“Um absurdo”. Em 2424 vagas, só 2 professores com menos de 30 anos devem entrar nos quadros

Manuel de Almeida / Lusa

O envelhecimento da carreira docente volta a fazer parte das reclamações da Federação Nacional de Professores (Fenprof), com o secretário-geral da entidade, Mário Nogueira, a revelar que, no próximo concurso de acesso aos quadros da Função Pública, só devem ficar colocados dois professores com menos de 30 anos.

Os professores vão ser colocados em Agosto e já concorreram 38.348 às vagas existentes, como revela Mário Nogueira ao Jornal de Notícias (JN).

Nas listas provisórias do concurso externo, foram ordenados 2383 professores na primeira prioridade para vínculos a partir de Setembro. Destes, apenas 2 têm menos de 30 anos, respectivamente um professor do Primeiro Ciclo e outro que dá Educação Física no Secundário.

Os dados são realçados pelo líder da Fenprof para considerar que é “um absurdo”, conforme declarações ao JN.

Para as 2424 vagas de quadro existentes, estão na fila prioritária 67 docentes com 60 ou mais anos, sendo que 16 têm mais de 65 anos.

E entre os quase 36 mil docentes que surgem nas segunda e terceira prioridades da lista, encontra-se “um professor que fará 70 anos a 31 de Agosto e arrisca nem ser contratado a 1 de Setembro por atingir o limite de idade na Função Pública”, como repara o JN com base nas informações de Mário Nogueira.

“Mais uma vez, não há rejuvenescimento nenhum na classe“, queixa-se o líder da Fenprof que fala de “uma carreira passada na precariedade”.

A média de idades dos 2383 docentes na primeira prioridade de acesso aos quadros é de 45,93 anos. A maioria tem entre 40 e 49 anos e entre 10 a 20 anos de serviço. Mas 427 professores têm mais de 20 anos de serviço.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE