Varoufakis não acredita que os portugueses vão conseguir ultrapassar austeridade

EU Council Eurozone / Flickr

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis

O ex-ministro das Finanças grego afirmou esta terça-feira que os portugueses não vão ser capazes de ultrapassar a austeridade imposta por Bruxelas.

Em declarações à agência Lusa, o ex-ministro grego Yanis Varoufakis considera que o Governo de António Costa tem muito “boa vontade” mas que isso não será suficiente para ultrapassar as imposições de Bruxelas.

“Não, os portugueses não serão capazes de ultrapassar a austeridade e não se trata de uma questão de boa vontade do Governo. Para poder governar, o Executivo teve de aceitar as regras da Europa e isso significa austeridade”, afirmou hoje em Berlim.

O antigo ministro das Finanças deu como principal exemplo o caso que viveu mais de perto, ou seja, o Governo grego que, apesar de ter lutado “cinco ou seis meses contra a austeridade acabou por cair”.

No dia em que o ex-governante grego lança o seu novo movimento de esquerda pan-europeu – “Democracy in Europe Movement 2025 – DiEM25” -, Varoufakis acredita que anos de de políticas económicas autoritárias “só podem ser mudados ao nível da Europa”.

O grego vê no seu novo movimento um partido para “fazer regressar a democracia” a um continente “dominado por burocratas e banqueiros não eleitos”.

A eurodeputada Marisa Matias também participou no debate com o ex-ministro grego, durante o qual aproveitou para apontar o dedo a Bruxelas.

A ex-candidata presidencial diz que Bruxelas terá de respeitar a vontade democrática dos portugueses, até porque “o povo português não é menos do que o inglês”.

“Se cada vez que a Inglaterra ameaça com a saída da UE, se encontram soluções em temas tão centrais como circulação de pessoas que são no fundo os valores europeus”, as instituições europeias devem ter o mesmo tipo de comportamento com os outros Estados-membros, acusa a eurodeputada.

Em declarações à Lusa, Marisa Matias acredita que, apesar das limitações, o Orçamento de Estado para 2016 “é um compromisso” alcançado entre a esquerda “que vai ganhando terreno e espaço de confrontação com as próprias instituições europeias”.

A bloquista sublinha que “a negociação foi um conjunto de vitórias” e que “este orçamento é o começo de um caminho contra o empobrecimento que Portugal esteve sujeito” nos últimos anos.

ZAP

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Eu também há muito que acredito que não. Vão ultrapassar tanto a austeridade como ultrapassou a Grécia com este estafermo e com o seu amigo tripas. Mas este palhaço, apoiado pela marisa e outros parecidos não tem com que se enterter lá na terra ele? Que vá tomar no kù e que diga toardas sobre o que se passa na Grécia, que não é pouco….! Pôrra!!!

  2. Já não usas o mesmo cascol grande kabrão?? Quem vai ultrapassar a auteridade vão ser os do teu país com as tuas políticas. Se tivesse vergonha era bem bom!!!

  3. O Desejo de uma Alemanha Nazista e Hitleriana concretizou-se com uma Europa iludida numa União de Estados, uma CEE , que nada mais foi que dar o Poder da Europa a uma Alemanha Nazista, Nos Dias de Hoje todos Estados querem sair da CEE pelo Imperialismo Fascista, a nós Portugueses, calha-nos sempre ser os Escravos da Europa, obrigam-nos á Miséria para tapar Golpadas de Má Gestão e Danosa, os ultimos anos foram OS MENINOS DOs PAPÁs A se GOVERNAREM, COM AUTORIZAÇÃO DA MERKEL, amanhã são outros, como será que o Povo deposita confiança VOTO neste esquema fraudelento em que se vive, Portugal teve sua Independência no 1º de Dezembro de 1640……
    Hoje – “dominados por burocratas e banqueiros não eleitos”.
    “este orçamento é o começo de um caminho contra o empobrecimento que Portugal esteve sujeito” nos últimos anos. – Quem defende o Contrário Não é Nem Nunca Será Um Verdadeiro Português, Será de uma outra Raça qualquer já Misturada …… !!!!!!

  4. Sempre a mesma treta de conversa dos senhores de esquerda! Eu também não sou adepto desta Europa que começou a construção pelo telhado mas quem lá nos meteu o principal obreiro foi o senhor Soares defensor de marxismos e companhia portanto eu como simples cidadão nada posso fazer a não ser o nunca ter votado para o Parlamento Europeu até hoje mas este senhor e muitos outros de esquerda e extrema-esquerda já estiveram no Poder, este inclusivamente ameaçava com o seu camarada Tsipras sair do euro e da UE caso não cedessem ás suas exigências este ainda bateu com a porta e abalou e o outro acabou cachorro manso e nós por cá estamos a passar pelo mesmo filme e então pergunto porque razão em vez de andarem sempre a bater à mesma porta a mendigar esmola e a dizer mal do credor não vão bater a outra que empreste ou dei dinheiro de borla para implementarem o socialismo que tanto apregoam mas que afinal acabamos por ver que ninguém quer, falam muito e em vez de porem em prática o que afirmam em campanha eleitoral uma vez no governo acabam por fazer pior do que os outros.

  5. ah! grande Varoufakis. Yanis como tu é que fazem falta para esclarecer os serafins saudade cá do sítio. Os parolos lusos só sabem apreciar a bacoquice e apoiar quem lhes komukú a cada acto eleitoral para eleger kurruptos de Direita fascista, paulóportista, passokuelhista e outros paridos dos seus partidos. A história dar-te-à razão num prazo mais curto que os maldizentes aqui se denunciam. Estes fazem parte dos boys e são bois que beneficiam dos negócios acima e abaixo da linha d´água aonde o povo se afoga e se “a…fode”

RESPONDER

Défice fica nos 0,8% do PIB no primeiro semestre do ano

O défice situou-se em 0,8% do PIB no primeiro semestre deste ano, em contas nacionais, abaixo dos 2,2% registados no período homólogo, mas longe da meta para o conjunto do ano, de 0,2%. "No conjunto do …

Pelo menos sete crianças morreram após colapso de escola no Quénia

Pelo menos sete crianças morreram e 57 ficaram feridas após o colapso do edifício de uma escola em Nairobi, no Quénia, esta segunda-feira, confirmaram os serviços de socorro e as autoridades locais. "Depois do colapso do …

“Há uma mudança histórica na Madeira”

Este domingo, no seu espaço habitual de comentário, Luís Marques Mendes disse que, embora ainda não tenham sido apurados todos os resultados das eleições na Madeira, tudo aponta para que haja uma “mudança histórica” no …

O outono chegou e traz aguaceiros. Mas o calor ainda pode aparecer em outubro

O outono começou oficialmente às 8h50 desta segunda-feira. Este é o dia do equinócio, a data em que, segundo o saber popular, o dia e a noite têm a mesma duração. A data que assinala o …

Portugal não aderiu a programa da UE criado de propósito após os incêndios de 2017

No ano passado, a União Europeia criou um programa de proteção civil devido aos incêndios de 2017 em Portugal. Contudo, o país não aderiu ao mecanismo. Em 2017, Portugal viveu momentos difíceis devido aos incêndios que …

Boris responsabiliza Irão por ataque a petrolífera saudita

Boris Johnson diz que o país atribui ao Irão, "com muito alto grau de probabilidade, os ataques à gigante petrolífera saudita". O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acusou esta segunda-feira o Irão de ser, muito provavelmente, responsável …

41 países comprometem-se com iniciativa "Clima e Qualidade do Ar"

A iniciativa "Clima e Qualidade do Ar", apresentada na véspera da Cimeira da Ação Climática, propõe alcançar até 2030 uma qualidade do ar saudável e a harmonização das políticas de luta contra as alterações …

Reino Unido. Trabalhistas querem abolir ensino privado se formarem Governo

O Partido Trabalhista britânico compromete-se a abolir o ensino privado no Reino Unido caso venha a formar Governo. O plano do partido liderado por Jeremy Corbyn implica nacionalizar e integrar no sistema educativo público todas …

Rio acusa PS de se comportar como "dono disto tudo" (e diz que também tem um "Centeno")

No último debate a dois antes das legislativas de 6 outubro, os líderes do PSD e PS trocaram esta segunda-feira críticas - em tom leve e cordial -, recordando telhados de vidro de cada força …

Em decisão histórica, partidos árabes recomendam Gantz como primeiro-ministro de Israel

O Presidente de Israel, Reuven Rivlin, iniciou este domingo as suas consultas para a formação de um novo Governo. A Lista Conjunta, uma coligação que reúne os principais partidos árabes do país (Balad, Hadash, Ta’al …