Ucrânia desiste de participar na Eurovisão sob acusação de pressões políticas

A Ucrânia renuncioua participar no festival da Eurovisão, depois de a televisão não ter conseguido um acordo com nenhum dos três primeiros classificados, nomeadamente a vencedora, que acusa a estação pública de pressão política.

A UA:PBC, estação pública de televisão da Ucrânia, anunciou esta quarta-feira, de acordo com as agências internacionais de notícias, que “renuncia a participar no festival internacional da canção da Eurovisão 2019”, que decorre em maio, em Israel, país de origem da vencedora da edição de 2018, que decorreu em Lisboa.

A Ucrânia tomou a decisão de se excluir da edição deste ano depois de a vencedora do concurso nacional, Maruv, ter renunciado, na segunda-feira, a representar o país por pressões políticas, segundo afirmou, numa decisão secundada ainda no mesmo dia, pela segunda classificada e, esta quarta-feira pela terceira.

“Sou cidadã ucraniana, pago impostos e amo a Ucrânia com toda a sinceridade. Mas não estou disposta a atuar sob lemas que convertem a minha participação no concurso numa campanha de promoção dos nossos políticos”, escreveu Maruv na sua página na rede social Facebook.

Maruv, cujo nome é Anna Korsun e que ganhou no sábado o concurso na Ucrânia com a canção “Siren Song”, negou-se a assinar o contrato proposto pela UA:PBC. O contrato proibia improvisos na atuação e obrigava a cantora a ceder os direitos de autor e a relacionar-se com a imprensa apenas com autorização da UA:PBC.

Entre outras condições, figurava ainda a de se negar a atuar na Rússia e a ser especialmente cuidadosa ao abordar o tema da integridade territorial da Ucrânia ou fazer declarações públicas que pudessem prejudicar a imagem do país no palco internacional.

Freedom Jazz e KAZKA, segundo e terceiro classificados na competição ucraniana, respetivamente, também não chegaram a acordo com a televisão pública do país, o que motivou a desistência da participação na Eurovisão este ano.

“Quando milhares de heróis morrem na frente pela integridade territorial da Ucrânia, o Estado deveria estar representado por artistas dignos, patriotas da Ucrânia, que estejam cientes da sua responsabilidade”, informou o Ministério da Cultura de Kiev.

O júri fez perguntas políticas aos concorrentes durante o concurso televisivo para eleger o representante da Ucrânia, entre as quais se consideravam que a península da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, é território ucraniano.

A European Broadcasting Union (EBU), responsável pela organização do festival da Eurovisão, afirmou, em comunicado, divulgado na página oficial do certame, que lamenta a decisão, que mantém conversações sobre a matéria com a televisão ucraniana e que espera que a Ucrânia regresse ao festival em 2020, acrescentando que, “apesar disso, por agora, aguarda ansiosamente pelo que se perspetiva já como um fantástico evento em Tel Aviv, em maio”.

A Ucrânia juntou-se ao festival da Eurovisão em 2003, tornando-se rapidamente num dos países com maior sucesso na competição, ao atingir sempre a fase final e conseguindo duas vitórias em 15 anos de participação, recorda o site oficial do concurso.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Parlamento aprovou Constitucional em Coimbra (mas PS ainda pode chumbar a saída de Lisboa)

O Parlamento aprovou, na generalidade, a proposta do PSD para transferir o Tribunal Constitucional (TC) e o Supremo Tribunal Administrativo (STA) de Lisboa para Coimbra. Mas a mudança só poderá ser concretizada depois da votação …

Concluídas obras de segurança e consolidação da catedral de Notre-Dame em Paris

A fase de segurança e consolidação da catedral de Notre-Dame, em Paris, quase destruída num incêndio há mais de dois anos, terminou, dando lugar à etapa de restauro, anunciaram este sábado as autoridades. Em 15 de …

Certificados de vacinação emitidos por países terceiros reconhecidos para viagens aéreas

Os certificados de vacinação e de recuperação emitidos por países terceiros passam a ser reconhecidos para viagens aéreas, deixando de ser exigido teste negativo e quarentena quando esta seja aplicável em função da respetiva origem, …

Rui Costa, Benfica

Acções do Benfica com comissão milionária a Carlos Janela. Em AG muito quente, sócios gritaram, mas não puderam votar

A Assembleia-Geral (AG) Extraordinária do Benfica de sexta-feira à noite foi muito quente, com cânticos, protestos e pedidos de demissão dos sócios. Enquanto isso há novos dados sobre o negócio de venda das acções do …

"Não tem passado de figurante". Fenprof diz que sistema educativo bloqueava se dependesse do ministro

O secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof), Mário Nogueira, considerou, esta sexta-feira, que sistema educativo em Portugal já tinha bloqueado se dependesse do trabalho do ministro da Educação e do Governo, realçando que o …

País "esqueceu-se de que existe engenharia". Especialistas criticam recomendação da DGS para ventilação nas escolas

Recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a ventilação nas escolas ficam aquém do que seria necessário, dizem especialistas. Tendo em conta que a covid-19 se transmite por aerossóis, é importante que exista uma boa ventilação …

O "ar salazarento" dos ministros na campanha do PS. Temido usou carro do Governo e pode ter cometido crime

A presença de ministros na campanha dos candidatos socialistas às autárquicas está a causar polémica, sobretudo no Porto, com Rui Moreira a criticar "o ar salazarento de chapelada" do PS. Marta Temido, ministra da Saúde, …

Ataques aéreos dos EUA mataram até 48 mil civis em 20 anos. Pentágono admite morte de civis em Cabul

Uma investigação independente concluiu que entre 22 mil e 48 mil civis morreram vítimas de ataques aéreos das forças dos EUA desde o 11 de Setembro. O Pentágono admitiu também que o ataque a um …

Fernando Pimenta é campeão do mundo em K1 1.000 (e aponta a "mais medalhas" do que os golos de Ronaldo)

O canoísta Fernando Pimenta sagrou-se campeão mundial de K1 1.000 metros, ao bater o húngaro Balint Kopasz na final, nos Mundiais de Copenhaga, aumentando para dois os pódios de Portugal na Dinamarca. Na pista quatro, Pimenta …

MNE garante que todos os afegãos que trabalharam com o Exército português foram retirados do país

O ministro dos Negócios Estrangeiros garantiu esta sexta-feira que o Governo apoiou a retirada de todos os afegãos que trabalharam com as forças portuguesas no Afeganistão, reconhecendo ser "provável" alguns não terem respondido aos contactos. "Nós …