Um terço das emissões de carbono é produzido por apenas 20 empresas

Apenas 20 empresas partilham entre si a responsabilidade por 35% de todo o dióxido de carbono (CO2) e metano (gases de efeito estufa) emitidos no mundo através do consumo de energia – um valor combinado que ronda os 480 mil milhões de toneladas de equivalente em dióxido de carbono emitidas desde 1965.

Segundo noticiou na quarta-feira o Público, citando uma reportagem do Guardian, os dados foram revelados com a nova atualização do Instituto da Responsabilidade Climática dos Estados Unidos da América.

A lista das empresas da área da energia mais poluidoras é encabeçada pela Saudi Aramco, petrolífera estatal da Arábia Saudita que, sozinha, produziu 59,26 mil milhões de toneladas de equivalente em dióxido de carbono durante o período em estudo – ou seja, 4,38% dos gases de efeito estufa emitidos entre 1965 e 2017.

Mas na lista há outros nomes conhecidos, como as privadas Chevron (43.35 mil milhões), BP (34.02 mil milhões)​​ e Shell (31.95 mil milhões), ou ainda as públicas Gazprom russa (43.23 mil milhões)​ ou Petrobras brasileira (8.68 mil milhões). Neste estudo, 12 empresas são estatais e responsáveis por 20% de todas as emissões entre 1965 e 2017.

Do lado dos privados, a Chevron surge em primeiro lugar como a maior poluidora, seguida da Exxon (41.90 mil milhões)​​, da BP e da Shell. Só estas quatro empresas (das oito privadas listadas) são responsáveis por 10% de todas as emissões de carbono desde 1965.

A análise ficou a cargo de Richard Heede do Instituto da Responsabilidade Climática, que tem vindo a atualizar os dados ano após ano, baseando-se nos relatórios anuais de produção de petróleo, gás natural e carvão.

Da lista das 20 empresas fazem igualmente parte a National Iranian Oil Co (35.66 mil milhões)​, a Coal India (23.12 mil milhões), a Pemex (22.65 mil milhões), a Petróleos de Venezuela (15.75 mil milhões), a Peabody Energy (15.39 mil milhões), a ConocoPhillips (15.23 mil milhões) e a Abu Dhabi National Oil Co (13.84 mil milhões).

A lista é composta ainda pela Kuwait Petroleum Corp (13.48 mil milhões), pela Iraq National Oil Co (12.60 mil milhões), pela Total SA (12.35 mil milhões), pela Sonatrach (12.30 mil milhões) e pela BHP Billiton (9.80 mil milhões).

As emissões de carbono e metano são calculadas com base nesses dados, ao longo de toda a cadeia de distribuição – da extração ao uso final. O ano de início desta análise, 1965, não foi escolhido ao acaso: de acordo com Richard Heede, nesse ano já eram conhecidos os impactos ambientais dos combustíveis fósseis junto dos líderes da indústria e políticos.

Nesta atualização, conclui-se que 90% das emissões foram causadas pelo uso dos produtos do petróleo, como gasolina ou gás natural, e 10% pela extração, refinaria e distribuição.

O Guardian tentou contactar as empresas mencionadas no estudo, mas nem todas se mostraram disponíveis para comentar e apenas sete responderam. As que responderam alegaram não serem diretamente responsáveis pela forma como os seus produtos são usados pelos consumidores finais.

Várias disseram aceitar o consenso científico em torno das alterações climáticas e algumas afirmaram apoiar os objetivos do Tratado de Paris – limitação da subida da temperatura bem “abaixo dos dois graus Celsius” e a continuação dos esforços para “limitar o aumento da temperatura a 1,5 graus Celsius” em relação aos níveis pré-industriais.

Outras não aceitaram a responsabilidade: a PetroChina (15.63 mil milhões), por exemplo, disse ser uma empresa separada da sua antecessora, Petróleo Nacional da China, e por isso não se responsabiliza pelas suas emissões históricas.

Ouvido pelo Guardian, Richard Heede considera que todas estas empresas tiveram “uma responsabilidade moral, financeira e legal significativa pela crise climática e um encargo proporcional para ajudar a tratar o assunto”.

Taísa Pagno ZAP // //

PARTILHAR

RESPONDER

Moedas usa o nome de Sócrates para atacar Medina. PS acusa-o de “tirar proveito“ das buscas na CML

Numa altura em que a corrida autárquica se torna cada vez mais feroz, depois de serem conhecidos os motivos das buscas à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas enviou um comunicado às redações em que se …

Enquanto clubes pedem desculpa, Florentino contra-ataca e não desiste da Superliga

O presidente do Real Madrid e da Superliga, Florentino Pérez, manifestou-se na quarta-feira "triste e dececionado" com a suspensão da nova competição europeia de futebol, mas também "surpreendido" com a campanha orquestrada pelo presidente da …

Governo estuda compra de mais vacinas de ARN mensageiro para evitar atrasos

As autoridades de saúde portuguesas estão a estudar a compra de mais vacinas de ARN mensageiro, que até agora não têm revelado efeitos secundários tão graves como a vacina da AstraZeneca e da Johnson & …

O bumerangue pode ter tido mais do que uma função

Investigadores sugerem que o bumerangue pode ter tido mais do que uma função para os australianos aborígenes, como por exemplo moldar ferramentas de pedra. A análise microscópica da superfície de mais de 100 bumerangues de madeira …

Ministério Público e defesa de Sócrates concordam: Ivo Rosa fez uma alteração ilegal à acusação

O Ministério Público (MP) e a defesa de José Sócrates já pediram a nulidade da decisão instrutória do juiz Ivo Rosa no processo judicial da Operação Marquês. Os dois requerimentos defendem que o juiz fez …

Depois da Superliga Europeia, pode chegar agora a Superliga Britânica

Depois de os planos de uma Superliga Europeia terem aparentemente caído por terra, os clubes ingleses preparam uma "Superliga Britânica", que poderá trazer o Celtic e o Rangers para a Premier League. Os planos de uma …

Parlamento admite repensar fim do dia de reflexão. Iniciativa Liberal vai forçar partidos a decidir já

A proposta da Iniciativa Liberal para acabar com o dia de reflexão no sábado que antecede o dia das eleições pode, para já, ficar à espera de uma decisão da Assembleia da República. Esta quarta-feira, na …

O café está sob ameaça das alterações climáticas — mas uma espécie selvagem pode salvá-lo

As plantações de café a nível mundial estão sob ameaça das alterações climáticas. Uma espécie selvagem redescoberta por cientistas pode salvar a bebida favorita de milhões. O mundo adora café. Mais precisamente, adora café arábica. Do …

PS avança com proposta e elogia contributo dos juízes (depois de o Governo o ter rejeitado)

O Governo não acolheu contributos da Associação Sindical dos Juízes por ter dúvidas de "pertinência". Agora, António Costa elogia o contributo e o PS anuncia que vai apresentar um projeto de lei. Os socialistas admitem agora …

Mourinho: oito anos, quatro despedimentos, um campeonato

Treinador português brilhou ao longo da primeira década da sua carreira. Mas a segunda década, desde que rumou a Madrid, está longe de ser a melhor do mundo. Foi afastado novamente de uma equipa, desta …