/

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas com doenças crónicas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A campanha de vacinação do Serviço Nacional de Saúde arrancou no dia 28 de setembro, com uma primeira fase que incluiu apenas as faixas da população consideradas prioritárias, como residentes em lares de idosos, grávidas e profissionais de saúde e do setor social que prestam cuidados.

Na segunda fase, que se inicia esta segunda-feira, a vacina passa a ser também administrada a outros grupos de risco: pessoas com 65 ou mais anos e pessoas com doenças crónicas.

Habitualmente, a campanha de vacinação começa apenas em 15 de outubro, mas este ano arrancou mais cedo devido à pandemia de covid-19. “Queremos vacinar o mais depressa possível e estamos a fazer planeamento com as administrações regionais de saúde para, se for necessário, ampliar os pontos vacinação para outras estruturas da comunidade” além dos centros de saúde, afirmou a diretora-geral da Saúde.

Quando anunciou a época da vacinação deste ano, Graça Freitas deixou ainda um apelo a todas as pessoas que tiverem indicação médica para que se vacinem, salientando que este ano, com a pandemia, é “ainda mais importante que o façam“.

Farmácias temem não ter stock para tanta procura

De acordo com a edição desta segunda-feira do Jornal de Notícias, já há centros de saúde da região Norte a convocar utentes para tomar a vacina em dezembro, quando as orientações dadas são para agendarem tudo até 30 de novembro.

O Diário de Notícias escreve ainda que as farmácias estão a receber encomendas desde agosto e algumas temem que o stock não seja suficiente e, por isso, não estão a aceitar mais reservas. Aliás, há farmácias a reportar uma procura cinco vezes maior do que no ano passado.

Além das vacinas gratuitas para as pessoas incluídas nos grupos de risco, haverá vacinas à venda nas farmácias que podem ser compradas com receita médica e são comparticipadas.

Este ano, o Serviço Nacional de Saúde comprou mais de dois milhões de vacinas da gripe a duas empresas diferentes, por concurso público, mas todas as vacinas são iguais. Na primeira fase, estiveram disponíveis 350 mil doses.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.