/

Tiroteio em Inglaterra resulta em seis mortos

Seis pessoas morreram na sequência de um tiroteio, esta quinta-feira, em Plymouth, no sudoeste de Inglaterra, incluindo o suspeito, revelou a polícia local, que descartou a hipótese de terrorismo.

Em comunicado, a polícia de Devon e Cornwall explicou que, quando as autoridades chegaram ao local, após o alerta dado por volta das 18h10, encontraram duas mulheres e dois homens já mortos.

As autoridades referiram ainda que se depararam com um outro homem morto, o presumível autor do ataque, e que todas as vítimas tinham “suspeitas de terem morrido devido a ferimentos provocados por uma arma de fogo“.

A mesma força policial acrescentou que uma outra mulher, com ferimentos de arma de fogo no local do incidente, morreu mais tarde já no hospital.

Segundo o jornal Público, que cita Luke Pollard, um político trabalhista da região, entre as vítimas mortais encontra-se uma criança, que tinha menos de 10 anos.

“A polícia de Devon e Cornwall salienta que este incidente não é relacionado com um ato de terrorismo. A área foi isolada e a polícia já não está à procura de mais ninguém ligado ao tiroteio”, pode ler-se no comunicado.

As investigações vão continuar e as estradas no local do incidente iriam manter-se cortadas durante a noite, acrescentou ainda.

A polícia voltou a apelar à população para não divulgar nas redes sociais fotografias e vídeos de momentos imediatamente posteriores ao tiroteio por “respeito às famílias das vítimas”.

Inicialmente, a polícia de Devon e Cornwall tinha divulgado que um “grave incidente com uma arma de fogo” tinha provocado uma “série de mortes” na cidade de Plymouth.

O deputado local Johnny Mercer tinha também referido, através de uma publicação no Twitter, que o tiroteio não estava “relacionado com terrorismo” e que o suspeito não estava em fuga em Plymouth.

“O incidente em Plymouth é chocante e os meus pensamentos estão com os que foram afetados”, escreveu a ministra do Interior, Priti Patel, também na sua conta do Twitter.

Segundo o mesmo jornal, o Reino Unido tem uma das taxas de homicídio com armas de fogo mais baixas do mundo e tiroteios desde género são raros. Aliás, este é o primeiro no país em 11 anos.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE