Trump cada vez mais perto de declarar emergência nacional para construir um muro

(dp) sgt. Brigitte N. Brantley / DoD

Donald Trump aproximou-se na quinta-feira de declarar uma emergência nacional nos EUA, a propósito da disputa com os democratas sobre o financiamento da construção de um muro na fronteira com o México.

A pressão está a aumentar para procurar uma saída para o impasse, que dura há três semanas e já provocou o encerramento de vários serviços governamentais, deixando centenas de milhares de trabalhadores sem salário.

Durante uma visita a McAllen e Rio Grande, no estado do Texas, Trump garantiu: “Declararei a emergência nacional”, num cenário em que não consiga a aprovação pela Câmara dos Representantes, dominada pelos democratas, do financiamento do muro, estimado em 5,7 mil milhões de dólares (4,9 mil milhões de euros).

Cerca de 800 mil funcionários públicos, mais de metade dos quais mantêm-se no ativo, não vão receber o cheque salarial na sexta-feira e Washington está próximo de estabelecer um novo recorde de duração de shutdown na história do país, que se situa em 21 dias.

Estes marcos, juntamente com os efeitos nos parques nacionais, nas inspeções alimentares e no conjunto da economia, estão a incomodar cada vez mais republicanos no Congresso. Questionado sobre a situação dos funcionários públicos que vão ficar sem salário, Trump respondeu que se sentia mal “pelas pessoas que têm familiares que foram assassinados” por criminosos que entraram na fronteira.

Donald Trump tem estado a avaliar com os advogados da Casa Branca e os seus aliados o uso dos poderes presidenciais de emergência para avançar de forma unilateral e construir o muro, independentemente das objeções do Congresso.

“Ou ganhamos, ou fazemos um compromisso — porque penso que um compromisso é uma vitória para todos — ou vou declarar uma emergência nacional”, afirmou Trump, antes de partir da Casa Branca para a fronteira. Não está claro como se pode alcançar um compromisso e não há indícios que esteja algum em preparação.

Trump assegura que não reabre o governo enquanto não tiver o dinheiro para o muro. Os democratas dizem que favorecem medidas para reforçar a segurança fronteiriça, mas opõem-se ao muro. Não há negociações em curso no congresso.

Durante a visita a um posto fronteiriço, em McAllen, Trump viu mesas cheias com pilhas de armas e estupefacientes. Tal como quase todos os estupefacientes traficados através da fronteira, estes tinham sido apreendidos pelos agentes nos pontos oficiais de passagem de fronteira, disseram-lhe, e não nas áreas remotas para onde pretende estender o muro. Mesmo assim, declarou: “Um muro funciona… Nada como um muro”.

// Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …