Presidente do Governo catalão insiste na realização de um referendo

Andreu Dalmau / EPA

Quim Torra, o Presidente do governo regional da Catalunha

O presidente do Governo catalão disse que vai continuar a insistir na realização de um referendo sobre a “autodeterminação” da Catalunha, apesar das propostas do PSOE sobre a proibição de consultas populares.

O presidente do governo autónomo da região espanhola da Catalunha, Quim Torra, usou o exemplo da “Grã-Bretanha e do Canadá” que, afirmou, conseguiram encontrar fórmulas políticas sobre os independentismos da Escócia e do Quebeque, respetivamente.

“Já agora, os independentismos perderam nos dois sítios. É o que nós dizemos a Espanha: a experiência histórica diz que os referendos para a independência perdem-se. Então, façamos um e vejamos que apoio tem“, defendeu.

Para o presidente da Generalitat, o “conflito” catalão não vai acabar até que os catalães decidam livremente o seu futuro e insistiu que “esse exercício de ‘autodeterminação'” tem de voltar a realizar-se.

“Se realizarmos um referendo e a maioria dos catalães quiser ficar em Espanha apresento a demissão nessa mesma noite“, referiu Torra, frisando que não receia defender a realização de uma consulta popular.

“Se o medo nos paralisasse e não nos deixasse seguir em frente, eu não teria aceitado o cargo de presidente da Generalitat” afirmou, acrescentando que aguarda com expectativa os resultados das eleições legislativas, que se realizam este domingo.

“Os resultados eleitorais vão dar-nos uma fotografia precisa de onde estamos na Catalunha, apesar de aqui se votar de forma muito diferente nas eleições locais ou para o parlamento autónomo. No domingo vamos ficar a conhecer uma tendência e isso vai ser muito interessante”, diz Joaquim Torra.

Sobre a campanha eleitoral que terminou na sexta-feira, Torra nota que foi “muito curta” e que ficou marcada na Catalunha pelas sentenças e pelo julgamento daqueles que organizaram o que chama “referendo” do dia 1 de outubro de 2017.

“A campanha esteve muito focada na Catalunha porque, infelizmente estar contra a Catalunha dá votos no resto de Espanha. Isso antes só víamos na direita, mas agora ficamos surpreendidos com a deriva do PSOE [socialistas] que acabou por manter as teses mais extremistas e de direita, talvez para ir buscar votos ao Ciudadanos”, considerou.

O presidente do Governo catalão defendeu ainda que Espanha tem de saber retirar a mentalidade franquista de vários setores do Estado e começar a encarar a região autónoma da Catalunha como um “sujeito político”.

“Infelizmente o Governo central não quis dialogar. Com presos políticos, exilados e a repressão, nós pedimos uma negociação séria em que o Governo [autónomo] da Catalunha possa apresentar a sua proposta e a Espanha também. Mas, para isso é preciso que Espanha reconheça a Catalunha como um ‘sujeito político'”, disse à Lusa Joaquim Torra, culpando os socialistas pela falta de contactos.

“O PSOE deixou para trás o socialismo integrador e plural da ‘nação das nações’. Na moção de censura a Mariano Rajoy [antigo presidente do Governo central, do Partido Popular] demos apoio aos socialistas. Votámos com Sánchez e abrimos uma via de diálogo“, frisou Torra, lamentando depois que os socialistas tenham preferido fechar “uma janela” de diálogo.

O presidente da Generalitat comentou que persistem “tiques franquistas” na sociedade espanhola, que, disse, não soube gerir as questões da ditadura.

Portugal é um exemplo porque rompeu com o passado fascista. Não foi uma transição, foi uma rutura, mas vemos que em Espanha a transição não foi completa para a democracia. Há restos franquistas no que se chama ‘Estado Profundo’, no poder judicial e na polícia. O mesmo rei não deixa de ser rei [Felipe VI] porque Franco quis que o seu pai [Juan Carlos] fosse rei e sobre isso não pudemos votar”, afirmou, salientou que é preciso romper com o passado.

“Não basta retirar Franco do Vale dos Caídos, é preciso retirar o franquismo das estruturas do Estado”, disse Torra.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

A tecnologia ressuscitou o "plágio" de escritores medievais

Os trabalhos de autores medievais foram "ressuscitados" com a tecnologia do século XXI numa inesperada colaboração na Universidade de St Andrews, na Escócia. Um arquivo das obras de autores ingleses medievais, que revelava uma visão internacional …

Num cenário apocalíptico, a espécie humana poderia sobreviver "com populações na casa das centenas"

Cientistas de todo o mundo debruçam-se sobre a preparação das populações (e de abrigos) para sobreviver a um possível apocalipse. Para o antropólogo Cameron Smith, não seria necessário um número muito elevado de pessoas, desde …

Príncipe Harry diz que viver com a família real é "uma mistura entre o Truman Show e estar num zoo"

Depois de uma entrevista a Oprah Winfrey, o duque de Sussex faz novas revelações numa nova entrevista e descreve como era a sua vida antes de ir viver, primeiro para o Canadá e, depois, para …

Pentear o cabelo pode tornar-se uma tarefa mais fácil com a ajuda de um robô

Uma equipa de cientistas desenvolveu recentemente um braço robótico com uma escova de cabelo macia, equipada com uma câmara que ajuda o braço a "ver" e a avaliar a ondulação, para oferecer ao utilizador uma …

Benfica 4-3 Sporting | Águia vence dérbi espectacular

Mas que grande dérbi! Benfica e o novo campeão Sporting presentearam os adeptos com um jogo espectacular, um dos melhores dos últimos anos em Portugal, com futebol de ataque e golos, muitos golos. Foram nada menos …

Portugal é o 2.º país com mais divórcios e menos casamentos na UE

A taxa de casamentos na União Europeia caiu drasticamente nos últimos 55 anos, ao mesmo tempo que a taxa de divórcios subiu. Portugal é o segundo país onde esta tendência mais prevalece. De acordo com dados …

"É parte da nossa identidade". Pequena cidade na Suécia luta para preservar uma antiga língua moribunda

A organização Ulum Dalska, sediada numa pequena cidade sueca chamada Älvdalen, tem uma missão. Durante décadas, os seus membros têm trabalhado arduamente para ajudar a salvar a língua elfedaliana, um remanescente do nórdico antigo. "Tivemos a …

Papa diz que abuso infantil é uma espécie de “assassinato psicológico”

O Papa Francisco criticou hoje o abuso infantil dizendo que é “uma espécie de ‘assassinato psicológico’ e, em muitos casos, um cancelamento da infância” e pediu para “parar de encobrir” o fenómeno da pedofilia. Francisco falava …

Jerónimo considera “precipitado” discutir Orçamento de 2022 e “deitar borda fora” o atual

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou hoje “no mínimo precipitado” antecipar a posição do partido sobre o próximo Orçamento do Estado e “deitar borda fora” a concretização do atual. À margem de uma visita …

Plano da CIA para capturar Bin Laden originou um problema de saúde pública no Paquistão

Um novo estudo indica que um plano secreto da CIA para capturar Osama Bin Laden, no início de 2011, teve como consequência uma queda significativa das taxas de vacinação no Paquistão. O plano, que usava uma …