/

Verdes defendem campanha de sensibilização sobre cyberbullying

António Cotrim / Lusa

O deputado do Partido Ecologista Os Verdes, José Luis Ferreira

O partido ecologista pediu ao Governo o relatório final ao grupo de trabalho “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência” e sugeriu uma campanha de sensibilização sobre o cyberbullying.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Partido Ecologista Os verdes (PEV) pediu ao Governo o relatório final ao grupo de trabalho “Escola Sem Bullying. Escola Sem Violência” e recomendou o lançamento de uma campanha de sensibilização sobre o cyberbullying.

Em comunicado, o PEV esclarece que entregou na Assembleia da República o projeto de resolução nº.993/XIV/2ª, assinado pelos deputados Mariana Silva e José Luís Ferreira, que defende eficácia na prevenção e combate ao cyberbullying.

“Os Verdes” querem ainda que o relatório final com os resultados alcançados, as eventuais recomendações e propostas de atuação seja enviado à Assembleia da República.

Além disso, os parlamentares defendem o lançamento de uma campanha “urgente” de sensibilização e consciencialização sobre o cyberbullying e os modos de atuação perante esse fenómeno de violência. A campanha deve ser dirigida, particularmente, às crianças e jovens, sublinharam.

Para o PEV, a iniciativa deve ser específica para o período em que vigoram as medidas de prevenção, contenção, tratamento e combate à pandemia de covid-19, ressalvou o partido, numa altura em que as aulas decorrem online.

De futuro, o PEV quer que o Governo tome as medidas necessárias para que o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) desagregue, dentro da violência em contexto escolar, os diferentes tipos de violência registados, incluindo o bullying e o cyberbullying, para que se conheça melhor esta realidade.

Em 20 de outubro de 2020, numa escola no distrito de Santarém, os ministros da Educação e da Administração Interna realçaram o papel das forças segurança no combate ao cyberbullying, que “cresceu durante os tempos de pandemia e é hoje uma prioridade de ação do programa Escola Segura”.

“Quisemos estar aqui a dizer que a violência não é aceitável nas nossas escolas e que a Escola Segura, um dos parceiros do nosso sistema educativo, é também um companheiro para lutarmos todos os dias contra a violência e contra o bullying”, afirmou então Tiago Brandão Rodrigues.

Na sessão, o ministro entregou o certificado de participação no projeto “Escola Sem Bullying, Escola Sem Violência”, ao qual aderiram 52 agrupamentos de escolas de todo o país.

PUBLICIDADE

A 9 de fevereiro, Dia Europeu da Internet mais Segura, a Polícia de Segurança Pública (PSP) e a Guarda Nacional Republicana (GNR) alertaram os cidadãos para a necessidade de uma utilização segura e responsável da internet e dos telemóveis, especialmente os mais jovens.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.