mas nada disto foi feito.

A marca já veio a público pedir desculpa, lamentando “profundamente o engano”. No entanto, apesar disso, a Volkswagen corre o risco de as autoridades decidirem puni-la de novo e ter pela frente outra rodada de processos, movidos pelos concessionários ou clientes lesados.

Herbert Diess, responsável máximo da marca, teria conhecimento das vendas ilegais desde 2016, mas nada fez para corrigir esta situação anómala, adianta ainda o Der Spiegel.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Muito honestos estes alemães… com dinheiro publico/proteccionismo/lobys/financiamento a custo zero e com a maior burla de sempre, quase conseguiram ser o maior construtor mundial!…
    VW: Das Fraud

RESPONDER

Espiões podem estar a usar o LinkedIn para recrutar novos contactos

O LinkedIn é uma rede social de negócios, mas espiões podem estar a usá-la para encontrar novos contactos. Os espiões estarão a usar perfis falsos, gerados por inteligências artificial. Apesar de ser uma rede social bem …

Mercado de compras online pode não ser tão lucrativo quanto se pensa (e pode estar perto do fim)

Muitas pessoas provavelmente presumem que as lojas online estão a fazer uma fortuna, mas a realidade é bem diferente. Muitas atividades de comércio eletrónico são, na verdade, não lucrativas. Se as pessoas tivessem que pagar o …

Canábis já era fumada há pelo menos 2.500 anos

Uma descoberta nos túmulos do cemitério Jirzankal, no oeste da China, mostra que os povos que viviam nessa zona montanhosa já queimavam canábis com elevados níveis de THC. Uma equipa de arqueólogos encontrou pequenos artefactos de madeira …

Estado angolano exige 25 milhões de euros ao general Dino

O Estado angolano exige ao general Leopoldino Fragoso do Nascimento, mais conhecido por Dino e um dos homens de confiança do ex-presidente José Eduardo dos Santos, o pagamento de 29 milhões de dólares (25 milhões …

Procuradora dos "Cinco de Central Park" deixa de lecionar Direito após série da Netflix

Elizabeth Lederer, a procuradora principal do caso dos "Cinco de Central Park", que resultou na condenação injusta de jovens negros e latinos por violação, disse que vai deixar de lecionar Direito na Universidade de Columbia, …

A água da torneira de uma cidade americana ficou repentinamente cor-de-rosa

Os residentes de Coal Grove, no Ohio, foram surpreendidos por água cor-de-rosa a sair das torneiras das suas casas. O problema esteve relacionado com uma avaria na bomba da estação de tratamento da água. Nenhum habitante de …

Hospital Pulido Valente sem anestesistas na escala este fim de semana

Médicos do Hospital Pulido Valente, em Lisboa, foram este sábado surpreendidos com a falta de anestesistas na escala deste fim de semana e manifestam preocupação com o impacto da decisão nos doentes internados. O coordenador da …

Na Suécia, há quem tenha "vergonha" de andar de avião

Viajar de avião ou usar outro meio de transporte? Para muitos, essa pergunta vem de um dilema ético, de pessoas preocupadas com o impacto da aviação nas mudanças climáticas. Nenhum país, contudo, levou esse dilema tão …

EUA. Governo separa famílias de imigrantes ilegais e envia as crianças para antiga base militar

O internamento de nipo-americanos durante a Segunda Guerra Mundial sempre permaneceu uma mancha terrível nos livros de história dos Estados Unidos (EUA). Cerca 120 mil pessoas foram mantidas à força em várias dessas instalações entre …

Morreu o cineasta italiano Franco Zeffirelli

O cineasta italiano Franco Zeffirelli morreu, na sua casa, em Roma, aos 96 anos, noticiou este sábado a imprensa italiana. “O desaparecimento ocorreu no final de uma longa doença. O mestre vai descansar no cemitério de …