Restaurante que nunca existiu chegou a nº1 do TripAdvisor

(dr) Chris Bethell / VICE

Um dos falsos pratos do The Shed at Dulwich, restaurante que nunca chegou a existir

The Shed at Dulwich foi, durante algum tempo, um dos restaurantes mais exclusivos de Londres e certamente o mais difícil de conseguir fazer reserva. O estabelecimento chegou ao número 1 do site de avaliações TripAdvisor. Só havia um problema: nunca chegou mesmo a existir.

Segundo o Washington Post, tudo não passou de uma ideia de Oobah Butler, um escritor freelancer que usou parte da sua casa – um barracão em Dulwich, em South London – como grande inspiração para um novo restaurante (mas fictício).

Antes de inscrever o restaurante no TripAdvisor, plataforma que aceitou o pedido sem verificar a sua existência, Oobah arranjou também um telefone para atender futuros clientes e criou um website para explicar o conceito do espaço.

Na página, podia ler-se que a carta do restaurante era feita com base nas emoções dos clientes: “Não temos um menu tradicional. Em vez de refeições, a nossa carta é feita com base em estados de espírito. O cliente escolhe o que se adapta ao seu dia e o nosso chef interpreta essa informação. Também podemos fazer pratos para ocasiões especiais por um custo extra”, podia ler-se.

Oobah também partilhou fotografias dos pratos que eram, na verdade, feitos com materiais improvisados em casa como, por exemplo, espuma de barbear e pastilhas de detergente. Relativamente à morada do espaço, deu apenas o nome da rua, alertando que só aceitava marcações por reserva.

O restaurante foi aceite no TripAdvisor e entrou para o 18.149 lugar da lista de restaurantes londrinos em maio. A partir daí, pediu a familiares e amigos para escreverem falsas críticas, que elogiavam o espaço e o descreviam como uma experiência única.

Foi então que o telefone começou a tocar. Oobah filmou algumas das conversas que manteve com os interessados em conseguir mesa no The Shed, nas quais dizia sempre que estavam “completamente esgotados”.

O jovem britânico chegou mesmo a divertir-se com as chamadas, fazendo questões ridículas sobre a influência das pessoas nas redes sociais e quantos seguidores tinham no Instagram.

Em finais de agosto, o restaurante fictício já ocupava o número 156 do ranking. Certas empresas começaram a enviar amostras grátis de produtos, com base numa localização aproximada da morada, começou a receber candidaturas de emprego e até um contacto das autoridades locais a propor-lhe a mudança do restaurante para um novo espaço.

Quando chegou à 30.ª posição, as tentativas de marcação começaram a chegar de todo o mundo e várias pessoas abordaram-no na rua de sua casa para perguntar se sabia onde podiam encontrar o restaurante. “O telefone tocava mais do que nunca”, conta.

Certo dia, Oobah recebeu uma mensagem do TripAdvisor, na qual pensava que ia ser finalmente avisado de que tinha sido apanhado. Em vez disso, a plataforma anunciou que a sua página tinha recebido 89 mil visualizações num só dia.

Na primeira semana de novembro, aconteceu: o The Shed at Dulwich, que não teve um único cliente, chegou ao primeiro lugar da lista.

O jovem decidiu tornar a história pública através de um artigo na revista VICE. À imprensa, o TripAdvisor recusou-se a comentar o caso mas diz que o restaurante já estava a ser alvo de avaliação antes da publicação do artigo.

O porta-voz da plataforma, Brian Hoyt, explica que “a maioria dos fraudadores só estão interessados em tentar manipular os rankings de restaurantes reais, por isso, naturalmente, os funcionários estão mais focados nessa perspetiva”.

“Geralmente, as únicas pessoas que criam restaurantes falsos são jornalistas numa tentativa equivocada de nos testar. Como não há incentivo para que ninguém no mundo real crie um restaurante falso, esse não é um problema que temos com a nossa comunidade regular – portanto, este ‘teste’ não é um exemplo do mundo real“.

Certo é que o restaurante “existiu” na Internet, chegou ao topo da lista dos restaurantes em Londres, mesmo sem que nenhum cliente tenha alguma vez lá entrado para comer.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Uiii que anda para aí tanto disso. Hoje em dia grande parte das empresas que fazem questão de “aparecer” em tudo o que é notícia… é porque na realidade não existem ou quase não existem e vivem apenas do aparato. Conheço muitas de norte a sul com alguns episódios dignos de Monty Python… então nas “pseudo-tecnológicas”…

  2. É a tal mania de manifestar as falsas emoções e duvidosa solidariedade com “Gostos”, “Likes”, “dedo polegar”, que no fundo não passa de superficilidade.
    O mesmo se passa em votações online. Talvez 90% dos gostos são colocados por pessoas que nunca estiveram no lugar em questão, nunca experienciaram uma emoção; foram seduzidas por imagens, videos, etc. E nessas votações eu não acredito. Mas não só; Certificações ou homologações (sei lá) são dadas à distância: rotas que não cuidaram da segurança de caminhantes, por exemplo.

  3. É isso e é empresas de rating chamarem lixo a um país, gajos de fatinho e gravata estarem na bolsa de wall street a decidir o preço de trigo e outros cereais sem nunca terem algum sequer na mão e muitas outras que por ai proliferam.
    Não esquecendo as estrelas mikelin de restaurantes que servem pratos caros com uma cagadela de comida toda apaneleirada

RESPONDER

Rui Rio vence segunda volta. Líder reeleito quer "estabilidade, lealdade e unidade"

O presidente social-democrata, Rui Rio, afirmou hoje que espera poder “trabalhar com estabilidade e lealdade”, recusou que o PSD esteja “partido” e vincou estar “a iniciar o momento para marcar a unidade” no partido. O líder …

Gatos não se importam de comer pessoas mortas (e há um estudo que mostra como o fazem)

Uma nova investigação analisou como é que dois gatos selvagens se alimentaram de cadáveres humanos. Os animais mostraram preferência por corpos específicos ao longo de vários dias. No Forensic Investigation Research Station, no estado norte-americano do …

"Árvores dinossauro". Bombeiros australianos conseguiram salvar floresta pré-histórica

Os bombeiros australianos conseguiram salvar dos incêndios uma floresta com árvores pré-históricas localizada no sudeste do país, anunciou o Governo. Em causa estão árvores da espécie Wollemia nobilis, vulgarmente conhecidas como Pinheiro de Wollemi, que se …

Príncipe Harry e Meghan renunciam aos títulos da realeza

O Palácio de Buckingham anunciou, este sábado, um acordo em que o príncipe Harry e a sua mulher renunciaram aos respetivos títulos, abandonando os deveres enquanto membros seniores da família real do Reino Unido e …

Polaris Slingshot chega ao mercado com um sistema de transmissão inovador

A nova versão do Polaris Slingshot vem equipado com um sistema de transmissão que mescla a condução do manual com o conforto do automático. Para quem não conhece o Polaris Slingshot, apresentado pela primeira vez em …

Turistas estão a invadir Hallstatt, a aldeia austríaca que terá inspirado "Frozen"

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1997, Hallstatt, na Áustria, possui apenas 778 moradores e tem uma sequência de casas em estilo alpino. Em 2010, antes do lançamento do primeiro filme da Disney, "Frozen", a cidade …

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …