Tribunal irlandês indemniza trabalhadores portugueses em mais de um milhão de euros

O Tribunal Superior da Irlanda concedeu a indemnização superior a um milhão de euros a 20 trabalhadores portugueses de três empresas que alegam ter vivido em “terríveis condições” durante a construção de uma autoestrada.

A situação remonta a 2007 e 2008, quando mais de cem trabalhadores de um consórcio composto por três empresas portuguesas alegaram “terríveis condições”, pagamentos abaixo do contratado e descontos por alojamento e lavandaria.

A concessão das indemnizações foi feita pela juíza Carmel Stewart, que considerou que os trabalhadores foram “tratados de forma chocante pelos seus empregadores”, de acordo com a imprensa local.

Assinalando que os trabalhadores estiveram no país durante dois anos, a juíza afirmou que “custa a acreditar que o seu tormento se tenha prolongado por tanto tempo”.

A magistrada determinou que os 20 trabalhadores, representados por Tom O’Regan & Co e David McGrath, têm direito a uma compensação pelas falhas nos contratos.

As deduções feitas pelos empregadores aos salários para “alojamento e lavandaria” também foram consideradas “injustificadas e injustas” pelos trabalhadores, que alegam ainda a existência de fraudes nos registos de horas de trabalho.

Os trabalhadores viviam em pré-fabricados, sem água potável, com fraco saneamento e chegavam a partilhar quarto com até oito pessoas. “As instalações sanitárias fornecidas pelos arguidos eram impróprias para qualquer ser vivo”, acrescentou a magistrada.

Perante as circunstâncias, Carmel Stewart afirmou que os trabalhadores tinham direito a uma indemnização de 818 mil euros a partilhar entre eles, sendo esperada ainda a inclusão de juros, que levarão a que a verba ultrapasse o milhão de euros.

A juíza disse que os trabalhadores apresentaram provas em tribunal de serem “indivíduos decentes e trabalhadores” que eram “inteiramente inocentes” perante os eventos ocorridos desde a atribuição da construção do troço rodoviário ao consórcio RAC Eire Partnership, em 2006. O consórcio era composto pelas empresas Amândio Carvalho SA, Rosas Construtores SA e Gabriel Couto SA.

As construtoras estão atualmente a ser julgadas à revelia por não terem nomeado advogados para os representarem em tribunal.

As três empresas tinham sido contratadas para construir uma autoestrada na Irlanda entre 2007 e 2009, tendo já sido condenadas, em março de 2016, pelo Tribunal Superior a pagar indemnizações a um grupo de 27 trabalhadores portugueses, decisão confirmada em outubro pelo Tribunal de Recurso.

Os trabalhadores, que foram recrutados em Portugal, viram provado que as empresas não registavam todas as horas que trabalhavam e que o valor estava abaixo do previamente acordado, além de descontarem automaticamente um serviço de lavandaria e para alojamento considerado inadequado.

Segundo os media locais, o assunto voltará a ser abordado em tribunal no próximo ano.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Manchas gigantes de Betelgeuse podem explicar o seu estranho escurecimento

As manchas gigantes da estrela Betelgeuse podem estar por detrás do estranho escurecimento que esta estrela tem vindo a experimentar, segundo uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Max Planck, na Alemanha. …

Pela primeira vez, os norte-americanos querem mais imigração - e não menos

Pela primeira vez, os norte-americanos querem ver aumentar a imigração no seu país, escreve o Business Insider citando uma sondagem da Gallup. De acordo com os números apresentados pelo jornal norte-americano, 34% dos cidadãos dos …

Porto 5-0 Belenenses | Segunda parte demolidora no Dragão

O FC Porto respondeu de forma categórica à vitória do Benfica sobre o Boavista por 3-1 na noite de sábado. Na recepção ao Belenenses, os “azuis-e-brancos” golearam por expressivos 5-0, com quatro golos a serem apontados …

Foi exposto o primeiro núcleo exoplanetário. Pode pertencer a gigante gasoso "planeta falhado"

Astrónomos da Universidade de Warwick descobriram o núcleo sobrevivente de um gigante gasoso em órbita de uma estrela distante, oferecendo uma visão sem precedentes do interior de um planeta. O núcleo, que é do mesmo tamanho …

As águas profundas provocam terramotos e tsunamis (e já se sabe como)

Uma nova investigação vincula diretamente o ciclo da água na Terra com a produtividade magmática e a atividade sísmica. A água (H2O) e outros elementos voláteis (como o CO2 e o enxofre) que circulam nas profundezas …

Cidade japonesa acaba de proibir a utilização de telemóveis enquanto se caminha

A cidade japonesa de Yamato acaba de aprovar uma proposta de lei que proíbe as pessoas de utilizarem telemóveis enquanto caminham. A cidade, localizada num subúrbio de Tóquio, entende que os telemóveis são um risco …

MIT apagou base de dados popular que ensinou IA a ser racista e sexista

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, viu-se obrigado apagar uma base de dados de treinamento de Inteligência Artifical (IA) depois de esta ensinar vários algoritmos a usar insultos racistas e sexistas. …

Escola Básica e fábrica de Paços de Ferreira encerradas, com nove casos positivos

A Escola Básica n.º 2 e a Fábrica de Lacados Abrelac, em Paços de Ferreira, Porto, foram encerradas após diagnosticados nove casos de covid-19 para “prevenção” e para “interromper as cadeias de transmissão”, disseram hoje …

Mais nove mortes e 328 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral …

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …