Do “ditador” ao “racismo flagrante”. Turquia e Israel trocam insultos

Abir Sultan / EPA

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

O primeiro-ministro israelita atacou na terça-feira o Presidente turco depois de o porta-voz do Governo da Turquia ter classificado como “racismo flagrante” as declarações daquele sobre Israel ser apenas um Estado-nação do povo judeu.

“O ditador da Turquia, [Recep Tayyip] Erdogan, ataca a democracia de Israel enquanto jornalistas e juízes enchem as suas prisões. Que piada!”, declarou Benjamin Netanyahu, através de um comunicado difundido pelos seus serviços.

O chefe do Governo israelita afirmou que em Israel “ninguém é cidadão de segunda” e garantiu que o país “é uma democracia, em que todos os israelitas, incluindo os quase dois milhões de cidadãos árabes, desfrutam dos mesmos direitos individuais”.

A polémica resultou de declarações feitas por Netanyahu no domingo passado, em que afirmou que “Israel não é um Estado de todos os seus cidadãos”. Em resposta a críticas da conhecida modelo israelita Rotem Sela, Netanyahu escreveu nas redes sociais: “De acordo com a Lei Básica que aprovámos, Israel é o Estado-nação do povo judeu, e apenas seu”.

O porta-voz do executivo turco, Ibrahim Kalin, condenou na terça-feira, na sua conta na rede social Twitter, as declarações do primeiro-ministro israelita, a quem acusou de “racismo flagrante” e “discriminação”.

E acrescentou: “1,6 milhões de árabes/muçulmanos vivem em Israel. Os governos ocidentais vão reagir ou guardar silêncio novamente, sob pressão?”.

As declarações de Netanyahu, feitas em período pré-eleitoral, valeram-lhe várias críticas, designadamente de atrizes e modelos, como Gal Gadot, a “Mulher-Maravilha”, e provocou uma forte polémica no país. A Lei do Estado-Nação, aprovada em 2018 em Israel e qualificada como racista, outorga o direito à autodeterminação apenas ao povo judeu e retira o estatuto de língua cooficial ao árabe.

Cerca de 20% da população israelita são cidadãos árabes com nacionalidade israelita, na sua maioria palestinianos que ficaram dentro das fronteiras de Israel depois da sua criação em 1948 e seus descendentes, um grupo que se considera discriminado e que os setores mais extremistas consideram uma ameaça para a identidade judia de Israel.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Por que esses 20% de árabes com cidadania israelita permaneceram em Israel? Por que não foram para junto dos seus compatriotas para lutar por não sei o quê? Resposta possível: porque Israel é um país altamente respeitável, uma verdadeira democracia, uma nação trabalhadora e próspera, um lugar em que todas as pessoas que desejarem se integrar ao modo de vida progressista têm espaço. Façam uma pesquisa honesta e séria sobre os avanços tecnológicos, médicos, sociais, agrícolas, econômicos etc. etc. etc. de Israel. Ficarão de queixo caído.

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …

Esqueletos revelam que fosso entre ricos e pobres começou a abrir-se há 6.600 anos

A análise a ossos encontrados numa sepultura na Polónia mostram que o fosse entre ricos e pobres na Europa começou a abrir-se muito antes daquilo que se pensava. O desaparecimento da classe média é um problema …

Super-Terras quentes podem ter atmosferas metálicas brilhantes

Os cientistas querem perceber porque é que as super-Terras quentes possuem um brilho tão chamativo - e já há uma hipótese em cima da mesa. Os exoplanetas, chamados de super-Terras quentes, podem ser particularmente brilhantes e …

As larvas de peixe-sol são adoráveis (mas crescem e tornam-se gigantescos "nadadores")

Uma equipa de cientistas australianos e neozelandeses descobriram as fases iniciais da larva gigante de peixe-sol. Pela primeira vez, o sequenciamento de ADN identificou as larvas do peixe-sol (Mola alexandrini). O peixe-sol, conhecido cientificamente como Mola …

Telescópio Webb vai estudar Júpiter, os seus anéis e duas intrigantes luas

Júpiter, que tem o nome do rei dos antigos deuses romanos, comanda a sua própria miniversão do nosso Sistema Solar de satélites circundantes; os seus movimentos convenceram Galileu Galileu de que a Terra não era …

Turista danifica escultura do século XIX enquanto posa para fotografia (e é apanhado pelas câmaras de vigilância)

A polícia italiana identificou um austríaco de 50 anos que danificou uma estátua do século XIX num museu em Itália, enquanto posava para uma fotografia. O incidente ocorreu no passado dia 31 de junho, segundo …

Covid-19: Brasil supera as 100.000 mortes

O Brasil ultrapassou hoje a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde. Segundo os mais recentes …

As vacas leiteiras têm relações complexas (que se alteram quando mudam de grupo)

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Chile e dos Estados Unidos concluiu que as vacas leiteiras vivem em redes sociais complexas que se alteram quando estes animais são movidos para outros grupos.  Para …