Trump recebe Erdogan na Casa Branca para primeiro encontro após ofensiva na Síria

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebe esta quarta-feira na Casa Branca o seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, naquele que é o primeiro encontro após a ofensiva turca lançada a 9 de outubro na Síria.

O encontro entre os dois chefes de Estado ocorre logo depois do encerramento de um novo capítulo de tensões entre Ancara e Washington, após a entrada de tropas turcas no nordeste da Síria contra os curdos.

Trump anunciou sanções económicas contra a Turquia pela ofensiva no nordeste da Síria em meados de outubro e disse que “acabaria com a economia turca” se os curdos, aliados tradicionais dos EUA, fossem afetados.

Poucos dias depois, no entanto, o Presidente ordenou o levantamento das sanções impostas contra três ministros turcos, após chegar a um acordo em que a Turquia declarou um cessar-fogo permanente e a criação de uma “zona de segurança” na fronteira turco-síria.

Antes de partir para Washington, o Presidente turco acusou na terça-feira os Estados Unidos de não terem cumprido totalmente o compromisso de retirar as forças curdas do nordeste da Síria. “Vou dizer ao Presidente (Donald Trump), com provas documentais, que o acordo a que chegámos (na Síria) não foi totalmente respeitado”, disse Recep Tayyip Erdogan, numa conferência de imprensa no aeroporto de Ancara.

Um acordo assinado a 17 de outubro pelo vice-Presidente dos EUA, Mike Pence, durante uma visita a Ancara, abriu caminho para a suspensão da ofensiva turca lançada a 9 de outubro no nordeste da Síria para expulsar as milícias curdas — nomeadamente as Unidades de Proteção Popular (YPG), aliadas de Washington na luta antijihadista.

Este acordo prevê a retirada das YPG da fronteira turca e o estabelecimento de uma zona de segurança de 32 quilómetros de largura ao longo de uma faixa fronteiriça da Turquia em território sírio.

A compra de armas russas pela Turquia também será um dos assuntos da reunião de hoje entre os dois presidentes No domingo, o conselheiro de Segurança Nacional norte-americano, Robert O’Brien, admitiu estar “muito chateado” com a compra de armas russas pela Turquia. O’Brien disse que, se a Turquia não se livrar do sistema de mísseis russo S-400, “provavelmente haverá sanções”.

Em 29 de outubro, a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou, com apoio bipartidário, mais sanções contra o Governo turco e as suas Forças Armadas pela ofensiva realizada no nordeste da Síria no início de outubro. Se for aprovada pelo Senado e posteriormente ratificada pelo Presidente dos EUA, Donald Trump, a medida sancionará os funcionários turcos envolvidos na ofensiva turca e os bancos associados à Defesa do país até Ancara terminar as operações militares na Síria.

Além disso, o projeto de resolução ordena à Casa Branca a imposição de sanções adicionais à Turquia pela compra de sistemas de mísseis S-400 fabricados na Rússia e proíbe a exportação de armas dos EUA para o exército turco.

// Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Fomos enganados, geologicamente enganados." Novos segredos vulcânicos revelados

Um estudo levado a cabo por cientistas da Universidade de Queensland revelou novos detalhes sobre a composição geológica da crosta terrestre. Até agora, os cientistas pensavam que a lava arrefecida dos chamados vulcões "hot spot" era …

Os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas iguais

Uma série de novas imagens revela que os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas sopas iguais. Astrónomos mapearam os produtos químicos dentro dos berços planetários com detalhe extraordinário. Os mapas revelam a …

O Hawaii quer remover a sua "escadaria para o paraíso" - e a culpa é dos turistas

Em causa estão preocupações com a segurança e vandalismo, que têm aumentado com a explosão de popularidade da escadaria Ha‘ikū nas redes sociais. É caso para dizer que a Stairway to Heaven vai para o inferno …

Inventou o ZX Spectrum e mudou o mundo. Morreu Clive Sinclair

O empresário britânico e inventor do computador doméstico ZX Spectrum, Clive Sinclair, morreu hoje aos 81 anos na sua casa, em Londres (Reino Unido), devido a doença prolongada, informou a filha ao jornal “The Guardian”. Morreu …

Esta torre construída na Suécia não é gigante em altura, mas em sustentabilidade

Para além de ser feito de um material sustentável — fornecido por florestas locais com gestão consciente e transformado por uma serração nas proximidades, o Centro Cultural dispõe de múltiplas tecnologias que fazem dele mais …

Empresa canadiana debaixo de fogo por publicar anúncios de emprego destinados a não vacinados

Uma empresa de canoagem, sediada no Canadá, está debaixo de fogo depois de ter colocado anúncios de emprego destinados, exclusivamente, a pessoas não vacinadas contra a covid-19. "Por favor, NÃO se candidate se tiver tomado quaisquer …

Disparam ataques a jornalistas. Bruxelas insta países da UE a aumentar proteção

Os países da União Europeia (UE) foram instados por Bruxelas a tomar medidas para proteger os jornalistas, após um aumento no número de ataques a membros da imprensa. A Comissão Europeia exortou os governos a criarem …

Facebook e Google criticados por anúncios de "reversão do aborto"

O Facebook já veiculou anúncios de "reversão do aborto" 18,4 milhões de vezes desde janeiro de 2020, de acordo com um relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH), promovendo um procedimento "não comprovado, antiético" …

Líder militar dos EUA temeu que Trump iniciasse guerra nuclear com a China - e chegou a ligar aos chineses

As revelações aparecem em Peril, o novo livro de Bob Woodward e Robert Costa sobre os bastidores da Casa Branca. Trump já respondeu. O General Mark Milley, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, …

França suspende 3.000 profissionais de saúde que recusaram vacina contra covid-19

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde sem remuneração por se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19, revelou o ministro responsável pela pasta, Olivier Véran. Segundo Véran, citado esta quinta-feira pelo Guardian, "várias dezenas" …