Tribunal ordena recolha do livro de José António Saraiva

(td)(dr) Gradiva / record.pt

O jornalista José António Saraiva, ex-director dos semanários Expresso e Sol

O jornalista José António Saraiva, ex-director dos semanários Expresso e Sol

O Tribunal da Relação de Lisboa ordenou à editora Gradiva que recolha dos distribuidores, no prazo de 20 dias, os exemplares do livro “Eu e os políticos” de José António Saraiva, segundo o acórdão a que Lusa teve acesso.

Segundo notícia avançada pelo jornal Público, a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) foi proferida no âmbito de uma providência cautelar apresentada pela jornalista Fernanda Câncio, que pedia a imediata apreensão de todos os exemplares do livro lançado em setembro de 2016, bem como a sua proibição de venda.

Numa decisão de 03 de março, o TRL ordenou também que os dois parágrafos que falam sobre a jornalista sejam eliminados em futuras edições.

Em causa estão dois parágrafos do livro “Eu e os políticos”, que Fernanda Câncio considera “uma invasão da sua vida privada” e constituir “um ilícito civil e criminal”.

A decisão do TRL surge após Fernanda Câncio ter perdido na primeira instância, em dezembro, tendo, na altura, a juíza considerado que “a análise objetiva do trecho do livro em causa não autoriza este tribunal a restringir a liberdade de expressão do seu autor e, consequentemente, a decretar a proibição da venda do referido livro”.

O TRL considera agora que o livro “viola o direito à reserva íntima e privada”.

Segundo o acórdão, “na verdade, se o fim de quem escreve ou informa não extravasa o simples domínio do privado, sem qualquer dimensão pública, o direito à reserva da vida privada não pode ser sacrificado para salvaguarda da liberdade de expressão e de informação”.

O Tribunal da Relação de Lisboa sustenta também que se trata da “vida pessoal e íntima, sem qualquer relevância social”, sendo “a ela e não a outrem que compete decidir o que torna público ou o que quer manter em segredo”.

Para os juízes do TRL, Isoleta Almeida Costa, Octávia Viegas e Rui Ponte Gomes, a descrição feita no livro “é uma evidente invasão da zona da vida privada da requerente, e nesta, parcialmente, na sua esfera íntima”.

Sobre o argumento apresentado pelo jornalista José António Saraiva, que alegou que a apreensão do livro seria inútil, uma vez que a obra circula na internet numa edição ilegal, o TRL considerou que “não vale para aqui a circulação na internet de cópias do livro para legitimar a não aplicação de uma medida”.

“Pois a lesão que ocorra por aquela via não justifica lesão que venha a ocorrer por outra via como é a da publicação e venda do livro”, refere o acordão. Os juízes referem ainda que “não pode razoavelmente manter em venda os livros publicados com tal referência”, apesar de em causa estar apenas uma página de entre 263.

A medida é necessária à prevenção da lesão“, salientam os magistrados.

Contactada pela agência Lusa, a editora Gradiva referiu que o assunto está, neste momento, a ser acompanhado pelos advogados. A Lusa tentou contactar também José António Saraiva, mas sem sucesso.

// Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Estamos a falar disto :

    “Faço um parêntesis para falar de Fernanda Câncio. Conheci -a
    no Expresso, onde ela começou a trabalhar como estagiária antes
    de se mudar para a Elle. Nessa altura, namorava com Abílio Leitão,
    que também trabalhava no Expresso como copy desk e vivia em
    casa de um colega, onde Fernanda Câncio ficava também muitas
    vezes a dormir.
    Sucede que Abílio tinha um fetiche pela fotografia (aliás, viria a
    ser fotógrafo free lancer) e dedicava -se a tirar fotografias das rela-
    ções com a namorada. E não tinha o cuidado de esconder as fotos,
    deixando -as a revelar em cima dos móveis. Um dia, a empregada
    que ia fazer a limpeza foi entregar ao dono da casa um maço de
    fotografias que tinha apanhado e que considerava impróprio estarem
    espalhadas pelo quarto. Devo esclarecer que nunca vi essas
    fotos, mas o episódio que acabo de relatar é autêntico, dada a fonte
    que mo confidenciou”.

    Que cena my godjy

    • Obrigado! Receava ter que procurar pelo livro na net, assim é mais simples. Francamente, um desperdício dos nossos serviços… além que esta “luta” só vai promover o efeito Streisend.

  2. E tanta coisa só por causa de um simples parágrafo que até nem tem nada de especial? -_-
    Estamos numa democracia ou voltámos ao fascismo?

  3. É tão pateta publicar um livro a descrever a vida sexual dos outros, sejam figuras públicas ou não, como é alguém se incomodar com o que escrevem sobre ele, especialmente quando se trata de patetices.

RESPONDER

Pessoas que espalham ódio na Internet tendem a ser psicopatas

Os utilizadores da Internet que publicam comentários de ódio sobre outras pessoas tendem a ter traços psicopáticos. Por outro lado, os cientistas não encontraram uma correlação entre essa prática e narcisismo ou maquiavelismo. Estes utilizadores são …

Polícia britânica tingiu de negro uma lagoa azul para afastar visitantes

A Polícia britânica decidiu tingir de negro uma lagoa azul muito procurada na região de Derbyshire, visando assim afastar os visitantes e fazer com que estes cumpram o isolamento social exigido pelas autoridades para travar …

A maior cascata do Equador desapareceu repentinamente

A maior cascata do Equador, com cerca de 150 metros, desapareceu repentinamente por causa de uma dolina. Investigadores ainda não sabem se esta apareceu por causas naturais ou humanas. Em fevereiro, a cascata de San Rafael, …

Aprovada descida de 3% na eletricidade no mercado regulado

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou uma descida do preço da tarifa aplicada no mercado regulado de cinco euros por megawatt/hora (MWh). Contas feitas, trata-se de uma redução de aproximadamente 3% no total …

Turquemenistão proibiu o uso da palavra "coronavírus"

Enquanto o mundo luta para conter a propagação da pandemia de covid-19, no Turquemenistão os cidadãos podem ser presos só por dizerem a palavra "coronavírus". De acordo com a rádio NPR, que cita a organização não …

EDP oferece desconto de 20% a profissionais e organizações de saúde

Face à pandemia de covid-19, a EDP vai oferecer um desconto de 20% na fatura da eletricidade a profissionais e organizações de saúde, anunciou esta quarta-feira a empresa liderada por António Mexia em comunicado. “A …

Bill Gates deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia

Num artigo publicado no jornal norte-americano Washington Post, o fundador da Microsoft, Bill Gates, deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia de covid-19, que já fez 43 mil mortes em todo o …

Comissão de Trabalhadores da TAP pede nacionalização da companhia

A Comissão de Trabalhadores (CT) da TAP reforçou esta quarta-feira o apelo para que a transportadora “se torne 100% pública”, depois de a empresa ter anunciado o lay-off da maioria dos trabalhadores, segundo um comunicado. No …

"Posso ir?" Há uma app que lhe diz como estão as filas nos supermercados

A comunidade tecnológica tech4COVID19 criou uma aplicação móvel que permite aos seus utilizadores consultar as filas e as afluências aos supermercados. A app, sob o nome "Posso ir?", pretende orientar os utilizadores nas idas aos …

Conte pede à Alemanha mais solidariedade europeia. “Se somos uma União, está na hora de o provarmos”

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, fez esta quarta-feira um apelo solene à Alemanha para que haja mais solidariedade europeia no combate à pandemia da covid-19, que está a afetar severamente o seu país. “Se somos uma …