Tradição de comer carne de cão na China já não é o que era, mas a polémica continua

bildungsr0man / Flickr

Mascote ou jantar?

Mascote ou jantar?

Restaurantes de Yulin, sul da China, voltaram a servir carne de cão para celebrar o início do verão, ignorando os crescentes protestos de organizações amigas dos animais, mas a tradição parece estar a perder adeptos.

Como todos os anos, no solstício de verão, aquela povoação da província de Guangxi organizou no fim de semana um Festival de Carne de Cão, iguaria servida com líchias e regada com aguardente de cereais, que segundo crenças locais, “é muito fortificante”, melhora a circulação sanguínea e combate a impotência.

Também todos os anos, grupos de defesa dos direitos dos animais voltaram a pedir a proibição do festival, mas o governo local argumentou que se trata de uma tradição enraizada na população.

Trata-se igualmente de uma fonte de receita para os criadores de cães e os restaurantes que os compram para cozinhar neste dia.

Milhares de cães – as estimativas citadas na imprensa variam entre 2.000 e 10.000 – são cozinhados durante o festival.

No sábado passado, um quilo de cão chegou a atingir o preço recorde de 50 yuan (cerca de 6 euros), disse um jornal. (Um quilo de porco, uma das carnes mais consumidas na China, custa metade daquele preço).

Ativistas de outras regiões da China deslocaram-se a Yulin para protestar contra a realização do festival, tendo-se até registado confrontos físicos com proprietários dos restaurantes, referiu a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua.

Uma mulher de Tianjin, norte da China, disse ter comprado mais de 200 cães, por cerca de 450 yuan (50 euros) cada um, evitando assim que os animais acabassem no prato.

“Não podemos impedir a população de celebrar esta festa tão antiga, mas à nossa maneira podemos salvar muitos cães“, disse a mulher à Xinhua.

Um responsável dos serviços municipais de Saúde de Yulin citado pela Xinhua indicou que 17 restaurantes da povoação deixaram de servir carne de cão e quatro outros foram proibidos de o fazer.

48 restaurantes locais continuam, contudo, a confecionar aquele prato.

“Embora haja residentes que não desistem da tradição, as vendas durante o festival de carne de cão caíram“, afirmou o China Daily.

Num editorial dedicado ao assunto, aquele jornal defendeu que “as pessoas têm liberdade de comer o que quiserem desde que não seja proibido”, afirmando que “os amigos dos cães não podem considerar-se moralmente superiores aos outros”.

Em Pequim, Xangai e outras grandes cidades chinesas, milhões de famílias, sobretudo da nova classe média, têm cães em casa e tratam-nos com estimação, restaurando o que nas primeiras décadas de Governo comunista era considerado “um hábito burguês“.

Segundo uma revista chinesa da especialidade, em 2009 – catorze anos depois de o Governo ter autorizado cães de estimação dentro das zonas urbanas – havia 58 milhões em 20 cidades e o número aumentava 30% ao ano.

Em Pequim, a licença para ter cão (apenas um por cada casal) custa no primeiro ano mil yuan (120 euros), o que corresponde a mais de metade do salário mínimo mensal na cidade.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro. No entanto, isto não quer dizer que o nosso planeta esteja a ficar inclinado. Mais de 5.000 quilómetros abaixo de …

Incêndios devastam sul da Europa e obrigam a retirar moradores e turistas

Dezenas de aldeias e hotéis foram este domingo evacuados nas zonas turísticas do sul da Turquia devido a incêndios que começaram há cinco dias e já mataram oito pessoas no país, devastando também regiões da …

Há uma empresa a transformar as cinzas de entes queridos em diamantes

Uma empresa norte-americana transforma cinzas de entes queridos — e animais de estimação — em diamantes, que podem ser colocados em anéis ou colares. Lidar com a morte de um ente querido é sempre uma altura …

Pianista de aeroporto ganhou 60 mil dólares em gorjetas

Tonee "Valentine" Carter, que toca piano num aeroporto norte-americano, ganhou 60 mil dólares (cerca de 50.800 mil euros) depois de um estranho partilhar um vídeo seu a tocar. Tonee "Valentine" Carter, de 66 anos, não é …

Youtubers denunciam campanha de fake news contra vacina da Pfizer

De acordo com a imprensa brasileira, uma agência de marketing terá tentado que influenciadores digitais de todo o mundo partilhassem desinformação sobre as vacinas contra a covid-19. A denúncia foi feita por alguns dos influenciadores …

Na Tailândia, a legalização do aborto enfrenta "resistência espiritual"

Desde fevereiro, qualquer pessoa que procure fazer um aborto na Tailândia consegue fazê-lo legalmente, pelo menos no primeiro trimestre. Ainda assim, muitos médicos e enfermeiros recusam-se a levar a cabo o procedimento. A advogada Supecha Baotip …

Haiti. Viúva do presidente assassinado implica seguranças no crime

Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise — assassinado na sua residência por um comando armado no início de julho — descreveu abertamente o ataque e partilhou as suas suspeitas sobre o crime …

Covid-19. Portugal regista 2.306 novos casos e aumento nos internados

Portugal registou este domingo 2.306 novos casos de infeção por covid-19 e mais oito mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).  Portugal regista este domingo oito mortes atribuídas à covid-19, 2.306 novos casos …

Birmânia. Líder da junta volta a prometer eleições até 2023, seis meses depois do golpe militar

O líder da junta militar birmanesa, no poder desde o golpe de 1 de fevereiro, comprometeu-se novamente a realizar eleições "até agosto de 2023". “Estamos a trabalhar para estabelecer um sistema multipartidário democrático”, disse, este domingo, …

Tóquio2020. Patrícia Mamona conquista medalha de prata no triplo salto (e melhora recorde nacional)

Patrícia Mamona conquistou este domingo a medalha de prata no triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao conseguir 15,01 metros, novo recorde nacional, arrebatando a segunda medalha por atletas portugueses depois do bronze do judoca …