Vacinação no bom caminho com 25% da população da UE vacinada

Tiago Petinga / EPA

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

António Costa com Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, e Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, na Cimeira Social no Porto.

A Comissão Europeia anunciou este sábado que 200 milhões de doses de vacinas anticovid-19 chegaram já à União Europeia (UE) e 160 milhões de europeus já receberem a primeira dose, levando a que a vacinação esteja “no bom caminho”.

“Atualizei os líderes sobre os bons progressos que temos com a nossa campanha de vacinação. Já entregámos mais de 200 milhões de doses ao povo europeu e, por isso, estamos no bom caminho para atingir o nosso objetivo de entregar doses suficientes até julho para vacinar 70% da população adulta europeia”, divulgou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Falando aos jornalistas no final de um Conselho Europeu informal, no Palácio de Cristal do Porto, a líder do executivo comunitário assinalou que “a administração de vacinas é ainda melhor”, sendo que “os números são próximos dos 160 milhões de europeus que já receberam uma primeira dose, o que corresponde a mais de 25% da população da UE”.

“Esta é uma boa notícia e vamos continuar assim”, garantiu Ursula von der Leyen.

Ainda esta manhã, a Comissão Europeia anunciou um novo contrato de aquisição de 1,8 mil milhões de vacinas da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 para 2022 e 2023 e, sobre esta questão, a responsável disse ter ficado “satisfeita pela conclusão das negociações”.

Isto porque este novo contrato irá permitir abranger crianças e adolescentes que, “mais cedo ou mais tarde”, terão de ser vacinados, irá garantir reforço da vacinação além das duas doses e ainda responder às “chamadas variantes de preocupação”, elencou Ursula von der Leyen.

“O caminho para ultrapassar a pandemia é através da campanha de vacinação, mas é claro que não podemos baixar a guarda e temos de nos preparar para o futuro”, acrescentou a líder do executivo comunitário, anunciando também novos contratos semelhantes para aquisição de compras “baseadas em outras tecnologias como as baseadas em proteína [spike]”.

Já abordando a discussão em curso sobre a criação do certificado verde digital, Ursula von der Leyen classificou este como “um tópico que foi importante [porque], naturalmente, todos estão a pensar na estação do verão”.

“É importante para que as pessoas planeiem com antecedência as férias e é igualmente importante para os trabalhadores do turismo, da hotelaria ou do setor dos transportes que esperam estar de novo no ativo e para as empresas, claro, desses setores que esperam começar a recuperar”, assinalou Ursula von der Leyen.

Para tal, além do “parâmetro-chave que é a vacinação”, também “devemos permitir viajar dentro e para a União Europeia”, insistiu a líder do executivo comunitário, revelando que “o trabalho jurídico e técnico sobre o certificado está no bom caminho para que o sistema esteja operacional” em junho.

Isto porque, “graças ao excelente trabalho da presidência portuguesa do Conselho e devido à rapidez dos parlamentos em chegar a uma posição, podemos realisticamente visar um acordo político até ao final deste mês”, adiantou.

Em causa está a proposta legislativa apresentada pelo executivo comunitário em meados de março para a criação de um certificado digital para comprovar a vacinação, testagem ou recuperação da covid-19, um documento bilingue e com um código QR que deve entrar em vigor até junho para permitir a retoma da livre circulação na UE no verão.

Em meados de abril, os Estados-membros da UE aprovaram um mandato para a presidência portuguesa do Conselho negociar com o Parlamento Europeu a proposta de implementação deste certificado verde digital.

No final de abril, foi a vez de a assembleia europeia adotar a sua posição negocial, passo após o qual arrancaram as negociações interinstitucionais.

Europa focada em “questões mais urgentes” do que direitos de vacinas

A presidente da Comissão Europeia defendeu também que a União Europeia (UE) se deve focar em “questões mais urgentes” do que o debate sobre os direitos intelectuais das vacinas anticovid-19, como a exportação para países de baixo rendimento.

“Penso que é muito importante e deveríamos estar abertos a esta discussão […] e ter um olhar atento sobre o papel do licenciamento. É importante que estes sejam tópicos a discutir, mas devemos estar cientes de que estes são tópicos a longo prazo, não a curto ou médio prazo”, disse Ursula von der Leyen, em declarações aos jornalistas após o final do Conselho Europeu informal.

Falando sobre uma eventual suspensão das patentes de vacinas contra a covid-19, a líder do executivo comunitário vincou que a UE não deve “perder de vista as principais urgências”, que são “produção de vacinas o mais rapidamente possível e a salvaguarda de que estas são distribuídas de forma justa e equitativa”.

Vincando que existem “tópicos que devem ser abordados” antes, Ursula von der Leyen assinalou que “a União Europeia é a farmácia do mundo, tendo já exportado 200 milhões de doses de vacinas, metade das doses produzidas, para 90 países diferentes no mundo de baixo rendimento.

“Convidamos outros a fazer o mesmo [porque] esta é a melhor maneira de, a curto prazo, abordar os estrangulamentos e a falta de vacinas em todo o mundo”, vincou a responsável.

Na quarta-feira passada, o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou que apoiava a suspensão das patentes das vacinas contra a covid-19, uma proposta que tinha sido inicialmente avançada pela Índia e pela África do Sul na Organização Mundial do Comércio.

A chanceler alemã, Angela Merkel, reiterou este sábado a oposição ao levantamento das patentes das vacinas contra a covid-19 e pediu aos Estados Unidos que abram o “mercado” para permitir as exportações.

“Desejo que agora que grande parte da população norte-americana já foi vacinada, possamos ter uma livre troca de componentes e também uma abertura do mercado de vacinas”, disse a chanceler, numa conferência coletiva, destacando que a União Europeia exporta “uma grande parte” da sua produção de vacinas.

“A União Europeia sempre exportou grande parte da sua produção para o mundo e, por isso, tal também deve tornar-se a regra, por assim dizer”, argumentou Merkel, citada pela agência France-Presse.

Para a chanceler alemã, a questão principal é “levar o mais rápido possível o maior número possível de vacinas ao maior número de pessoas no mundo” e, para isso, “é preciso conceder licenças”, tal como “está a acontecer em grande escala.”

Ao mesmo tempo, frisou, é “muito importante que os detentores de patentes também monitorizem a qualidade da produção”.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, também pediu este sábado aos “anglo-saxões” que parem de “bloquear” as exportações.

Macron sublinhou que de 110 milhões de doses produzidas na Europa, a UE exportou 45 milhões e guardou 65 milhões e lamentou que “100% das vacinas produzidas nos Estados Unidos da América vão para o mercado norte-americano”.

A chanceler alemã também reiterou a sua oposição ao levantamento das patentes de vacinas, proposto pelo governo dos EUA, liderado por Joe Biden.

“Esclareço mais uma vez que não acredito que o levantamento de patentes seja a solução para disponibilizar vacinas a mais pessoas”, disse Merkel, explicando acreditar que “a criatividade e a inovação empresarial são necessárias” e isso, sustentou, “inclui as patentes”.

O Papa Francisco apoiou também este sábado a proposta de suspender as patentes de vacinas contra a covid-19, a fim de acelerar a distribuição de vacinas aos países pobres.

Ainda que políticos europeus como Ursula von der Leyen ou o Presidente francês, Emmanuel Macron, se tenham mostrado disponíveis para debater a proposta, outros já se opuseram à discussão sobre as patentes.

Com o objetivo de harmonizar as posições, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, anunciou que o tema seria debatido hoje pelos chefes de Estado e de Governo da UE na Cimeira do Porto, organizada pela presidência portuguesa da UE.

Conselho Europeu admite debater “proposta concreta” de suspensão de patentes. Farmacêuticas já perdem na bolsa

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Feira do Livro do Porto partilha recandidatura de Moreira. "Foi erro de funcionária"

A câmara do Porto explicou que a partilha do ‘post’ sobre a recandidatura de Rui Moreira feita este domingo na página de Facebook da “Feira do Livro do Porto” se deveu a “erro de uma …

Emma, uma pequena rinoceronte, viajou para o Japão para encontrar o amor

Uma pequena rinoceronte branca de cinco anos viajou de Taiwan para o Japão. Tudo para encontrar o amor. Tal como muitos humanos, os planos de viagem de Emma acabaram por ter de ser adiados devido ao …

Países Baixos 3-2 Ucrânia | Futebol espectáculo em Amesterdão

Os Países Baixos, campeões em 1988, derrotaram hoje a Ucrânia, por 3-2, em jogo da primeira jornada do Grupo C do Euro2020 de futebol, disputado em Amesterdão. Os Países Baixos estiveram a ganhar por 2-0, com …

Esta pequena ilha nas Caraíbas já não tem restrições (e está a oferecer noites em hotéis)

A ilha de Curaçao está a suspender todas as restrições que foram implementadas no âmbito da pandemia de covid-19 e para comemorar está a oferecer estadias em hotéis para os turistas. Curaçao, um território holandês que …

10 estrangeiros do Benfica já jogaram em Europeus (duas estreias na mesma tarde)

Num espaço de seis horas, Seferović e Vertonghen juntaram-se à lista restrita. É um pouco extensa a lista de futebolistas portugueses que jogaram a fase final de um Europeu enquanto tinham contrato com o Benfica. Portugal participou …

"Clara desconexão". Empresas ganham milhões com o consumo de álcool por menores

Os jovens menores de idade consumiram 8,6% das bebidas alcoólicas vendidas em 2016, o que representa lucros de cerca de 17,5 mil milhões de dólares para as empresas. Os produtos das empresas AB Inbev, MillerCoors e …

Após 12 anos de Netanyahu no poder, Israel tem um novo primeiro-ministro

O Parlamento de Israel aprovou, este domingo, o Governo de coligação do novo primeiro-ministro Naftali Bennett, que sucede a Benjamin Netanyahu, que esteve no poder cerca de 12 anos. Dos 119 deputados presentes, de um Parlamento …

Áustria 3-1 Macedónia do Norte | Banco austríaco vale triunfo inédito

A Áustria estreou-se, este domingo, com um triunfo sobre a Macedónia do Norte, por 3-1, no Euro2020, no primeiro jogo do Grupo C da competição, disputado em Bucareste. Stefan Lainer (18 minutos), Michael Gregoritsch (78) e …

Facebook restringe conta de André Ventura

A rede social decidiu restringir, durante 24 horas, a conta do presidente e deputado único do Chega, após terem sido denunciadas duas publicações. De acordo com o Correio da Manhã, denúncias em duas publicações feitas por …

Com parecer desfavorável, arraial da IL juntou centenas (e fez mira a adversários)

A Iniciativa Liberal organizou, este sábado, apesar do parecer desfavorável das autoridades de saúde, um arraial comício, onde se juntaram centenas de pessoas, para dar "esperança" a Lisboa e mostrar que "não há impossíveis". No seu …