É o tudo ou nada. Boris Johnson vai apresentar “proposta final” para o Brexit

Neil Hall / EPA

Boris Johnson vai apresentar uma proposta final à União Europeia para o Brexit e vai ser apresentado como uma espécie de ultimato.

O primeiro ministro britânico vai apresentar aquilo que considera ser um “compromisso justo e razoável” do Reino Unido para lidar com as exigências da UE. À BBC, Boris Johnson assegurou que o Governo britânico tem para apresentar à União Europeia um conjunto de “propostas muito construtivas e de longo alcance” para romper o impasse do Brexit.

Uma das principais novidades do documento que terá sido já enviado a Bruxelas e a vários países da União Europeia é a criação de uma segunda fronteira entre Irlandas, ainda que transitória, até 2025, segundo o jornal britânico The Telegraph.

A fronteira entre as Irlandas é um dos principais obstáculos ao acordo entre Reino Unido e União Europeia. A Irlanda do Norte faz parte do Reino Unido que está de saída, ao contrário da República da Irlanda que vai ficar na UE. Há o receio de uma fronteira a sério entre Irlandas passa trazer ao de cima os fantasmas do conflito entre católicos e protestantes.

A proposta do Reino Unido reconhece que a Irlanda do Norte deverá ter uma “relação especial com a Europa” – e com a República da Irlanda – pelo menos até 2025 e vai aceitar a necessidade “de uma fronteira reguladora entre o Reino Unido e a Irlanda do Norte, no Mar do Norte”, que facilite a ligação da Irlanda do Norte à República da Irlanda.

No entanto, existirão “postos de controlo aduaneiro entre o Ulster [região que divide Irlanda e Irlanda do Norte] e a República da Irlanda”. A Irlanda do Norte “continuaria em grande parte no mercado único da UE até pelo menos 2025 — mas deixaria de beneficiar da união aduaneira com a UE tal como o resto do Reino Unido”.

Boris Jonhson quer abandonar a União Europeia, mas manter também um acordo de livre comércio até se chegar a outro acordo. Além disto, propõe que a Irlanda do Norte permaneça no mercado único da UE para a livre circulação de bens industriais e agrícolas — para evitar tensões e diferença de tratamento com a República da Irlanda.

Já os produtos com origem no Reino Unido e destinados à Irlanda Norte serão alvo de controlo, através de uma fronteira aduaneira “high-tech” com o país vizinho. Ao fim de quatro anos, a Irlanda do Norte pode escolher se quer ficar dentro das regras da UE e da Irlanda vizinha ou se prefere alinhar-se com o restante Reino Unido.

À BBC, Johnson, disse que os controlos alfandegários seriam “absolutamente mínimos” e sem que envolvam “nova infraestrutura”.

Os governos das principais capitais europeias já terão sido informados dos detalhes da proposta “final” do Reino Unido para o Brexit e antecipa-se resistência ao plano. Sem acordo, o Reino Unido sairá da UE no final do mês – a 31 de outubro.

Boris Johnson tenciona ser tão firme no ultimato à UE que um dos seus principais conselheiros de estratégia, Dominic Cummings, terá avisado nos bastidores que “não vamos ficar à espera que negoceiem connosco [desta vez]. Se rejeitarem a nossa oferta, acabou-se”.

ZAP //

 

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Falta de meios dificulta marcação de testes à Covid-19

Os utentes do Norte referenciados pelas autoridades de saúde para fazerem o teste à Covid-19 estão a ter grandes dificuldades na marcação nos laboratórios recomendados, devido ao disparo na procura e ao facto de a …

"Impõe-se manter as medidas de contenção", diz Marcelo

O Presidente da República afirmou esta terça-feira que se impõe manter as medidas de contenção que vigoram em Portugal, referindo que essa foi uma opinião unânime na segunda reunião técnica sobre a situação da covid-19 …

Crise poderá levar a Juve a vender Ronaldo por 70 milhões

A crise financeira causada pela pandemia de covid-19 poderá "obrigar" a Juventus a vender Cristiano Ronaldo por 70 milhões de euros, avança a imprensa italiana, frisando que existem mais dois cenários em cima da mesa. O …

Pavilhão Rosa Mota transformado em "Hospital de Missão" com 300 camas

O Pavilhão Rosa Mota, no Porto, entrará, na próxima semana, em funcionamento como “Hospital de Missão” e, com 300 camas, servirá para acolher doentes com poucos sintomas de covid-19 ou até assintomáticos sem “retaguarda familiar”. “Trata-se …

Maduro acusa EUA de provocarem "perigoso momento de tensão" no continente

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou na segunda-feira uma carta aos governantes internacionais, alertando que os Estados Unidos (EUA), ao oferecerem uma recompensa por informações que levem à sua detenção, conduzem a "um perigoso …

Prestações ao banco vão subir para quem recorrer à moratória

As prestações dos créditos à habitação vão subir para empresas e clientes particulares que pedirem a sua suspensão no âmbito da moratória criada pelo Governo. Os juros vencidos durante os seis meses da moratória serão …

BE e PCP querem isenção do pagamento de propinas durante estado de emergência

O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português consideram que os alunos do Ensino Superior devem ficar isentos do pagamento de propinas durante o estado de emergência. Tanto o BE como o PCP sempre defenderam …

Menina de 12 anos morre na Bélgica vítima da covid-19

Uma menina de 12 anos morreu esta segunda-feira na Bélgica devido à pandemia de covid-19, anunciaram esta terça-feira as autoridades de saúde deste país. "É um caso muito raro, mas que nos afeta muito, é um …

"Bomba" de Graça Freitas rebentou-lhe nas mãos. Governo rejeita cerco sanitário ao Porto

O Secretário de Estado da Saúde, António Sales, rejeitou, nesta terça-feira, a possibilidade de impor um cerco sanitário ao Porto. Esta hipótese foi avançada pela directora-geral da Saúde, Graça Freitas, e foi fortemente criticada por …

Novo máximo diário. Covid-19 mata mais 849 pessoas em Espanha

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 849 mortos com o novo coronavírus, um novo recorde de falecidos num só dia, elevando o balanço total para 8189. Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um …