Trump exige que se pare “a caça às bruxas” em reação a testemunho de embaixador

David Maxwell / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

“Esta caça às bruxas deve parar agora. Tão prejudicial para o nosso país!”, escreveu Donald Trump no Twitter, em reação ao testemunho do seu embaixador da União Europeia.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, manifestou a sua indignação face ao testemunho do seu embaixador na União Europeia exigindo que “a caça às bruxas” pare já. “Esta caça às bruxas deve parar agora. Tão prejudicial para o nosso país!”, escreveu Donald Trump na rede social Twitter, num comentário ao testemunho do embaixador Gordon Sondland.

Esta declaração foi feita depois de o embaixador dos Estados Unidos na União Europeia ter assumido uma pressão sobre a Ucrânia, no âmbito do inquérito para a destituição do Presidente norte-americano.

Antes deste tweet, Donald Trump procurou distanciar-se do embaixador norte-americano na União Europeia, Gordon Sondland, dizendo que o conhece mal.

“Eu não o conheço muito bem. Não conversei muito com ele”, disse Trump sobre o embaixador, no dia em que este foi ao Congresso afirmar que tinha pressionado o Governo da Ucrânia a investigar as atividades da família de Joe Biden, rival político do Presidente norte-americano, por instruções expressas deste.

A declaração do Presidente norte-americano contrasta com uma mensagem da sua conta pessoal da rede social Twitter, de 8 de outubro, em que Trump dizia que adorava que Sondland fosse testemunhar no Congresso, dizendo que ele era um “homem bom e um grande americano”.

Durante a audiência pública na comissão de inquérito para destituição de Trump, Gordon Sondland disse ainda que houve uma relação de troca (“quid pro quo”) — facto central no inquérito para a destituição — entre a entrega de ajuda militar à Ucrânia e a investigação à atividade de Hunter Biden, filho de Joe Biden, junto da empresa ucraniana Burisma, e que transmitiu preocupação sobre esse facto ao vice-Presidente, Mike Pence.

No seu depoimento no Congresso, Gordon Sondland confirmou que agiu perante o governo da Ucrânia sob “ordens do Presidente” e que elas pressupunham a pressão para investigação sobre Hunter Biden, filho de Joe Biden, e a sua atividade junto de uma empresa ucraniana, Barisma, suspeita de corrupção, em troca de ajuda militar e de uma reunião do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, na Casa Branca.

Donald Trump está sob investigação do Congresso num inquérito para a sua destituição (impeachment), acusado de abuso de poder no exercício do cargo.

Trump é suspeito de ter pressionado o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, a investigar uma empresa ucraniana da qual foi administrador o filho do ex-vice-Presidente Joe Biden, dado como favorito a concorrer pelos Democratas nas eleições de 2020, em troca de uma ajuda militar dos EUA.

O 45.º Presidente norte-americano, em funções desde 20 de janeiro de 2017, já tinha qualificado a investigação como uma “caça às bruxas”. As audiências públicas do inquérito arrancaram em 13 de novembro.

Se as conclusões do inquérito forem aprovadas por maioria simples na Câmara dos Representantes, o processo segue para o Senado, sendo necessária uma maioria de dois terços para a destituição do Presidente.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Polaris Slingshot chega ao mercado com um sistema de transmissão inovador

A nova versão do Polaris Slingshot vem equipado com um sistema de transmissão que mescla a condução do manual com o conforto do automático. Para quem não conhece o Polaris Slingshot, apresentado pela primeira vez em …

Turistas estão a invadir Hallstatt, a aldeia austríaca que terá inspirado "Frozen"

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1997, Hallstatt, na Áustria, possui apenas 778 moradores e tem uma sequência de casas em estilo alpino. Em 2010, antes do lançamento do primeiro filme da Disney, "Frozen", a cidade …

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …

Paulo Gomes é o novo presidente do Vitória de Setúbal

O ex-vice-presidente, líder da lista D, foi eleito presidente do Vitória de Setúbal para o mandato 2020-2023, com um total de 875 votos. Paulo Gomes, de 50 anos, foi o mais votado das cinco listas candidatas, …

O mercado online de leite materno está a crescer (mas pode ser mau para os bebés)

https://vimeo.com/385229063 Para os pais que querem que o seu filho beba leite materno, mas que não conseguem produzi-lo, a possibilidade de o poder comprar na Internet pode parecer uma boa solução. No entanto, este mercado não …

Regina Duarte convidada para suceder a secretário da Cultura demitido

A atriz brasileira confirmou, na sexta-feira, ter sido convidada pelo Presidente do país para liderar a Secretaria da Cultura do Governo, após a exoneração de Roberto Alvim por ter parafraseado um discurso nazi. "É isso, recebi …

Universidade de Harvard quer criar 127 novos estados nos EUA

A Harvard Law Journal, da Universidade de Harvard, publicou um plano ousado - mas, segundo os autores, completamente constitucional - para salvar a democracia: criar 127 novos e minúsculos estados. Atualmente, todos os estados dos Estados …