O Vaticano tem uma escola para formar exorcistas (e há um manual a seguir)

O Vaticano oferece o único curso oficial para formar exorcistas, com um custo de 500 euros. Lançou também, em 1999, um manual com 90 páginas.

Exorcismo designa o ritual executado por uma pessoa devidamente autorizada para expulsar espíritos malignos de outra pessoa que está num estado de possessão demoníaca. O tema é polémico e é visto por muitos como algo fantasioso, aproveitado pela indústria dos filmes de terror.

A possessão demoníaca não é um diagnóstico psiquiátrico ou médico válido e reconhecido pela ciência. Aqueles que professam a crença em possessões demoníacas por vezes descrevem sintomas que são comuns a várias doenças mentais, como histeria, mania, psicose, síndrome de Tourette, epilepsia, esquizofrenia ou perturbação de identidade dissociativa.

Ainda assim, está bem presente no Cristianismo. O Evangelho relata frequentemente episódios em que Jesus Cristo expulsa o demónio de pessoas possuídas, tendo esse poder sido transmitido aos seus apóstolos, no dia da Ascensão. No entanto, práticas semelhantes são bastante antigas e fazem parte do sistema de crenças de muitas culturas e religiões.

Ainda de acordo com a doutrina oficial católica romana, Belzebu nunca pode superar as limitações impostas a ele por Deus, mas é capaz de tomar posse de pessoas.

Em 2015, o site católico britânico Catholic Herald falava num “boom” de exorcismo, relatando um grande aumento mundial nos rituais de exorcismo executados por padres.

De acordo com uma investigação do The Atlantic, cerca de 70% dos americanos acreditam que o diabo é real, enquanto 50% acham que a possessão demoníaca não acontece apenas nos filmes.

Este não é um fenómeno exclusivo aos Estados Unidos. Segundo a BBC, mais de meio milhão de pessoas por ano solicitam um exorcismo em Itália.

O exorcismo é levado a sério pela Igreja Católica. Em 1999, o Vaticano publicou “De Exorcismis et supplicationibus quibusdam”, um manual de exorcismo de 90 páginas, novo e atualizado. Até então, os exorcistas usavam as mesmas diretrizes desde 1614, salienta o portal Grunge.

O manual não veio mudar radicalmente a forma como os exorcismos funcionam, mas estabeleceu algumas diretrizes.

Os sinais de possessão incluem super força, falar em línguas que a pessoa não conhece e ter conhecimento de informações secretas sobre coisa ou outras pessoas. O novo guia do Vaticano também avisa de que estes sinais podem ser sintomas de uma doença mental, pelo que os padres devem rapidamente procurar aferir essa hipótese, explica o The Guardian.

Para ter uma ideia mais clara daquilo que se passa num exorcismo, o Catholic Online, a autoproclamada Biblioteca Católica Mundial, explica alguns dos procedimentos e preces ditas.

Não há estatísticas oficiais que revelem o número de exorcistas “certificados” em todo o mundo. Embora a igreja muitas vezes treine exorcistas em diferentes lugares, incluindo Chicago, Roma e Manila, há apenas uma escola formal para exorcistas, que fica precisamente dentro do Vaticano.

Em 2018, 250 padres de mais de 50 países participaram no curso anual de exorcismo do Vaticano. O curso tem a duração de uma semana e custa 500 euros.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.