Trump admite cancelar acordo caso China espere até às eleições de 2020

Thomas Peter / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com o presidente da China, Xi Jinping

No primeiro dia das negociações para um acordo comercial, Trump garantiu ter “todas as cartas” na mão. O presidente americano colocou ainda a hipótese de cancelar o acordo caso a China espere até às eleições de 2020.

As negociações entre Estados Unidos e China não começaram da melhor forma, segundo o próprio Donald Trump. O presidente americano acusa os chineses, numa série de tweets, de tentarem sempre mudar o acordo para seu próprio benefício.

“A China está a sair-se muito mal, o pior ano em 27 — deveriam ter começado a comprar os nossos produtos agrícolas agora — não há sinais de que o façam“, escreveu Trump esta terça-feira. O norte-americano ainda enalteceu a economia do seu país que “se tornou muito maior” do que a economia chinesa nos últimos três anos.

Trump aproveitou ainda para abordar o tema das eleições de 2020, referindo que a China talvez consiga o acordo que quer caso “Joe Sonolento” (Joe Biden) vença as eleições. “Talvez aí eles consigam um grande acordo, como nos últimos 30 anos”, escreveu.

Aliás, Donald Trump sugeriu que a China pode estar a tentar prolongar as negociações para um acordo comercial até às eleições de 2020, esperando que aí Trump já não esteja na Casa Branca.

Contudo, o presidente garante que “se e quando ganhar”, o acordo será muito mais duro do que aquele que está a ser atualmente negociado. “Ou nem sequer haverá acordo”, atirou o americano.

As negociações entre os dois países pararam em maio, e Trump subiu de 10 para 25% as tarifas sobre vários produtos chineses, levando Pequim a contra-atacar e a impor mais taxas sobre produtos norte-americanos, explica o Observador.

Uma fonte próxima da Reuters garantiu que o acordo será decidido por gestos de “boa vontade”, como por exemplo o compromisso chinês em comprar produtos agrícolas norte-americanos e os Estados Unidos aliviarem as sanções a empresas tecnológicas chinesas, como é o caso da Huawei.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Este maniaco ainda nao percebeu que está a perder a guerra, já teve a primeira derrota com a huqwei, quando levantou a interdição a esta empresa, esta a ser derrotado pelos seus proprios agricultores, ele anda a ser mal aconselhado. Os eua nao têm qualquer hipotese de ganhar uma guerra comercial com a china até pela quantidade da população de cada país. A nivel militar nao faltará muito para ser ultrapassado pela china, porque quanto à russia já foi largamente ultrapassado a nivel de misseis, e mesmo na aviação a vantagem que tem a a quantidade, porque na qualidade já foi ultrapassado pelo SU57, que compratativamente ao F35, é muito, mas muito superior, segundo a imprensa americana, e custa menos de metade do f35, este parece que nao passa de sucata voadora, a alemanha recusa-se a adquirir estes avioes.

    • Por perder a guerra quer voce dizer, desemprego em niveis historicamente baixos, bolsa que subiu 50%, salarios a subirem 3%, ISIS vencido, China no sentido contrario com o pior desempenho em 20 anos, ui é cá uma derrota para o Trump.

  2. Engraçado que todas esses pontos positivos que aponta ao Trump, Sr. Joaquim, são resultados de políticas e medidas impostas na América pelo governo anterior ao dele, mas pronto, é claro que ele é que colhe os louros…Do que ele fez não há nada de bom

RESPONDER

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …