/

Uber quer identificar clientes alcoolizados através de inteligência artificial

2

A Uber submeteu para aprovação uma patente capaz de identificar passageiros bêbados através de inteligência artificial. Com esta tecnologia, a empresa poderia adaptar as condições de serviço para os seus passageiros 

O pedido de patente, submetido na passada quinta-feira, descreve um sistema que aprende o modo padrão como o utilizador usa a aplicação da Uber. Com este “conhecimento”, a aplicação seria depois capaz de detetar comportamentos fora do comum, avança a CNN.

O sistema baseia-se num algoritmo que avalia vários fatores, incluindo erros de digitação, a precisão com que o usuário clica em links e botões, a velocidade de deslocação e quanto tempo o cliente leva a pedir uma viagem. A hora do dia e a zona onde se encontra o cliente podem ser também fatores a ter em conta.

A patente diz ainda que esta aplicação pode também adequar o tipo de serviço prestados pela empresa. Os condutores seriam previamente avisados do estado do passageiro e, por isso, conseguiriam mobilizar motoristas com maior experiência ou treino para transportar passageiros fora do seu estado comum.

Tendo em conta o estado de embriaguez, os passageiros poderiam não ter acesso à opção de partilhar a viagem com outros utilizadores. Para os motoristas da Uber, lidar com passageiros embriagados é um inconveniente na seu trabalho.

“Seria bom se os motoristas recebessem dinheiro extra por transportar passageiros bêbados. Não é uma grande coisa, mas depois 25ª vez torna-se aborrecido”, explicou Harry Campbell, autor do blog The RideShare Guy, em declarações à CNN.

Segundo a Shifter, a Uber não estará apenas interessada em saber o estado em que os seus clientes se encontram antes de entrarem nos automóveis. A empresa poderá estar também interessada em compreender os comportamentos dos clientes através da utilização de big data

  ZAP //

2 Comments

  1. acho que estao a abrir portas para a discriminaçao ! quantas vezes eu proprio fui a batizados casamentos etc,e para nao fazer a ( desfeita ) um brinde e outro ,e chegava a hora de partir ,deixava o carro e chamava um serviço de transporte,nunca tive problema nenhum com o condutor ou eles comigo ! estas manias a 1982 de george horwell, estao a ir longe demais

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.