Trump admite cancelar acordo caso China espere até às eleições de 2020

Thomas Peter / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com o presidente da China, Xi Jinping

No primeiro dia das negociações para um acordo comercial, Trump garantiu ter “todas as cartas” na mão. O presidente americano colocou ainda a hipótese de cancelar o acordo caso a China espere até às eleições de 2020.

As negociações entre Estados Unidos e China não começaram da melhor forma, segundo o próprio Donald Trump. O presidente americano acusa os chineses, numa série de tweets, de tentarem sempre mudar o acordo para seu próprio benefício.

“A China está a sair-se muito mal, o pior ano em 27 — deveriam ter começado a comprar os nossos produtos agrícolas agora — não há sinais de que o façam“, escreveu Trump esta terça-feira. O norte-americano ainda enalteceu a economia do seu país que “se tornou muito maior” do que a economia chinesa nos últimos três anos.

Trump aproveitou ainda para abordar o tema das eleições de 2020, referindo que a China talvez consiga o acordo que quer caso “Joe Sonolento” (Joe Biden) vença as eleições. “Talvez aí eles consigam um grande acordo, como nos últimos 30 anos”, escreveu.

Aliás, Donald Trump sugeriu que a China pode estar a tentar prolongar as negociações para um acordo comercial até às eleições de 2020, esperando que aí Trump já não esteja na Casa Branca.

Contudo, o presidente garante que “se e quando ganhar”, o acordo será muito mais duro do que aquele que está a ser atualmente negociado. “Ou nem sequer haverá acordo”, atirou o americano.

As negociações entre os dois países pararam em maio, e Trump subiu de 10 para 25% as tarifas sobre vários produtos chineses, levando Pequim a contra-atacar e a impor mais taxas sobre produtos norte-americanos, explica o Observador.

Uma fonte próxima da Reuters garantiu que o acordo será decidido por gestos de “boa vontade”, como por exemplo o compromisso chinês em comprar produtos agrícolas norte-americanos e os Estados Unidos aliviarem as sanções a empresas tecnológicas chinesas, como é o caso da Huawei.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Este maniaco ainda nao percebeu que está a perder a guerra, já teve a primeira derrota com a huqwei, quando levantou a interdição a esta empresa, esta a ser derrotado pelos seus proprios agricultores, ele anda a ser mal aconselhado. Os eua nao têm qualquer hipotese de ganhar uma guerra comercial com a china até pela quantidade da população de cada país. A nivel militar nao faltará muito para ser ultrapassado pela china, porque quanto à russia já foi largamente ultrapassado a nivel de misseis, e mesmo na aviação a vantagem que tem a a quantidade, porque na qualidade já foi ultrapassado pelo SU57, que compratativamente ao F35, é muito, mas muito superior, segundo a imprensa americana, e custa menos de metade do f35, este parece que nao passa de sucata voadora, a alemanha recusa-se a adquirir estes avioes.

    • Por perder a guerra quer voce dizer, desemprego em niveis historicamente baixos, bolsa que subiu 50%, salarios a subirem 3%, ISIS vencido, China no sentido contrario com o pior desempenho em 20 anos, ui é cá uma derrota para o Trump.

  2. Engraçado que todas esses pontos positivos que aponta ao Trump, Sr. Joaquim, são resultados de políticas e medidas impostas na América pelo governo anterior ao dele, mas pronto, é claro que ele é que colhe os louros…Do que ele fez não há nada de bom

RESPONDER

Câmara do Porto encerra cemitérios nos dias 31 de outubro e 1 e 2 de novembro

O presidente da Câmara do Porto anunciou o encerramento dos cemitérios em 31 de outubro e 1 e 2 de novembro, justificando a decisão com a necessidade de desviar meios para cumprir a proibição de …

Rui Vitória de saída do Al Nassr

O treinador português Rui Vitória está de saída do Al Nassr, avança este sábado o canal árabe 24Sports. A saída de Rui Vitória, que em janeiro de 2019 deixou o comando técnico do Benfica, surge …

Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos. Câmara contesta

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho …

Novo Banco desmente demissão de gestores após polémicas com Fundo de Resolução e Vieira

O Novo Banco veio a público desmentir a notícia do Público que alega que três gestores de topo da instituição se demitiram, após divergências internas envolvendo várias polémicas relacionadas com o Fundo de Resolução, com …

Milhões da bazuka europeia só chegam em junho

Portugal e os restantes Estados-membros das União Europeia (UE) só deverão receber os respetivos fundos da bazuka europeia de apoio à retoma no pós-pandemia na segunda metade de 2021, em meados de junho. A confirmar-se …

Braço de ferro entre Costistas e Nunistas novamente adiado

O PS voltou a adiar, agora de 31 de Outubro para 7 de Novembro, a reunião da Comissão Nacional que decidirá a orientação do partido face às eleições presidenciais. Fica assim adiado o braço-de-ferro entre …

Cercas sanitárias e recolher obrigatório. Governo avalia novas medidas na próxima semana

O Ministério da Saúde, liderado por Marta Temido, vai voltar a reunir na próxima semana com o Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP), num encontro em que serão discutidas novas medidas para travar a propagação …

Presidenciais EUA. Biden promete vacina gratuita para todos, Trump apela ao voto latino

Joe Biden e Donald Trump continuam em campanha eleitoral para a corrida à Casa Branca, numas eleições que estão agendadas para 3 de novembro. O candidato presidencial democrata Joe Biden prometeu esta sexta-feira que a vacina …

Há 72 concelhos com risco "muito elevado" de contágio. Governo esconde mapas de perigo

O Governo insiste em não divulgar os mapas de perigo com o risco de contágio por coronavírus que foram feitos por peritos da Direcção Geral de Saíde (DGS). Isto numa altura em que o Expresso …

Nuno Melo estuda candidatura à liderança do CDS

O eurodeputado Nuno Melo não excluiu uma candidatura à liderança do CDS, avança este sábado o semanário Expresso. Confrontado pelo jornal, o eurodeputado não excluiu uma eventual candidatura à liderança dos centristas, dizendo apenas que "não …