Trump assina decreto a dar prioridade às vacinas para os EUA antes de serem exportadas

Jim Lo Scalzo / EPA

O Presidente dos EUA, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou esta terça-feira um decreto que dá prioridade à entrega de vacinas no país antes de serem exportadas, considerando que os EUA podem ficar sem doses após a fase inicial de vacinação.

O decreto vai garantir “que o Governo dos Estados Unidos dê prioridade à vacinação de cidadãos americanos, antes de enviar as vacinas para outros países”, acrescentou Donald Trump, enquanto a Pfizer/BioNTech, responsáveis pela vacina contra a covid-19 que pode vir a ser autorizada dentro de dias, contava distribuir apenas 100 milhões de doses no país.

A Moderna, cuja vacina pode ser autorizada até ao final da próxima semana, também prometeu 100 milhões de doses. Cada contrato inclui opções para doses adicionais, mas o tempo para ativar essas cláusulas pode atrasar a entrega em vários meses.

Existem mais de 330 milhões de norte-americanos e o Governo afirma que pode cumprir a meta de fornecer uma vacina a todos até abril de 2021.

Os dois fabricantes possuem unidades industriais nos EUA na Europa, e existem leis que, em teoria, permitiriam ao Governo norte-americano antecipar a produção de ambos os laboratórios, como a Lei de Produção de Defesa.

O texto do decreto que Trump assinou diante das câmaras, durante uma “cimeira da vacina”, na Casa Branca, não foi divulgado imediatamente. “Se necessário, vamos invocar a Lei de Produção de Defesa”, disse Trump, acrescentando, porém, não achar “que seja necessário fazê-lo”.

Duas outras vacinas com ensaios clínicos já avançados podiam ser autorizadas no início de 2021, garantindo o abastecimento dos Estados Unidos. Uma, a ser administrada em duas inoculações, da AstraZeneca/Oxford, de que Washington encomendou 500 milhões de doses, e outra, a administrar em dose única, da farmacêutica norte-americana Johnson & Johnson, da qual os EUA esperam 100 milhões de doses.

Por sua vez, o presidente eleito, Joe Biden, alertou para a possibilidade de a campanha de vacinação contra o novo coronavírus poder desacelerar ou mesmo parar se o Congresso não conseguir chegar a um acordo financeiro, em breve, para combater a pandemia.

“Sem uma ação urgente do Congresso este mês, (…) há uma possibilidade real de que após uma primeira campanha de vacinação esses esforços diminuam e parem”, alertou.

Joe Biden prometeu a administração de 100 milhões de vacinas nos primeiros 100 dias na presidência. A equipa de Donald Trump planeara vacinar 100 milhões de pessoas até março de 2021, num total de 200 milhões de doses.

Esta terça-feira, Biden pediu uma ação urgente em relação à pandemia de coronavírus enquanto apresentava uma equipa de saúde que será testada a cada passo e se esforçará para restaurar um sentido de normalidade no quotidiano dos norte-americanos.

Biden estabeleceu três prioridades contra a covid-19 nos primeiros 100 dias da sua presidência: pedir a todos os compatriotas para usarem máscara, a administração de 100 milhões de vacinas e a promessa de tentar reabrir a maioria das escolas do país.

No topo da lista de escolhas de Biden estava o secretário de saúde indicado, Xavier Becerra, político latino que cresceu numa família humilde e que serviu o Congresso como procurador-geral da Califórnia. Um empresário conhecido pela eficiência em gerir crises, e um quarteto de médicos, entre os quais Anthony Fauci, considerado pelo governo o maior especialista em doenças infecciosas, fazem parte das escolhas de Biden.

A urgência do momento nos EUA, que se confronta com uma média de mortes diária de 2.200 e de infetados na ordem dos 200.000, ofuscou, todavia, todas as promessas de bem-estar para o país.

Assessores científicos do Governo reúnem-se, na quinta-feira, para, alegadamente, recomendarem a administração nos EUA da vacina da Pfizer/BioNTech, que já está a ser administrada no Reino Unido. Ter uma vacina aprovada e disponibilizá-la a 330 milhões de americanos são, porém, situações diferentes.

Por isso, Biden alertou para a necessidade de Donald Trump proceder a uma revisão da equipa que planeia a campanha de vacinação, considerando que esta tem deficiências.  Nesse sentido, pediu ao Congresso que aprove uma legislação para financiar a administração de vacinas à medida que se tornem mais amplamente disponíveis no próximo ano.

Becerra, escolhido por Biden para chefiar o Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), terá o apoio da Casa Branca pelo empresário Jeff Zients, que assumirá o papel de coordenador da resposta ao coronavírus.

Ao lado de Fauci, e de outros médicos selecionados, nomeadamente a especialista em doenças infecciosas Rochelle Walensky para dirigir os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, Vivek Murthy, cirurgião geral e a epidemiologista de Yale, Marcella Nunez-Smith para chefiar um grupo de trabalho para garantir a distribuição justa e equitativa de vacinas e tratamentos.

Como secretário do HHS, Becerra será responsável por supervisionar o gabinete de realojamento de refugiados que cuida de menores desacompanhados que entram nos EUA de forma ilegal. Como procurador-geral, ajudou a liderar uma coligação de procuradores-gerais estaduais que contestaram as políticas de separação de crianças do Governo Trump.

Lusa ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

27 reúnem-se numa videocimeira para discutir restrições e a aceleração do processo de vacinação

Esta quinta-feira, os 27 reúnem-se virtualmente, numa cimeira coordenada, a partir de Bruxelas, pelo presidente do Conselho Europeu Charles Michel.  Segundo apurou a TSF, na videocimeira desta quinta-feira, os governos deverão reconhecer que a situação epidemiológica …

Em risco de perder a imunidade, Puigdemont fala em "pressão espanhola"

Carles Puigdemont, Toni Comín e Clara Ponsati estão em risco de perder imunidade. O ex-presidente do governo da Catalunha fala em "pressão espanhola" no Parlamento Europeu. O levantamento da imunidade de Carles Puigdemont e de dois …

Plano de desconfinamento a circular nas redes sociais é falso. Governo faz denúncia ao Ministério Público

Esta quinta-feira, começou a circular nas redes sociais um alegado plano de desconfinamento que teria início já no mês de março. O Governo já veio avisar que o documento é falso e vai fazer uma …

Carlos Carreiras diz que "Passos Coelho não é passado, é presente"

O presidente da Câmara de Cascais voltou a criticar a liderança do líder do PSD e, em sentido contrário, deixou rasgados elogios ao seu antecessor. Numa entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Carlos Carreiras …

PSP diz que jovem que se gabou de violação no Instagram pode ter "fantasiado"

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Viseu afirma que "tudo leva a crer" que o jovem que assumiu, em direto no Instagram, ter violado uma rapariga estivesse a fantasiar. A PSP de Viseu identificou o …

Termina hoje o prazo para validar faturas para apresentar no IRS

Os contribuintes têm até esta quinta-feira para validar e verificar as faturas de 2020 no Portal e-fatura e que vão servir de base no cálculo das deduções no IRS. Há já vários anos que as deduções …

“Foi torturada”. Princesa Latifa escreve carta à polícia a pedir que investigue desaparecimento da irmã

Latifa escreveu à polícia britânica em 2019. O caso da sua irmã Shamsa, raptada em Inglaterra há mais de vinte anos, tem muitas semelhanças com o drama agora vivido pela princesa. A princesa Latifa, filha do …

Pelo menos oito mortos após golpe de Estado em Myanmar. ONG pedem embargo ao fornecimento de armas

Pelo menos oito pessoas morreram em Myanmar, como resultado da violência desencadeada após o golpe de Estado realizado pelos militares a 1 de fevereiro, segundo a Associação de Assistência aos Prisioneiros Políticos (AAPP). Até agora, o …

24 mil milhões até 2025 e 100% renovável até 2030. Eis o novo plano estratégico da EDP

A EDP apresenta esta quinta-feira o seu novo plano estratégico, comprometendo-se a investir 24 mil milhões de euros até 2025 na transição energética e anunciando o objetivo de até 2030 se tornar 100% verde. Na nota …

Manchester United e Liverpool querem Raphinha, ex-Sporting

Raphinha, antigo jogador do Sporting CP e do Vitória SC, está a ser sondado pelo Manchester United e pelo Liverpool. O brasileiro tem estado em destaque na Premier League, ao serviço do Leeds. Manchester United e …