Trump assina decreto a dar prioridade às vacinas para os EUA antes de serem exportadas

Jim Lo Scalzo / EPA

O Presidente dos EUA, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou esta terça-feira um decreto que dá prioridade à entrega de vacinas no país antes de serem exportadas, considerando que os EUA podem ficar sem doses após a fase inicial de vacinação.

O decreto vai garantir “que o Governo dos Estados Unidos dê prioridade à vacinação de cidadãos americanos, antes de enviar as vacinas para outros países”, acrescentou Donald Trump, enquanto a Pfizer/BioNTech, responsáveis pela vacina contra a covid-19 que pode vir a ser autorizada dentro de dias, contava distribuir apenas 100 milhões de doses no país.

A Moderna, cuja vacina pode ser autorizada até ao final da próxima semana, também prometeu 100 milhões de doses. Cada contrato inclui opções para doses adicionais, mas o tempo para ativar essas cláusulas pode atrasar a entrega em vários meses.

Existem mais de 330 milhões de norte-americanos e o Governo afirma que pode cumprir a meta de fornecer uma vacina a todos até abril de 2021.

Os dois fabricantes possuem unidades industriais nos EUA na Europa, e existem leis que, em teoria, permitiriam ao Governo norte-americano antecipar a produção de ambos os laboratórios, como a Lei de Produção de Defesa.

O texto do decreto que Trump assinou diante das câmaras, durante uma “cimeira da vacina”, na Casa Branca, não foi divulgado imediatamente. “Se necessário, vamos invocar a Lei de Produção de Defesa”, disse Trump, acrescentando, porém, não achar “que seja necessário fazê-lo”.

Duas outras vacinas com ensaios clínicos já avançados podiam ser autorizadas no início de 2021, garantindo o abastecimento dos Estados Unidos. Uma, a ser administrada em duas inoculações, da AstraZeneca/Oxford, de que Washington encomendou 500 milhões de doses, e outra, a administrar em dose única, da farmacêutica norte-americana Johnson & Johnson, da qual os EUA esperam 100 milhões de doses.

Por sua vez, o presidente eleito, Joe Biden, alertou para a possibilidade de a campanha de vacinação contra o novo coronavírus poder desacelerar ou mesmo parar se o Congresso não conseguir chegar a um acordo financeiro, em breve, para combater a pandemia.

“Sem uma ação urgente do Congresso este mês, (…) há uma possibilidade real de que após uma primeira campanha de vacinação esses esforços diminuam e parem”, alertou.

Joe Biden prometeu a administração de 100 milhões de vacinas nos primeiros 100 dias na presidência. A equipa de Donald Trump planeara vacinar 100 milhões de pessoas até março de 2021, num total de 200 milhões de doses.

Esta terça-feira, Biden pediu uma ação urgente em relação à pandemia de coronavírus enquanto apresentava uma equipa de saúde que será testada a cada passo e se esforçará para restaurar um sentido de normalidade no quotidiano dos norte-americanos.

Biden estabeleceu três prioridades contra a covid-19 nos primeiros 100 dias da sua presidência: pedir a todos os compatriotas para usarem máscara, a administração de 100 milhões de vacinas e a promessa de tentar reabrir a maioria das escolas do país.

No topo da lista de escolhas de Biden estava o secretário de saúde indicado, Xavier Becerra, político latino que cresceu numa família humilde e que serviu o Congresso como procurador-geral da Califórnia. Um empresário conhecido pela eficiência em gerir crises, e um quarteto de médicos, entre os quais Anthony Fauci, considerado pelo governo o maior especialista em doenças infecciosas, fazem parte das escolhas de Biden.

A urgência do momento nos EUA, que se confronta com uma média de mortes diária de 2.200 e de infetados na ordem dos 200.000, ofuscou, todavia, todas as promessas de bem-estar para o país.

Assessores científicos do Governo reúnem-se, na quinta-feira, para, alegadamente, recomendarem a administração nos EUA da vacina da Pfizer/BioNTech, que já está a ser administrada no Reino Unido. Ter uma vacina aprovada e disponibilizá-la a 330 milhões de americanos são, porém, situações diferentes.

Por isso, Biden alertou para a necessidade de Donald Trump proceder a uma revisão da equipa que planeia a campanha de vacinação, considerando que esta tem deficiências.  Nesse sentido, pediu ao Congresso que aprove uma legislação para financiar a administração de vacinas à medida que se tornem mais amplamente disponíveis no próximo ano.

Becerra, escolhido por Biden para chefiar o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), terá o apoio da Casa Branca pelo empresário Jeff Zients, que assumirá o papel de coordenador da resposta ao coronavírus.

Ao lado de Fauci, e de outros médicos selecionados, nomeadamente a especialista em doenças infecciosas Rochelle Walensky para dirigir os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, Vivek Murthy, cirurgião geral e a epidemiologista de Yale, Marcella Nunez-Smith para chefiar um grupo de trabalho para garantir a distribuição justa e equitativa de vacinas e tratamentos.

Como secretário do HHS, Becerra será responsável por supervisionar o gabinete de realojamento de refugiados que cuida de menores desacompanhados que entram nos EUA de forma ilegal. Como procurador-geral, ajudou a liderar uma coligação de procuradores-gerais estaduais que contestaram as políticas de separação de crianças do Governo Trump.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …

Casal queria que o seu filho se chamasse Vladimir Putin. A Suécia não deixou

Na Suécia, os pais são obrigados a comunicar os nomes dos seus filhos recém-nascidos ao Skatteverket nos primeiros três meses a partir do nascimento. Um casal sueco, que vive na cidade de Laholm, foi proibido pela …

44 jogos seguidos sem ganhar. Mas o presidente não está preocupado

O Atlético Mogi não vence qualquer jogo oficial há mais de quatro anos. Perdeu em 42 desses 44 duelos. 17 de Junho de 2017 foi o último dia em que o Atlético Mogi venceu um jogo …

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …

Milionário norte-americano Robert Durst condenado por matar melhor amiga

O milionário norte-americano Robert Durst, tornado famoso por um documentário do canal HBO, foi condenado na sexta-feira num tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, por matar a melhor amiga, um crime que remonta a …