Toda a delegação russa pode ser proibida de participar nos Jogos Olímpicos

Flickr

-

O presidente da Agência Mundial Antidopagem (AMA), Craig Reedie, admitiu a possibilidade de estender a todos os desportistas russos a proibição de participarem nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Num congresso em Londres, Reedie afirmou que, caso o relatório que está a ser elaborado desde maio “indique a existência de transgressões”, irá “demonstrar o compromisso coletivo de limpar o desporto”.

“O mundo está a olhar para nós”, salientou.

Craig Reedie referiu ainda que o facto de a AMA ter suspendido a acreditação a vários laboratórios, entre os quais o português, está empenhado “em manter padrões elevados” na luta contra o doping.

Contudo, além da Rússia, também México, Espanha e Quénia estão sob ameaça de “medidas severas” por irregularidades no controlo de doping.

O Comité Olímpico Internacional (COI) convocou uma cimeira para esta terça-feira para estudar “a situação dos países considerados incumpridores pela Agência Mundial Antidopagem (AMA)”, admitindo a tomada de medidas severas.

Segundo a AMA, os países incumpridores são a Rússia, México, Espanha e Quénia, sendo que o primeiro está já sob alçada disciplinar das organizações internacionais, o que impede o atletismo russo de se fazer representar no Brasil.

“O COI tomará medidas de longo alcance para assegurar uma competição justa a todos os desportistas que participem nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016”, refere o organismo em comunicado, onde refere a cimeira abordará os problemas relacionados com os países onde o sistema nacional anti-doping “tem sido ineficaz”.

A cimeira decorrerá à porta fechada, em Lausana, Suíça, ao que se seguirá uma conferência de imprensa protagonizada pelo presidente do COI, o alemão Thomas Bach.

Doping institucionalizado

Na sexta-feira, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) anunciou a manutenção da suspensão da Federação Russa de Atletismo (ARAF) das competições internacionais, o que implicará a não presença daquela potência nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

A Rússia, segunda potência mundial do atletismo, atrás dos Estados Unidos, foi suspensa em novembro de 2015 após um demolidor relatório independente da AMA, em que se denunciava um esquema de doping institucionalizado na Rússia.

No início de maio, a IAAF nomeou o canadiano Richard McLaren para dirigir a equipa que está a investigar as novas acusações de dopagem sobre desportistas russos que participaram nos Jogos Olímpicos de Inverno Sochi 2014, feitas por um antigo chefe do laboratório antidopagem russo.

Grigory Rodchenkov, que se demitiu do cargo em novembro de 2015, afirmou à imprensa norte-americana que os atletas russos nos Jogos de Inverno de 2014 beneficiaram de um sistema de dopagem supervisionado pelo governo russo, estimando que “dúzias de atletas russos, nomeadamente 15 medalhados olímpicos”, beneficiaram desse sistema.

Na base da suspensão da Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), estarão a falta de independência do laboratório, os atrasos dos resultados dos relatórios e falhas na aplicação de métodos obrigatórios para deteção de substâncias.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …