Tripulantes portugueses da Ryanair obrigados a dormir no chão. Empresa diz que é uma “encenação”

As condições meteorológicas provocadas pela tempestade Leslie obrigaram ao desvio de quatro voos da Ryanair que tinham como destino o Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Os tripulantes ficaram sem acesso a comida e a dormir no chão, denuncia o Sindicato Nacional Do Pessoal De Voo Da Aviação Civil (SNPVAC).

No passado fim de semana, a tempestade Leslie abalou Portugal e, consequentemente, obrigou o desvio de quatro voos da Ryanair que tinham como destino o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. A companhia aérea desviou os aviões para Málaga, em Espanha, onde os 24 tripulantes ficaram sem condições para descansar e sem acesso a alimentação.

Segundo o Diário de Notícias, a falta de condições foi denunciada pelo Sindicato Nacional Do Pessoal De Voo Da Aviação Civil (SNPVAC), que avança que os trabalhadores foram colocados numa sala de reuniões, onde não havia “as mínimas condições de descanso”.

“Os 24 tripulantes ficaram desde a 1h30 até às 06h00 (hora local) sem acesso a comida, bebidas e até sem lugar para todos se poderem sentar.” Por volta das 06h00, os trabalhadores foram encaminhados para o lounge do aeroporto continuando “sem acesso a comida e a bebidas”, refere o sindicato em comunicado.

Questionada pelo matutino, a Ryanair diz que tudo não passa de uma encenação.

“Esta imagem é claramente encenada e nenhum tripulante ‘dormiu no chão’. Devido a tempestades que afetaram o aeroporto do Porto, alguns voos foram desviados para Málaga onde, tratando-se de um fim de semana prolongado em Espanha, os hotéis se encontravam cheios. A tripulação passou um breve período de tempo na sala de tripulantes antes de ser colocada num lounge VIP, tendo regressado ao Porto no dia seguinte (nenhum destes tripulantes esteve e serviço durante o regresso ao Porto)”, adianta fonte oficial.

O SNPVAC garante que irá proceder a uma “denúncia formal a todas as Autoridades da Aviação Civil envolvidas”, esperando “uma intervenção urgente e robusta para que situações desta natureza não voltem a acontecer“.

“É lamentável e inadmissível que, em pleno século XXI, possamos assistir a este tipo de situações, onde ainda constatamos que a Ryanair opera sem qualquer tipo de respeito pelos seus funcionários e pelos seus passageiros que também foram deixados à sua sorte no referido aeroporto, num setor, fortemente regulado por autoridades nacionais e europeias”, conclui o SNPVAC.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Errado, imbecis foram mesmo os funcionários (ou provavelmente “ex-funcionários”, ao dia de hoje…).
    De facto, mais valia terem-se ido embora se não estavam contentes com o posto de trabalho. Não são obrigados a trabalhar lá. Têm melhor, vão-se embora, caso contrário acarinhem o que têm, pois é o melhor que têm.
    Não haverá quem queira preencher os postos de trabalho, por isso não faz sentido estes estarem a ser ocupados por quem não os quer.
    Imbecil, de facto, é prejudicar a própria empresa que lhes garante o trabalho e que lhes paga os salários. Deprimente.

RESPONDER

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …

Dia da Defesa Nacional regressa ao formato presencial a 2 de setembro

O Dia da Defesa Nacional, que está suspenso desde o dia 9 de março devido à pandemia de covid-19, irá regressar ao formato presencial a 2 de setembro, anunciou o Governo esta quarta-feira. Em comunicado, o …

Norte-americano detido depois de usar fundos da covid-19 para comprar um Lamborghini

As autoridades dos Estados Unidos detiveram um empresário que comprou um carro de luxo da marca Lamborghini com dinheiro que recebeu de programas federais para ajudar os afetados pelo novo coronavírus (covid-19). A notícia é …