/

Um só processo de corrupção no Brasil manteria o Museu Nacional durante 640 anos

3

Tânia Rêgo / ABr

Mesmo com um acervo de 20 milhões de peças, o Museu Nacional do Brasil custava muito pouco ao governo federal brasileiro – especialmente quando estes custos são comparados a outros da máquina pública. 

Os cerca de 268 mil reais gastos pelo Museu em 2018 (cerca de 55 mil euros) equivalem, por exemplo, a 15 minutos de gastos do Congresso Nacional em 2017 – Câmara e Senado custariam mais de 1,1 milhão de reais (cerca de 207 mil euros), de acordo com a ONG Contas Abertas, especializada em acompanhar os gastos do governo.

Todos estes dados relativos ao Museu Nacional do Brasil, onde deflagrou um incêndio de enormes proporções no passado domingo, foram levantados pela BBC.

Quando a comparação é feita com o Poder Judiciário o cenário torna-se ainda mais desfavorável: os mesmos 268 mil reais dariam para manter a máquina judiciária brasileira em funcionamento durante menos de 2 minutos em 2017 – só no ano passado, a Justiça brasileira custou 90,8 bilhões de reais (90 mil milhões de euros), de acordo com o relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

EM 2017, o  o Museu teve gastos da ordem de 413 mil reais (85 mil euros). Uma quantia muito modesta quando comparada aos gastos com processos de corrupção no país.

Tendo em conta os valores de 2017, o ex-diretor da Petrobras Pedro Barusco poderia “manter” a instituição durante 640 anos com os 267 milhões que devolveu como parte do seu acordo de delação premiada.

  ZAP // Cibéria

3 Comments

  1. O presidente Lula disse em Madrid (já tinha terminado o mandato) que os portugueses não tinham feito nada no Brasil em 300 anos. Pelo menos deixamos as raízes dum futuro museu que eles nem sequer cuidaram.Digo isto,mas tenho mágoa imensa pela triste situação que agora vive e que seja absolutamente transitória.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.