Carta de trabalhadores denuncia produtos Google e Amazon. “Negam direitos a palestinianos”

Centenas de trabalhadores das duas empresas tecnológicas assinaram uma carta em conjunto onde condenam a decisão de fornecer serviços ao governo de Israel e apelam ao apoio da comunidade internacional.

Numa carta anónima publicada no jornal britânico The Guardian, trabalhadores das gigantes tecnológicas norte-americanas Google e Amazon manifestaram-se contra o Projecto Nimbus, um contrato de venda de produtos tecnológicos assinado entre as empresas e o governo de Israel.

“Nós acreditamos que a tecnologia que criamos deve ser usada para servir e elevar as pessoas em todo o lado. Como os trabalhadores que mantém estas empresas a trabalhar, somos moralmente obrigados a falar contra violações dos nossos valores“, começa a carta, que já foi assinada internamente por 90 trabalhadores na Google e 300 na Amazon. Os funcionários mantêm-se anónimos por temerem retaliações.

Os trabalhadores referem que já há anos que têm visto as empresas a procurar contratos com o Departamento de Defesa dos EUA, o ICE (a polícia que patrulha a fronteira americana com o México e que aplicava a política de separação de crianças nos centros de detenção) e departamentos locais e estaduais de polícia.

“Estes contratos mostram um padrão perturbador de militarização, falta de transparência e fuga à supervisão”, criticam. No seguimento deste padrão, as empresas assinaram recente o Projecto Nimbus para a “venda de tecnologia perigosa com o exército e governo israelitas” na mesma semana em que Israel “atacou palestinianos na Faixa de Gaza”, tendo matado quase 250 pessoas, “incluindo mais de 60 crianças”.

O Projecto Numbus é um contrato assinado entre a Google e a Amazon e o governo israelita avaliado em 1.2 mil milhões de dólares para o fornecimento de serviços de cloud, que os trabalhadores consideram que vão ser usados para “mais vigilância e recolha de dados ilegais de palestinianos” e para aumentar ainda mais o domínio dos colonatos israelitas no território que é legalmente da Palestina.

Os funcionários dizem que não podem ignorar a situação ao verem os produtos que criam a ser usados “para negar os direitos básicos aos palestinianos” por um governo que está a ser investigado internacionalmente por cometer crimes de guerra.

“Condenamos a decisão da Amazon e da Google de assinar o contrato do Projecto Nimbus com o exército e governo israelitas e pedimos-lhes que rejeitem este e futuros contratos que vão prejudicar os nossos utilizadores. Apelamos aos trabalhadores na área da tecnologia a nível global e à comunidade internacional que se junte a nós na criação de um mundo onde a tecnologia promove a segurança e dignidade de todos”, concluem.

  Adriana Peixoto, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Muito PIOR do que os palestrantes vivem os cipriotas greco ortodoxos ROUBADOS e escoŕraçados pela Turquia na sua nação na ilha do Chipre….
    O povo pacífico do Tibete às mãos do regime mais assassino da história da humanidade ( regime comunista chinês assassinou mais de cem milhões de inocentes entre 1950 e 1975…), o GENOCÍDIO da população do Tibete começou em 1959 mas os políticos, media, analistas, ONU, intelectuais etc assobiam como prova da mentalidade selvagem que os domina.
    Os curdos no IRAN TURQUIA e em parte na Síria são tratados pior que animais, constantes ENFORCAMENTOS como mostram as inúmeras manifestações de iranianos fugidos na Europa, mas que são totalmente censuradas pelos media portugueses e europeus, lá está, porque as redações são pura selvajaria..
    Os berberes no Norte de África, Marrocos e Argélia, começam a reinvindicar os seus direitos como POVO, e são barbaramente perseguidos. Tudo escondido pelos media corruptos vigaristas de Portugal e Europa.

    O povo trabalhador e pacífico de Cabo Delgado em Moçambique viu crianças negras serem DEGOLADAS por grupos MUÇULMANOS vindos do Norte, Tanzânia e Quénia e Somália. Muito MAIOR sofrimento do que os palestinos.
    Mas tudo rapidamente escondido pelos media corruptos, políticos, intelectuais e ONU.

    Esta notícia sobre a Google e o silêncio sobre os outros povos só comprova sem dúvida alguma como a mentalidade selvagem e COVARDE domina o mundo atual

RESPONDER

Fenprof anuncia nova greve no dia 12 e concentração em frente ao Parlamento

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou, esta sexta-feira, a realização de uma concentração em frente à Assembleia da República no dia 5 de novembro e a adesão à greve nacional da Administração Pública marcada …

Luis Díaz será a prioridade do Newcastle

Valor de mercado será agora inacessível para os clubes italianos, escreve-se... em Itália. O novo Newcastle deverá atacar o mercado do futebol com estrondo, possivelmente já daqui a pouco mais de dois meses, e a prioridade …

Rui Rio, presidente do PSD

Rio apresenta recandidatura. "Seria muito prejudicial para o país se o PSD mudasse agora de líder"

O presidente do PSD apresentou, esta sexta-feira, na cidade do Porto, a sua recandidatura à liderança, tendo considerado que "seria muito prejudicial", não só para o país como para o partido, mudar agora de líder. Rui …

"Conquistem a vaga no relvado": aviso à UEFA sobre a nova Liga dos Campeões

Associação das Ligas Europeias contra vagas garantidas para clubes que não terminarem o campeonato nacional num dos primeiros lugares. A reunião da Associação das Ligas Europeias de futebol terminou com o reforço de posições públicas contra …

Bloco diz que as suas nove propostas foram rejeitadas. Governo aponta avanços em sete

O Bloco considerou, esta sexta-feira, que o Governo recusou as suas nove propostas para chegar a acordo no Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). O Executivo, por sua vez, considera que há avanços negociais em …

Comissão de inquérito ao Novo Banco. PSD frisa "maioria popular", PS queixa-se de "partidarite"

Os partidos apreciaram, esta sexta-feira, o relatório final da comissão de inquérito ao Novo Banco, aprovado em julho, com o PSD a destacar a "maioria popular" nas conclusões e o PS a criticar a "partidarite" …

"Falta de respeito". Patrões abandonam Concertação Social e pedem audiência a Marcelo

As quatro confederações patronais suspenderam, esta sexta-feira, a sua participação nas reuniões da Concertação Social e decidiram solicitar uma audiência ao Presidente da República, perante a "desconsideração do Governo pelos parceiros sociais" na discussão sobre …

Parlamento aprova diplomas para alargar gratuitidade das creches e "direito ao esquecimento"

O Parlamento aprovou, esta sexta-feira, um projeto-lei para o alargamento da gratuitidade das creches e de soluções equiparadas e ainda um diploma que consagra o "direito ao esquecimento". A Assembleia da República aprovou um projeto-lei do …

Costa está muito empenhado num acordo pelo OE, mas não "a qualquer preço"

O primeiro-ministro disse, esta sexta-feira, que o Governo vai fazer tudo ao seu alcance para chegar a um acordo sobre o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), mas advertiu que "um acordo não se obtém …

Evergrande escapa por um triz ao default e garante o pagamento de juros de 71.7 milhões de euros

A gigante imobiliária chinesa conseguiu cumprir com o pagamento dos juros no limiar do fim da extensão do prazo. No entanto, persistem os receios sobre a possibilidade da crise na China contagiar a economia mundial. A …